9.3.12

Candidatos - Dallas Mavericks


Continuamos a nossa análise mais pormenorizada dos candidatos ao título e, depois dos Oklahoma City Thunder e dos San Antonio Spurs, terminamos a ronda pelos candidatos a Oeste com os actuais campeões, os Dallas Mavericks.



Apesar de todas as mudanças no plantel que venceu o campeonato e de todas as saidas na offseason, os Mavs estão a aguentar-se melhor do que muitos esperavam. Estão com um recorde de 23-18 (6º no Oeste) e, depois dum início de temporada fraco, continuam a melhorar com o decorrer da mesma.

E lembremo-nos dos Rockets em 1995: depois de ganhar o título no ano anterior, fizeram uma temporada regular sofrível e terminaram apenas em sexto lugar na conferência. Todos os davam já como derrotados e longe de novo título, mas depois nos playoffs, eliminaram os três primeiros classificados do Oeste (Jazz, Suns e Spurs) e varreram os Magic nas Finais. Poderão os Mavs repetir o feito dos seus vizinhos do Texas? Sim, mas têm várias arestas para limar se querem ter hipóteses de fazê-lo.

Com a saída de Tyson Chandler (e Stevenson) esperava-se uma derrocada na sua defesa, mas estão surpreendentemente com a terceira melhor defesa da liga (99 de Def Rtg; 4º em pontos sofridos, com 91.4/jogo; top 5 nos rb). Estão a defender bem o perímetro, estão com uma boa rotação defensiva e boa defesa do lado da ajuda e, como resultado disso, estão com óptimas percentagens de lançamentos sofridos (3ºs melhores, com 41.9%). Mas precisam claramente de melhorar nos ressaltos. São apenas 22ºs na liga e estão com um diferencial negativo (-1.4). Perdem, portanto, mais ressaltos do que ganham. O que quer dizer que defendem bem e conseguem, muitas vezes, provocar maus lançamentos aos adversários, mas cedem muitas segundas oportunidades. E... no rebounds, no rings.

No ataque, repete-se a (má) história ressaltadora. Quando não concretizam, conseguem menos segundas oportunidades que no ano passado. E é, de resto, no ataque que têm mais aspectos para melhorar.
Saíram atiradores (Stojakovic, Stevenson e também Barea) e Jason Terry (que funcionava também como atirador) tem sido obrigado a fazer o papel de penetrador e pick and roller que Barea fazia. De um ataque baseado no passe e movimentação de bola passaram para um ataque com mais penetrações. De um penetrador e vários atiradores no perímetro passaram para vários penetradores (Carter, West, Beaubois) e menos atiradores.

E com todas essas mudanças, este ataque é ainda um work in progress. É normal que com peças diferentes, o ataque seja diferente e não ataquem da mesma forma. Isso não quer dizer que estas peças não resultam, mas até agora ainda não encontraram o melhor equilíbrio. Não têm sido consistentes e regulares e, como resultado disso, as percentagens de lançamentos estão piores (de 47.5% nos 2pts e 36.5% nos 3pts, em 2010-11, para 43.6% nos 2 pts e 32.7% nos 3 pts, em 2011-12).

O que podem fazer para melhorar? Beaubois terá de assumir mais o papel de penetrador, para Terry poder ser atirador. E Delonte West (quando regressar da lesão) é outro jogador para esse papel. Estes dois com a bola nas mãos no pick and roll e Terry de volta ao perímetro poderá ajudar o ataque dos Mavs a ser mais eficaz. 

Isso e, claro, Lamar Odom voltar. Porque até agora está desaparecido em combate, com mínimos de carreira em tudo (7.7 pts, 4.4 res e 1.7 ast; 36% nos lançamentos). Se Nowitzki é o maior "mismatch" da NBA, Odom, em forma, é outro dos maiores. Com os dois, este ataque pode ser um pesadelo de mismatches, capaz de criar desequilíbrios como muito poucos ataques conseguem. O alemão, depois de um início fraco e fora de forma, já voltou ao seu nível habitual. Para repetir o feito dos Rockets, os Mavs precisam que Odom o faça também.

Tem muito trabalho para fazer esta equipa de Dallas, mas se o fizer, contem com ela. Não se esqueçam do que disse o treinador dos Rockets de 95, Rudy Tomjanovich: "nunca subestimem o coração dum campeão".

10 comentários:

  1. O que significa mismatch? Underated?!

    ResponderEliminar
  2. Pinus canariensis10/03/12, 12:00

    Mismatch é quando há uma situação de 1 para 1 e o defensor não tem as características necessárias para defender bem o atacante, como por exemplo, altura, largura, rapidez, trabalho de pés, por aí fora. O que o Márcio queria dizer, penso eu, é que o Dirk e o Odom em forma são jogadores muito poderosos no ataque e que são poucos os adversarios que os conseguem defender individualmente.

    ResponderEliminar
  3. Um mismatch é, traduzindo à letra, um desencaixe, um desajustamento. Em termos basquetebolísticos, refere-se a um desequilíbrio num duelo individual.

    Designa-se, por exemplo, por mismatch quando tens um defensor e um atacante com características divergentes e quando uma equipa tem, por isso, vantagem nesse duelo.
    Se tens, por exemplo, um jogador com 2,06m que consegue jogar a base (como Magic Johnson) e vai ser defendido por um jogador com 1,90m, tens um grande mismatch.

    Designa também um jogador que não encaixa nas caracteristicas habituais da sua posição (um jogador que, pelas suas caracteristicas diferentes, provoca um desequilíbrio).
    Um jogador com 2,13m, mas que lança triplos e joga no perímetro (como Nowitzki) provoca grandes mismatches, pois os jogadores com essa altura são normalmente jogadores interiores (mais lentos e menos móveis) e que não o conseguem defender no exterior. E jogadores mais móveis capazes de o acompanhar no exterior são normalmente mais pequenos e aí ele aproveita a diferença de altura para jogar perto do cesto.

    E Odom, com 2,06m, mas capaz de jogar fora também, é outro jogador capaz de provocar esses desequilíbrios em duelos individuais.

    ResponderEliminar
  4. Obrigado pelo esclarecimento =)

    ResponderEliminar
  5. Long story short: Tal como os Lakers e Celtics têm muita veterania, difícil prever o que conseguem nos playoffs, não acredito que nenhuma das 3 seja um verdadeiro candidato ao título. Acho que há somente 3 ou 4. Heat, Thunder, Bulls e talvez os Spurs

    ResponderEliminar
  6. Long story even shorter: só há dois candidatos Miami e Oklahoma.

    ResponderEliminar
  7. Ricky Rubio esta fora por lesão da temporada toda, por causa do choque com o Koby que só faz asneiras.

    ResponderEliminar
  8. Hmm... não sei, não consigo descartar os Bulls, principalmente se o Rip Hamilton der um contributo decente nos playoffs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Além de que a época de transferências ainda não fechou...

      Eliminar
  9. A lesão do Rubio é a pior notícia deste ano na NBA. Que pena perder um jogador tão espectacular de ver jogar. Resta esperar que consiga ser o mesmo após a recuperação. A NBA perdeu ontem um pouco do seu entusiasmo.

    ResponderEliminar