26.2.11

Jogadores que mudaram de ares, parte 3


E para rematar a análise de todas as trocas deste mercado de meio da temporada mais animado de sempre, aqui ficam os últimos cinco negócios, anunciados mesmo em cima do prazo limite:

Semih Erden e Luke Harangody para Cleveland
Marquis Daniels para Sacramento

Os Celtics preparam-se para continuar a remodelação do plantel enviando Luke Harangody e Semih Erden para os Cavs em troca duma 2ª ronda em 2013 e, num negócio separado, enviaram também Marquis Daniels e dinheiro para os Kings em troca duma 2ª ronda em 2017.

Depois da troca de Kendrick Perkins e Nate Robinson por Jeff Green e Nenad Krstic para rejuvenescer a equipa e não só ganhar versatilidade no ataque mas também preparar a sucessão de Garnett e Pierce, a equipa de Boston fez outras movimentações a pensar no presente. Enviaram os dois rookies para os Cavs para libertar vagas no plantel e permitir a contratação de mais alguns veteranos que fiquem disponíveis depois do prazo limite para trocas. O alvo dos Celtics são jogadores dispensados pelas suas equipas e que possam ajudar no jogo interior (como Troy Murphy, por exemplo).
Com o mesmo objectivo, enviaram Marquis Daniels (que, com uma lesão no pescoço, não deve jogar mais até ao final da temporada) e dinheiro para os Kings.

Para os Cavs, são mais duas peças para a reconstrução da equipa. Especialmente Erden, que pode ser um bom poste suplente.
Do lado de Sacramento, o aliciante foi apenas a quantia (não revelada) que vão receber.

Shane Battier para Memphis

Os Rockets pensam já no futuro pós-Yao Ming e começam a juntar peças para a reconstrução que se avizinha. Enviaram o veterano Shane Battier e o base Ish Smith para os Grizzlies, recebendo em troca Hasheem Thabeet e uma 1ª ronda num draft futuro.

Com o contrato de Battier a terminar este ano, os Rockets decidiram usá-lo para conseguir um jogador mais novo que possa fazer parte dos seus planos futuros. Thabeet, que ainda não se mostrou nem sequer perto do potencial que lhe apontavam (e que o fez ser a 2ª selecção do draft de 2009), tem aqui uma oportunidade de começar de novo. É, no entanto, uma aposta arriscada para os Rockets. Podiam ter conseguido um jogador melhor por Battier (que podia ser um jogador útil para muitas equipas), mas decidiram arriscar em alguém que tanto pode ser o futuro poste da equipa, como ser um dos maiores flops de sempre.

Para os Grizzlies, a troca faz todo o sentido. Têm em Marc Gasol um poste para muitos anos e precisavam de veteranos experientes. Battier volta a Memphis, onde era um dos favoritos dos fãs e um jogador como ele (que em campo faz todas as pequenas coisas - daquelas que não aparecem nas estatísticas - necessárias para ganhar e fora do campo é um líder e um exemplo a seguir) é útil em qualquer equipa. Na de Memphis, recheada de jogadores jovens e inexperientes, ainda mais. Pode tornar uma equipa já boa defensivamente ainda melhor. É um excelente reforço para fazer um push nesta fase final de temporada e tentar o apuramento para os playoffs. E, se o conseguirem, vai ser uma peça importante nessa fase.

Aaron Brooks para Phoenix

Os Rockets continuam a remodelação e enviaram Aaron Brooks para os Suns. De Phoenix veio Goran Dragic e uma 1ª ronda num draft futuro.

O facto de Brooks ser free agent no final desta temporada (e o Most Improved Player do ano passado deve receber propostas doutras equipas) parece ter feito os Rockets apostarem noutro base. Kyle Lowry é o titular para já e Dragic pode ser um bom suplente, enquanto continua a desenvolver o seu jogo.

Para os lados do Arizona, Dragic estava a fazer uma temporada decepcionante e, para além da ajuda que Brooks pode dar já esta temporada na luta pelo apuramento para os playoffs, o pequeno base parece ser a aposta para suceder a Steve Nash. Brooks, no entanto, é melhor marcador que passador, por isso ou aprende com Nash e melhora essa área ou então os Suns vão ter dificuldades em manter o mesmo estilo de jogo. Para já, ficam algumas reservas em relação à troca. Vamos ver se a aposta é bem sucedida.

Gerald Wallace para Portland

Michael Jordan percebeu que este grupo não ia chegar muito mais longe e decidiu começar de novo. Assim, enviou Gerald Wallace para Portland e recebe Joel Przbylla, Dante Cunningham, Sean Marks e duas 1ªs rondas (uma em 2011 e outra em 2013).

Rod Higgins, general manager dos Bobcats, afirmou após a troca que "não queremos ficar pelo 7º ou 8º lugar, queremos lutar pelo título. É esse o plano." E esse plano passa por libertar espaço salarial para contratar free agents e recrutar jogadores talentosos através do draft. É tempo de reconstruir em Charlotte. Por isso, receberam dos Blazers três contratos que terminam este ano. Cunningham e Przbylla podem vir a ser úteis e renovar (por menos?) e Marks não deverá continuar. De qualquer forma, ficam com flexibilidade e opções para remodelar a equipa.

A Oeste, podemos ter de acrescentar mais uma equipa ao lote de candidatos. É um excelente negócio para os Blazers, que recebem um extremo de calibre All Star dando em troca apenas um poste suplente e dois extremos que pouco contavam para a equipa. Um cinco inicial com Andre Miller, Brandon Roy, Gerald Wallace, LaMarcus Aldridge e Marcus Camby (e ainda Wes Matthews, Rudy Fernandez e Nicholas Batum a sair do banco) pode intrometer-se na luta a Oeste. O seu sucesso vai também depender da forma como Roy volta das lesões nos joelhos, mas são um dos maiores vencedores nas trocas. E mesmo que Roy não volte ao nível anterior, podem tirá-lo do cinco e meter Matthews e continuam muito fortes. Têm feito milagres com metade da equipa lesionada e estão em 5º lugar na conferência. Com a adição de Wallace e os outros jogadores todos disponíveis, podem ser a surpresa no Oeste.


E estão assim dissecadas todas as movimentações. Vamos ver quais delas resultam como as equipas esperam e quais não. O sucesso (ou insucesso) de algumas vamos ver já esta temporada, enquanto outras vão demorar mais tempo a avaliar. Mas cá estaremos para ver.

Sem comentários:

Enviar um comentário