21.10.12

Boletim de Avaliação - New Orleans Hornets


Da terra do rei do rock and roll para a terra do jazz. Hoje vamos até à Big Easy fazer o balanço de um Verão muito animado:


New Orleans Hornets

Saídas: Emeka Okafor, Trevor Ariza, Chris Kaman, Marco Belinelli, Jarret Jack, Carl Landry e Gustavo Ayon
Entradas: Ryan Anderson, Robin Lopez, Hakim Warrick, Roger Mason, Solomon Alabi, Anthony Davis (1ª escolha no draft), Austin Rivers (10ª escolha no draft), Darius Miller (46ª escolha no draft) e Brian Roberts (undrafted)
Cinco Inicial: Greivis Vasques - Eric Gordon - Ryan Anderson - Anthony Davis - Robin Lopez
Banco: Austin Rivers - Xavier Henry - Al-Farouq Aminu - Hakim Warrick - Jason Smith - Solomon Alabi
Treinador: Monty Williams

Balanço: Depois duma muito atribulada temporada de 2011-12, depois de terem perdido o dono e serem detidos a título provisório (que se estendeu por todo o ano) pela NBA e depois de terem perdido as suas duas estrelas (Chris Paul e David West), do que é que estes Hornets não precisavam? 

Estavam num limbo de incerteza, com a construção da equipa congelada e precisavam urgentemente de definir a situação da propriedade da equipa. Essa parte ficou tratada antes mesmo da offseason começar quando o dono da equipa de futebol americano da cidade, os Saints, chegou a acordo com a liga e tornou-se também dono dos Hornets. A partir daí, era tempo de começar a construção do zero (ou perto disso).

E o que é que qualquer equipa precisa quando começa do zero? Uma estrela à volta da qual construir a equipa. Essa parte ficou também tratada quando ganharam a lotaria do draft e ficaram com a primeira escolha. E a decisão foi fácil: Anthony Davis é um daqueles talentos que aparece uma vez em cada geração e a estrela que precisavam.

No mesmo dia juntaram-lhe um companheiro para o exterior, Austin Rivers, e se o filho de Doc Rivers aprender a passar a bola e a jogar como point guard, podem ter aqui outra peça central para o futuro. Porque a meter a bola no cesto e a marcar pontos não parece ter problemas. A sua posição natural é a de shooting guard, mas os Hornets seleccionaram-no para ser o seu base por muitos e bons anos, porque o lugar de segundo base já estava reservado para Eric Gordon. Não é, por isso, uma escolha tão certa ou segura como a de Anthony Davis e é uma que vamos ter de esperar para ver.

Já tinham dono, já tinham uma estrela e um futuro escudeiro, do que precisavam mais a caminho da free agency? Segurar a outra estrela que já tinham na equipa.  Por isso, o passo seguinte era livrarem-se de todos os veteranos e todos os contratos grandes que tinham para ter o máximo de espaço salarial e a máxima flexibilidade para renovar com Eric Gordon e rodear de ajuda a futura espinha dorsal da equipa. 

Mandaram Okafor e Ariza para Washington em troca de Rashard Lewis e dispensaram Lewis (e o seu gigantesco contrato) imediatamente. E continuaram a razia na folha de ordenados ao mandarem Jarret Jack para os Warriors.

Embora com alguma atribulação (Gordon queria ir para Phoenix), a parte de segurar a outra estrela da equipa ficou tratada com a renovação do shooting guard por 5 anos. Era tempo de ir procurar ajuda para os pilares da equipa e continuar a formar um núcleo. E assim contrataram o Most Improved Player da temporada passada, Ryan Anderson. 

Rivers-Gordon-Anderson-Davis já é qualquer coisa apresentável, embora vá ser precisa alguma ginástica de Monty Williams para encaixar estas peças. Anderson e Davis são originalmente power forwards e apesar de Davis poder fazer minutos a poste e Anderson fazer minutos a small forward, nenhum deles será o melhor-que-podem-ser nessas adaptações. 

Fazendo um resumo muito rápido da offseason dos Hornets: encontraram um dono, conseguiram uma estrela, renovaram com a outra estrela, adicionaram uma possível estrela (Rivers), adicionaram mais uma peça segura para o núcleo (Anderson), livraram-se de todos os contratos grandes que tinham e têm espaço salarial para gastar. Ainda há muito trabalho a fazer (a equipa é ainda muito curta e algumas das principais peças ainda precisam de desenvolvimento) e este foi apenas o primeiro ano da reconstrução. Mas para quem começou do zero, não é um começo nada mau.

Nota: 12


(a seguir: Southwest Division - San Antonio Spurs)

6 comentários:

  1. Não concordo com a análise... Para mim levavam menos de 7... E só lhes dava esse valor porque fizeram as duas coisas que era "obrigados" a fazer. Ir buscar o melhor jogador do draft e renovar com o melhor da equipa.
    A partir daí uma enormidade de erros. A escolha do Austin Rivers é má! O rapaz não é base nem nunca há de ser. Já se viu os problemas na summer league. Para escolherem um base tinham o kendall marshal. Se bem que podiam era ter escolhido outro poste (Tyller Zeller) que para mim era o que fariam melhor.
    A aquisição do Ryan Anderson ainda revela mais estupidez. Vão pagar perto de 10M por época a um jogador que ou vai ser suplente ou vai enterrar a equipa.
    Se ele jogar a 4 as outras equipas com um 5 decente vão comer o A. Davies sempre pois ele não tem corpo.
    Se ele jogar a 3 todas as equipas o vão papar que ele não tem velocidade para marcar um 3.
    Portanto para mim ele vai começar no banco e vai ser o Robin Lopez o titular ao lado do A. Davies.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo com o ponto de irem buscar outro que não o Rivers. O Marshall, corrijam-me se estou enganado, era o único base "old-school" do draft, e provavelmente teria sido melhor aquisição.
      E o Rivers não é base, como já foi dito. Não sei se vai conseguir ser ou não, veremos.
      Se escolhessem outro poste ficavam fracos no backcourt.

      De resto, também não os vejo a fazer grande coisa, a não ser que anderson, davis e gordon estejam no seu melhor.

      Eliminar
    2. Havia mais um mas é mais fraco... Ou pelo menos é menos conhecido, eu pelo menos só o vi jogar uma vez. Que é o Scott Machado. Mas esse foi escolhido na segunda ronda se não estou enganado.
      Sim ficavam fracos no backcourt mas este ano é para mandar fora, é para lutar pelos últimos lugares e rezar ter sorte na lutaria outra vez...

      Eliminar
    3. Acho que o Scott Machado nem foi escolhido no draft, foi contratado depois. É aquele que está nos rockets?

      Não havia só esse, havia o Tyshawn Taylor, acho que é assim, e o Marquis Teague, que foram escolhidos pelos Nets e bulls e por acaso gosto do que vi de ambos.

      Eliminar
    4. Acho que sim pelo menos tenho ideia que o vi jogar na summer league pelos rockets...
      Sim mas nem um nem outro são bases do género dos dois que disse.
      São muito menos jogadores de organizar a equipa e mais jogadores de atacar o cesto. O Tyshawn é maluco da cabeça, tanto faz uma jogada de génio como na jogada a seguir faz a maior borrada possível.
      O Marquis durante a March Madness jogou muito bem também gostei. O resto do ano foi muito fraco e mesmo na summer league jogou muito mal, não faz decisões certas e o lançamento longo/média distância não entra...

      Eliminar
  2. alguem sabe se a sport tv vai transmitir os jogos desta epoca?

    ResponderEliminar