16.8.12

Duas histórias de perseverança


A análise da troca de Dwight Howard não está esquecida, mas ainda não consegui arranjar tempo para a fazer. Enquanto o trabalho não me permite escrever umas linhas mais detalhadas sobre o desfecho dessa novela e o que cada uma das equipas envolvidas ganhou (ou não) com o negócio, fiquem com umas sugestões de leitura. Uma sobre uma das carreiras mais improváveis na NBA e outra sobre uma das mais azaradas:

           

- Sam Smith, no Bulls.com, faz um já merecido longo artigo sobre Brian Scalabrine. Como diz Smith, a carreira do White Mamba é uma das mais extraordinárias carreiras na NBA. Não pelos prémios individuais, não pelas estatísticas, não porque Scalabrine vá alguma vez entrar no Hall of Fame, mas simplesmente pelo facto dele ter tido uma carreira de mais de 10 anos na NBA. Porque, ao contrário de 99,9% dos jogadores da liga, Scalabrine não tem nenhum talento particular, não é especialmente bom em nada e não é atlético. Mas é uma história de perseverança e de alguém que, contra todas as probabilidades, conseguiu ter uma carreira profissional unicamente pelo trabalho duro e pelo esforço. 
O White Mamba na primeira pessoa: "não sou um atleta natural, não corro rápido, não salto muito, mas ninguém trabalha mais e se esforça mais do que eu. Eu tenho de me esforçar muito mais que todos os outros.
E ter Kevin Garnett e Jason Kidd a dizer que és o melhor colega de equipa que já tiveram não é para todos. 


- E Mark Titus, no Grantland, faz uma rara entrevista a Greg Oden, onde este recorda os cinco anos repletos de lesões que passou em Portland. É um longo e imperdível artigo sobre (e com) um jogador que raramente fala aos jornalistas. Desde a confissão de que praticamente se tornou alcoólico no segundo ano em Portland (quando passou, mais uma vez, toda a temporada de fora) até à admissão que sentia inveja quando via a carreira de Durant descolar, passando pela desarmante honestidade quando diz que não gosta de atenção mediática e da atenção dos fãs por achar que não a merece ("Porque querem tirar uma foto comigo quando agora não sou nada?"), é um retrato imperdível do azarado poste.

9 comentários:

  1. a nba(+ o mundo do basketbol(+ o mundo do desporto)) têm historias fantasticas :)

    boas leituras pra todos..

    ResponderEliminar
  2. O Scalabrine é um ser adorável. É como se diz, um autêntico lutador e a prova de que com muito trabalho alcançamos os nossos sonhos. É inspirador, ler sobre ele. E, sinceramente, acho que, mesmo não sendo um atleta de excelência, é um bom lançador!

    ResponderEliminar
  3. Papa Valdemares16/08/12, 00:48

    O Scalabrine não enoja ninguém e é uma vedeta da NBA. E já tem aneizinhos no dedo.

    O outro é um daqueles casos de um FDP de um azar do caraças.

    ResponderEliminar
  4. Sobre a avaliação do negócio Dwight Howard têm aqui um bom texto:

    http://basketball.realgm.com/article/222937/Grading_The_Deal_Dwight_To_Lakers_In_Most_Important_NBA_Trade_In_Over_30_Years

    Vou ler a entrevista ao Oden, os Trailblazers têm mesmo azar...com um Brandon Roy e Greg Oden saudáveis podiam ser um caso de sucesso semelhante aos Thunder...Pode ser que o Greg ainda consiga contribuir ao mais alto nível com minutos limitados, e ele merece, visto que tal como o Scalabrine parece ser uma excelente pessoa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas não tenhas pena que os blazers vão ficar à frente dos teus lakers

      Eliminar
    2. LOL, sou super fã dos Blazers, não vejo mais nada à frente, mas eu próprio admito que a não ser que o GM trabalhe bem, a equipa prepara-se para anos difíceis!

      Eliminar
  5. Justin Hamilton jogador que foi seleccionado pelos 76Sixers e depois trocado para os Heat vai jogar para a Europa no próximo ano.

    ResponderEliminar
  6. Tal como o gigante dos Blazers, um gajo que leia os comentários do Stoudemire fica com uma enorme vontade de se embebedar.

    ResponderEliminar