21.12.10

Quem se portou bem e quem se portou mal: as maiores surpresas e desilusões até agora

A época das prendas na NBA só chega em Abril e chama-se Playoffs. Aí, quem se portou bem é recompensado e continua a jogar, enquanto quem se portou mal vai de férias mais cedo. Mas, como se aproxima o Natal, é uma boa altura para fazer um balanço e ver quem se está a portar melhor do que se esperava e quem se está a portar pior do que esperado até agora.


AS SURPRESAS:

San Antonio e Dallas
Ambas estão entre as melhores equipas do Oeste e já se esperava que estivessem na primeira metade da conferência e a lutar pelos primeiros lugares, mas ninguém esperava que estivessem, nesta altura, à frente dos Lakers e a jogar o melhor basquetebol deste lado dos Estados Unidos. Os Spurs estão com o melhor recorde da temporada (24-3, o melhor começo da sua história) e os Mavs vêm logo atrás (22-5). No inicio da época acreditava-se que a equipa de Los Angeles não tinha rival à altura no Oeste e tinha o caminho aberto para mais uma presença nas Finais, mas estas duas equipas querem (e estão a) provar o contrário.

New Orleans
Os Hornets foram a maior surpresa do início da temporada, com um começo de 11-1. Desde aí têm estado em queda livre e perderam 11 dos últimos 16. Passada a euforia inicial estão lentamente a voltar à terra, mas continuam acima daquilo que se esperava (16-12) e, depois duma offseason atribulada e com uma equipa que poucos acreditavam que pudesse chegar aos playoffs, estar com um recorde positivo e em 7º do Oeste é uma surpresa.

New York
Uma semi-surpresa porque, com a entrada de Amare Stoudemire, esperava-se que subissem na hierarquia do Este. Mas talvez não tanto (16-12, 6º do Este). Este recorde poderá também não representar fielmente o valor dos Knicks, pois muitas das suas vitórias foram contra equipas mais fracas e com recordes negativos. De qualquer forma, e tendo em conta que muita gente não acreditava que Stoudemire fosse tão bom sem Steve Nash, estão a surpreender.


AS DESILUSÕES:

Milwaukee
Os Bucks foram uma das supresas da época passada, conseguiram o 6º lugar no Este, foram aos playoffs pela primeira vez desde 2006 e eram apontados como uma das equipas com mais margem de progressão na NBA. Mas em 2010-11 andaram para trás. Estão péssimos no ataque (o pior da liga), as percentagens de lançamento estão paupérrimas e ninguém consegue acertar com o cesto. Se os playoffs comecassem agora, estavam fora (10-16, 9º no Este). A maior desilusão da temporada até agora.

Charlotte
Idem para os Bobcats, à excepção de que não tinham a margem de progressão dos Bucks. Acabaram a temporada regular passada em 7º do Este, com temporadas de superação dos seus principais jogadores. Por isso, não parecia que pudessem ir muito mais longe com este grupo. Ou mantinham o rendimento ou baixavam. E como baixaram. Estão com um ataque quase tão mau como os Bucks e Michael Jordan, o dono da equipa, já teve uma reunião com os jogadores. As coisas não estão bem para estes lados.

Golden State
Começaram bem (7-5 nos primeiros 12 jogos) e a entrada de David Lee e um Biedrins saudável trouxeram melhorias na defesa, nos ressaltos e no jogo interior. Mas desde que Lee esteve 3 jogos de fora com uma lesão no cotovelo, que estão a descer descontroladamente. Já estão 9 jogos abaixo dos 50% (9-18), perderam 13 dos últimos 15 e a irregularidade de jogo de outras épocas está a voltar. Esperava-se que fossem para cima e continuam lá em baixo.

Los Angeles Clippers
O que dizer da outra equipa de Los Angeles? Já vimos esta história em tantas épocas anteriores. Um grupo promissor de jogadores, expectativas mais altas e aspirações de chegar aos playoffs. E como acaba? Com uma equipa sem rumo, desorganizada e no fundo da tabela. Parece haver esperança, no entanto: estão a melhorar (4-4 nos últimos 8 jogos e 3 vitórias consecutivas) e quem tem Blake Griffin tem razões para sorrir.

Phoenix
Com a saída de Amare Stoudemire era difícil imaginar os Suns a repetir a prestação da temporada passada (finalistas da conferência Oeste), mas previa-se melhor do que um começo de 13-14 (9º lugar da conferência). As coisas não estão a correr tão bem como esperado e os próprios Suns reconheceram-no ao mexer na equipa e procurar novas soluções. Sabíamos que iam cair, mas não tanto. Uma semi-desilusão.

2 comentários:

  1. Tenho seguido este blog e gostado bastante. Bom post! Mas e que tal os Oklahoma Thunder? Apesar de um muito excelente Kevin Durant, que tal a subida de forma de Russel Westbrook? Reconheço que sou um espectador viciado à pouco tempo mas acho que merecem algum crédito também. Continuação de bons posts!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pelas palavras simpáticas e pela tua contribuição, Rafa!
    Sim, os Thunder merecem muito crédito de facto, mas não os incluí nas surpresas porque a boa época já era esperada. A época passada é que foram uma das maiores surpresas. Este ano, não se esperava outra coisa deles.
    A nível individual, aí sim, Russell Westbrook merece destaque como um dos que mais progrediu este ano.

    ResponderEliminar