1.8.12

Doc Rivers faz mea culpa


Afinal a saída de Ray Allen de Boston não se deveu (ou não se deveu totalmente) à má relação que este tinha com Rajon Rondo. Em entrevista ao Yahoo Sports, o treinador dos Celtics diz que muita da culpa pela saída de Ray Allen é dele. Nomeadamente, por ter dado a titularidade a Avery Bradley (relegando Ray Ray para o banco) e por ter dado mais liderança e mais liberdade no ataque a Rajon Rondo. Segundo ele, Ray Ray não ficou satisfeito com nenhuma destas decisões. 


"Podem culpar a questão do Rondo quanto quiserem - e ela existia, sem dúvida -, mas fui eu mais que Rondo. Fui eu que dei a bola ao Rondo. Fui eu que decidi que o Rondo devia ser mais o líder da equipa. Isso não quer dizer que os outros gostaram - e o Ray não adorou - que o Rondo tivesse a bola nas mãos o tempo todo."

"Pensem no que Ray disse quando saiu: 'Eu quero estar mais envolvido no ataque.' E eu olho para isso e penso que a culpa disso não foi do Rondo. Era o que eu queria que Rondo fizesse e era o que ele devia fazer. Porque essa é a força do Rondo, ele é o melhor passador da liga, ele tem a melhor leitura de jogo da liga. Não é um grande lançador, por isso precisa de ter a bola nas mãos para ser eficaz. E isso incomodava o Ray."

"E não ser titular também o incomodava. Por isso, examinando tudo isso, a conclusão a que chego é esta: por fazer as coisas certas, posso ter perdido Ray. Mas se não as fizesse, seria hipócrita. Porque no discurso que faço no início da época digo sempre à equipa: 'Todas as decisões que tomo são a pensar no que é melhor para a equipa e isso pode não ser o que é melhor para um jogador.'"

Doc Rivers acredita que os Celtics podiam ser uma equipa melhor com Ray Allen a começar no banco e a introduzir depois a sua marcação de pontos no jogo. Ray Allen podia não adorar essa ideia, mas Rivers acrescenta que "como treinador, tens de fazer o que é melhor para a equipa. Se alguém não gostar, provavelmente vai-se embora. (...) Mesmo que isso aconteça, tens de o fazer na mesma. Não podes treinar a pensar apenas num jogador. Tens de treinar a pensar em toda a equipa."

Não há como não adorar estas palavras de Doc Rivers. Primeiro, pela honestidade. Ele fala sobre a  questão tão abertamente que devia ser obrigatório para todos os treinadores de futebol cá do burgo verem esta entrevista. Estamos tão habituados aos discursos-cassete e às respostas ocas (e não só no futebol, também na NBA não são todos os treinadores e jogadores que falam tão abertamente e de forma tão relevante sobre o seu ofício) que estas palavras são uma lufada de ar fresco.

Depois, pela filosofia por trás das palavras e das decisões tomadas. É a essência do basquetebol: um jogo colectivo onde a equipa está acima do indivíduo e onde os objectivos colectivos vêm antes dos objectivos pessoais. 

E por último, pela forma natural com que essa filosofia é aplicada. Sem dramas, sem disciplina militar, tudo de forma natural. Doc Rivers não é um disciplinador, nem um treinador que grite com os seus jogadores e os obrigue a fazer aquilo que ele quer. Apesar das palavras poderem sugerir um treinador que diz "é como eu quero e se não gostas, azar", a filosofia não é imposta, é inspirada. Doc Rivers não é um ditador, é um líder. Não obriga os jogadores a segui-lo, mas antes inspira-os a segui-lo. 

Ray Allen decidiu deixar de o fazer. Rivers diz que ficou "f*"#$% com ele". Não por ter ido para Miami, mas pelas razões por que saía. Mas depois pensou sobre o assunto e seguiu em frente. "O Ray tem de fazer o que é melhor para ele." Gotta love Doc.

30 comentários:

  1. Tipo que nos heat, também terá muitas vezes a bola !

    ResponderEliminar
  2. É muito bonito ele dar o peito ás balas. Muito mesmo. Mas confirmou que existia um beef entre Allen e Rondo. Apesar do gesto do Doc como treinador ser excepcional, muito na imagem de Mourinho que protege o jogador e a equipa, acho que se pode perceber que o papel do Allen nos Boston, a relação com rondo e as tentativas de o trocar foram os catalisadores. A cereja no topo do bolo foi o Jason Terry. E claro, quando do outro lado da chamada estão os NBA CHAMPIONS, Lebron e Wade a fazerem serenata parece-me uma decisão muito fácil na qual DOC RIVERS É O MENOR DOS CULPADOS!

    ResponderEliminar
  3. Stoudemire02/08/12, 01:13

    Isto é uma não história...
    Era free agent (muitas pessoas não percebem, mas isto quer dizer que pode ir para onde muito bem entender) e escolheu uma equipa, simples.

    ResponderEliminar
  4. Stoudemire02/08/12, 01:20

    Não se pode dizer "azia" neste blog?
    Se calhar com as mudanças todas na língua portuguesa, passou a ser uma asneira ou algo do género :S
    Mas pode-se chamar iliterado, mal eduacado, criançola a alguém? Humm...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com amizade, para ti, meu amigo:

      «Não digas nada!
      Nem mesmo a verdade
      Há tanta suavidade em nada se dizer
      E tudo se entender —
      Tudo metade
      De sentir e de ver...
      Não digas nada
      Deixa esquecer

      Talvez que amanhã
      Em outra paisagem
      Digas que foi vã
      Toda essa viagem
      Até onde quis
      Ser quem me agrada...
      Mas ali fui feliz
      Não digas nada.»

      Eliminar
  5. Stoudemire02/08/12, 01:59

    perdão: iletrado não iliterado.

    sorry! ;)

    ResponderEliminar
  6. Sonda Profunda02/08/12, 14:50

    O Ray Allen também não deve jogar de inicio nos Miami. Só se ficar o LeBron ou o Wade no banco (impossível) ou o Haslem ficar no banco e o Bosh sozinho no interior para ter LeBron, Allen e Wade em simultâneo com Chalmers a base, o que também não me parece uma boa opção mas o Spoelstra lá saberá.

    ResponderEliminar
  7. Perdemos Ray Allen ( que sendo o meu jogador preferido, nesta fase final da época, talvez pela lesão, já não era o Ray Allen de sempre) mas ganhamos Jason Terry, Courtney Lee. Estão de volta Jeff Green, Wilcox, Bradley (lesão), KG. Jared Sullinger acho que vai ser uma estrela.
    Lets GO Celtics! 18#

    ResponderEliminar
  8. Logo na Eurosport os EUA VS Nigéria em directo, para quem quiser ver.
    O jogo é as 21:45 dos Açores e 22:45 de Portugal Continental.

    ResponderEliminar
  9. O jogo EUA vs Nigéria também dá no RTP Informação, e é às 22.15h. Vale a pena ver o espetáculo!

    ResponderEliminar
  10. O primeiro período do jogo EUA/Nigéria foi um espetáculo ESTRATOSFÉRICO!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Papa Valdemares03/08/12, 00:56

      Percebo o que queres dizer, mas também há a considerar que tudo isto é um pouco lamentável, algo de que os norte-americanos não têm qualquer culpa.

      Eliminar
    2. Stoudemire03/08/12, 01:06

      Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
    3. Foium jogo irrepetível. Os EUA fizeram uma grande exibição, aqueles primeiros lançamentos do Kobe não falhando nenhum foram uma rampa de lançamento indispensável para que tudo corresse bem, e a verdade é que correu, especialmente a nível de triplos. Anthony fez possivelmente a sua melhor exibição de sempre a nivel de lançamentos de 3.
      Mas compreendo a observação do Valdemares, a Nigéria, fazendo uma boa exibição a nivel de ataque e de ressaltos, na defesa quase não existiu. Assim sendo, com o nivel de adversários que apanharam só podiam ter sido esmagados. Aquela equipa não se pode dar tantos espaços, nem defender a 2 metros do lançador.

      Eliminar
  11. Stoudemire03/08/12, 00:58

    Ui 80 e tal pontos de vantagem- recorde
    150 e tal pontos- recorde
    Carmelo 10-12 triplo- recorde

    O que é que os velhos do restelo vão dizer agora?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Stoudemire03/08/12, 01:01

      Já agora 29-46 triplos- recorde

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
    3. Stoudemire03/08/12, 01:33

      Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
  12. Vamos imaginar que era Portugal em vez da Nigéria.
    O que é que isso queria dizer? Que apanharíamos uma tosga ainda maior. E então?

    O básquete progrediu nalguns países europeus (França (?), Espanha), sul-americanos (Argentina), mas regrediu, em termos de qualidade, em muito lado:
    a) Onde estão os colossos da antiga ex-Jugoslávia;
    b) O que aconteceu a Porto Rico?
    c) Quando retornará o Brasil ao nível dos anos oitenta e desse mito chamado Oscar Schmidt?
    d) Que é feito da Grécia pós-Yannakis e Galis?
    e) Que Rússia teremos?
    f) Quem vem substituir, em África, a Angola de Jean-Jacques, David Dias, Guimarães, Aníbal Moreira, Ângelo Victoriano?
    g) Que papel é o da China, que nunca foi grande, após Ming se ter retirado?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se formos por aí, a Lituânia também já não é o que era.

      Eliminar
  13. Urso de Tallac03/08/12, 01:30

    Poupem-me: o gajo dos jogos é o Maiquel Felpes!

    O tipo estabeleceu um record imbatível. E vem mais a caminho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Stoudemire03/08/12, 01:44

      Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
  14. E para quem acha que a Nigéria é fraca, eles eliminaram a Grécia (a última equipa que venceu os EUA em 2006)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Nigéria, para mim, foi das melhores seleções que vi nos actuais JO, mas na defesa esteve muito fraca. É verdade que ontem os americanos estavam em dia sim e acertaram nos triplos, e quando é assim, a diferença tem que vir ao de cima.

      Eliminar
  15. Stoudemire03/08/12, 10:51

    E faltam Bynum, Howard, Rose, Bosh, Wade, Griffin e Rondo.
    Repito: esta geração não fica a dever NADA à da "Dream Team".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paulo Dias03/08/12, 13:35

      É a tua opinião, que vale o que vale. A minha é diferente, logo idem.

      Eliminar
    2. Stoudemire03/08/12, 13:55

      Grande constatação!

      Eliminar
  16. Estou impressionado com Davis, tem a postura do griffin, mas com o incremento do lançamento e ainda a capacidade defensiva. Vai ser um jogador a seguir nos proximos anos. NO pode aspirar a algo mais no futuro

    ResponderEliminar
  17. Melhor equipe de todos os tempos. A Magic foi fantástica, mas os adversários eram mais fracos, agoranTODAS

    ResponderEliminar