12.1.11

A diferença entre ser vilão e ser parvalhão


Lebron James disse recentemente que está a abraçar o papel de vilão e não se importa com as críticas que lhe têm sido dirigidas esta temporada. Mas há uma diferença entre ser vilão (pensem em jogadores provocadores e de língua afiada como Charles Barkley, Charles Oakley, Bill Laimbeer) e ser parvalhão. Que é o que James foi esta noite. Como se não bastasse a forma como os tratou na offseason, Lebron James ainda tem prazer na pesadíssima derrota dos Cavs com os Lakers e goza com a situação na sua página do Twitter:


O que é pior? Lebron regojizar com uma desgraça para a qual ele contribuiu ou Lebron achar-se tão importante que até Deus quer que os Cavs caiam em desgraça por o terem criticado?
Isso não é bonito, Lebron, isso não é nada bonito...

8 comentários:

  1. Lakers Fã12/01/11, 14:12

    Nunca gostei deste Lebron James, pode ser um excelente jogador, mas como personalidade prefiro MIL VEZES o Kobe, alias, este rapazote podia ao menos ter respeito pelos seus antigos colegas de equipa mas nao, ao inves goza com todos aqueles que lhe deram tudo para ser o melhor, mas pronto, jogadores destes nunca desaparecem com o tempo, e aí apenas as lendas ficam, refiro-me ao unico MJ e ao meu idolo desde que vejo NBA, Kobe Bryant!!!
    Marcio qual é o teu player favorito da NBA?

    ResponderEliminar
  2. À semelhança das equipas, não tenho um só jogador favorito, gosto de muitos jogadores. Há tanto talento e tão bons jogadores que é impossível gostar só de um. Gosto muito de jogadores não-americanos que têm sucesso na NBA, como Nowitzki, Parker, Ginobili, Nash ou Gasol e gosto de muitos outros americano (demais para enumerar).

    ResponderEliminar
  3. Regozijar com uma desgraça? Onde é que vêem isso digam-me lá. O que não é bonito é a vossa inveja, ele não disse nada do outro mundo.

    ResponderEliminar
  4. Como diz o mestre guardiola, o barcelona sabe ganhar porque já aprendeu a perder há muito tempo.
    J ames enquanto não saber perder nunca vai ganhar.

    ResponderEliminar
  5. acho que fez bem, era um jogador com contrato livre, logo se é livre e cumpriu a sua obrigaçao contratual com a sua entidade patronal, esta livre de sair para onde bem entender.
    Nao merecia, portanto, todo o tratamento que levou, só trocou de equipa, como muitos o fazem durante a epóca. E cá se fazem, cá se pagam. o que ele fez foi so descer ao nivel de todos os que o trataram mal. Esperem, nem isso foi, que ele só disse aquilo e nao ofendeu ninguem, nem a familia nem nada.
    Eu nem sou fã do lebron, para mim miami é wade, mas ele só fez o que cada um com um pingo de auto estima faria
    Go spurs

    ResponderEliminar
  6. LeBron é um garotão. Auto-intitula-se King James. Só se for King da «filthy mouth».

    A questão não é tanto a saída, é a forma como ela se efectuou. Quem conhece a NBA e a acompanha há algum tempo, sabe que há uma espécie de código nestas circunstâncias que leva a que o jogador compense de alguma forma a ex-equipa. Não foi o que LBJ fez, nem sequer tendo o cuidado de avisar previamente os Cavs da sua decisão antes da saída holiodesca.
    Por outro lado, a sua saída provou que ele, enquanto líder, foi incapaz, fracassou, precisando de outros duas «major satars» para atingir o título.

    Jordan algum dia teve ao seu lado um jogador do calibre de Wade? É a diferença.

    ResponderEliminar
  7. ALopes completamente de acordo em relação à forma de sair de LeBron, afinal basta comparar a recepção que teve em Cleveland com a do Amare em Phoenix.
    Mas Jordan teve Pippen

    ResponderEliminar
  8. Calme pessoal ninguém ganha sozinho.
    James era só ele em Cleveland. isso não chega

    ResponderEliminar