8.10.12

Boletim de Avaliação - Houston Rockets


Continuamos pelo Texas e vamos hoje até Houston, casa de uma das equipas mais activas desta offseason:


Houston Rockets

Saídas: Kyle Lowry, Goran Dragic, Luis Scola, Courtney Lee, Samuel Dalembert, Marcus Camby, Chase Budinger, Jonny Flynn e Terrence Williams
Entradas: Jeremy Lin, Omer Asik, Carlos Delfino, Shaun Livingston, Jon Brockman, Toney Douglas, Gary Forbes, JaJuan Johnson, Donatas Motiejunas (20ª escolha no draft de 2011), Jeremy Lamb (12ª escolha no draft), Royce White (16ª escolha), Terrence Jones (18ª escolha) e Scott Machado (undrafted)
Cinco Inicial: Jeremy Lin - Kevin Martin - Chandler Parsons - Patrick Patterson - Omer Asik
Banco: Shaun Livingston - Carlos Delfino - Royce White - Gary Forbes - Marcus Morris - Donatas Motiejunas
Treinador: Kevin McHale

Balanço: Bem, por onde começar? Os Rockets decidiram que estavam fartos de ficar à beira dos playoffs e de andar eternamente por aquele ingrato lugar que é o meio da tabela e decidiram denotar completamente a equipa. Mas, ao contrário de outras equipas que fizeram o mesmo, o plano não era ficarem miseráveis esta temporada e reconstruirem através dos drafts futuros. Não, o general manager Daryl Morey queria reconstruir a equipa (ou, pelo menos, encontrar peças centrais para essa reconstrução) já nesta offseason.

O primeiro objectivo era subir no draft deste ano. Para isso, acumularam todas as primeiras rondas que conseguiram para fazer um pacote que pudessem trocar por uma escolha alta. Trocaram Dalembert por Jon Brockman, Shaun Livingston e a primeira ronda dos Bucks, mandaram Chase Budinger para Minnesota em troca de outra primeira ronda e trocaram o veteraníssimo Marcus Camby por Toney Douglas e mais umas escolhas futuras no draft. Ficaram com três escolhas a meio do draft deste ano e esperavam trocar essas 12ª, 16ª e 18ª escolhas por uma alta. Mas não houve interessados e tiveram de mesmo de as usar.

Com elas conseguiram três jogadores medianos que podem (ou não) dar bons jogadores e tornarem-se jogadores produtivos, mas nenhum será a estrela que procuravam para a equipa. Porque esse era o grande objectivo dos Rockets: conseguir a sua estrela e a peça central à volta da qual construir uma equipa. Não conseguiram no draft e continuaram a tentar na free agency.

Aí o seu grande alvo era Dwight Howard. E os Rockets fizeram tudo para consegui-lo. Mais uma vez tentaram reunir o máximo de peças possíveis (entre rookies, jogadores adquiridos e mais escolhas no draft que foram juntando) para fazer um pacote atractivo para os Magic e mandaram Courtney Lee para os Celtics por alguns jogadores para encher (JaJuan Johnson, E'Twaun Moore e Sean Williams) e mais uma escolha no draft.

Para além disso, deixaram sair Dragic, trocaram Lowry por mais uma escolha no draft e amnistiaram Luis Scola (provavelmente o melhor jogador da equipa) para libertar ainda mais espaço salarial. Todos sabemos como essa perseguição a Dwight Howard terminou. Também não foi dessa que conseguiram a sua estrela.

Sem nada para mostrar por todo o trabalho que tiveram até aqui, para terminar a offseason ofereceram contratos de estrela (ou perto. De All Star no mínimo) a dois jogadores medianos (Lin e Asik) e que dificilmente serão as futuras estrelas à volta das quais construir. São bons jogadores (e Lin é uma estrela para a equipa, mas do ponto de vista financeiro e de exposição mediática), mas não são as estrelas que procuravam. E não são propriamente um upgrade em relação ao que já tinham. Basicamente deixaram sair dois bases tão bons ou melhores para depois pagar mais por Lin e deixaram sair dois excelentes postes defensivos para pagar mais por um. Sim, Asik é mais novo, mas pagaram demais por um jogador como ele.

A parte mais positiva da offseason foi mesmo conseguirem alguns bons jogadores secundários para melhorar a rotação. Shaun Livingston, Carlos Delfino e Gary Forbes são boas peças para qualquer banco e até ficaram com um bom banco. Só lhes falta um cinco de topo.
Continuar eternamente pelo meio da tabela parece ser exactamente a única coisa que conseguiram com esta offseason. Não ficaram nem um bocadinho mais perto de sairem daí.

Nota: 8


(a seguir - Southwest Division - Memphis Grizzlies)

5 comentários:

  1. o preço do asik não tem perdão, mas nem tudo foi mau.
    o lin vai ser uma incógnita, mas lá conseguiram o delfino e o livingston que são bons roleplayers.
    quanto aos rookies eu tenho uma fé enorme neles, principalmente no royce white, é pena que o rapaz tenha ataques de pânico e também tenha medo de voar e isso deve prejudicá-lo neste inicio de época mas espero que consiga recuperar. o lituano jogou muito bem na summer league, e o machado também conquistou lá o lugar no plantel.
    no futuro vão ter uma equipa forte, mas este ano o PO está fora de questão e acredito que ainda tentem trocar o martin por escolhas de futuro draft.

    ResponderEliminar
  2. Concordo com quase tudo. Excepto com o Scola ser o melhor jogador da equipa :D
    Deixaram sair jogadores bons, para ficar com jogadores piores. O Asik não é nada de especial, acho eu. O Lin ainda vá... pode ser que seja um bom jogador, all-star talvez. A troca do Camby também não me pareceu muito boa, porque ele era um bom jogador, apesar de veterano, e ganharam picks dos Knicks por isso não serão picks de lotaria. Dos que escolheram no draft, o único que me parece que dará grande jogador é o Lamb.

    Já agora Márcio, há novidades sobre aquilo da fantasy? :)

    ResponderEliminar
  3. Paulo Dias09/10/12, 00:03

    Os Rockets tiveram um azar do camandro com o Ming.

    Agora, foram buscar o Lin, mas... Mais uma equipa para reconstruir.

    ResponderEliminar
  4. Sei que é um offtopic mas seria interessante reativar ou criar a fantasy league da ESPN, agora que estamos cada vez mais próximos do inicio da season.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fica prometido para depois destas mini-férias! :)
      Vamos arrancar com a nossa fantasy league e com a temporada da NBA!

      Até já!

      Eliminar