14.6.13

Heat x Spurs - 4º Round


LeBron Raymone James? "Presente!" Dwyane Tyrone Wade? "Presente!" Christopher Wesson Bosh? "Presente!" Com os Heat a precisarem obrigatoriamente de ganhar (ou ficavam com uma desvantagem da qual nenhuma equipa recuperou numas Finais), o Big Three dos Heat não faltou à chamada e James, Wade e Bosh fizeram o seu melhor jogo destas Finais (33 pts, 11 res, 4 ast, 2 rb e 2 dl para James; 32 pts, 6 res, 4 ast e 6 rb para Wade; 20 pts, 13 res, 2 rb e 2dl para Bosh). E quando estes três carburam no mesmo jogo, os Heat são praticamente imbatíveis.


Entre os três marcaram 85 pontos, ganharam 30 ressaltos, fizeram 9 assistências, roubaram 10 bolas e desarmaram 5 lançamentos! Wade reencarnou no Flash de 2006 (alguém ainda se lembrava da última vez que Wade tinha marcado mais de 30 pontos?), James voltou à forma de MVP e Bosh foi uma força no interior (sim, não é erro, Bosh foi o melhor jogador interior do jogo e fez um excelente trabalho como único defensor interior dos Heat).

Nem Erik Spoelstra faltou à chamada. O treinador dos Heat mudou a estratégia e regressou ao small ball que tantos frutos rendeu na temporada regular. Os Heat tinham abandonado essa estratégia na série com os Pacers e mantiveram-na nos primeiros três jogos das Finais. Mas depois do desastre do jogo 3, Spoelstra tirou Chris Andersen, meteu Mike Miller no cinco inicial e mandou LeBron James para power forward.

E com essa mudança os Heat romperam por completo o plano defensivo dos Spurs. Tiago Splitter ficou sem um jogador que conseguisse defender (e no ataque nunca conseguiu ajustar-se aos defensores mais rápidos e móveis) e os Spurs foram obrigados a jogar apenas com um jogador interior. Danny Green explicou-o bem no fim do jogo: "Criou um mismatch para nós, especialmente com D-Wade. Tivemos o nosso 4 a defendê-lo durante uma grande parte do jogo e conseguiram arrancar mais faltas. Permitiu-lhes também acompanhar-nos na defesa. Eles são agressivos, rodam muito rápido, (e no ataque) movem mais a bola. Conseguiram atacar o  cesto e ter boas situações de lançamento."

No small ball os Heat são a melhor equipa da NBA e ontem mostraram-no mais uma vez. Contra os Pacers foram obrigados a abandonar essa estratégia porque a equipa de Indiana fazia-os pagar na defesa (metendo a bola dentro em Hibbert e West). O que ganhavam no ataque, não compensava o que perdiam na defesa. Mas com Tim Duncan a não conseguir impôr-se no interior e com Splitter a eclipsar-se por completo contra essa defesa mais móvel, ontem os Heat puderam manter a estratégia durante todo o jogo (Haslem jogou apenas 10 mins e Andersen nem entrou). 

Os Spurs precisam de meter a bola dentro e jogar mais (e melhor) a poste (e mal podemos esperar para ver o que Popovich vai preparar para o jogo 5) se querem contrariar o small ball de Miami. Porque nesse estilo de jogo os Heat estão como peixe dentro de água. 

Foram activos e agressivos na defesa, provocaram mais turnovers, tiveram mais contra-ataques e transições rápidas, LeBron atacou o cesto cedo (muitas vezes nos primeiros segundos do ataque e antes que a defesa dos Spurs estivesse montada), penetrou, jogou a poste, lançou de fora e foi o jogador agressivo e versátil que é capaz (e que precisa ser para ultrapassar a defesa dos Spurs). No jogo 3, LeBron facilitou o trabalho da defesa, ontem nem um bocadinho. E Wade jogou como se estivéssemos em 2006. E Bosh jogou (ponto). E, como quase sempre sucede quando tudo isto acontece no mesmo jogo, os Heat ganharam.


Têm sido umas Finais peculiares. Em 4 jogos, três ficaram decididos bem antes do apito final e acabaram com os suplentes a jogar. Só o primeiro jogo é que foi equilibrado até ao fim e os outros três terminaram com 19, 36 e 16 pontos de diferença. Mas apesar disso (e se olharmos só para os resultados pode não parecer), tem sido uma série equilibrada. Pode não estar a sê-lo dentro de cada jogo, mas tem-no sido no global. Uma equipa ataca num jogo e a outra responde no outro. Tem sido uma série de golpe e contra-golpe. Vamos ver se, no próximo jogo, os Spurs conseguem aplicar o seu contra-golpe ou se os Heat conseguem dois golpes seguidos. 

9 comentários:

  1. Chris Bosh não é assim tao mau como alguns o pintam. Saiu claramente vencedor ontem no duelo com o Tim Duncan.

    ResponderEliminar
  2. pessoal, gostava que me explicasssem o que é jogar em small ball. em que consiste esse tipo de jogo que o márcio disse que a equipa dos heat era exímia..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E jogar só com um (ou mesmo com nenhum) jogador interior de origem.
      As equipas da NBA tradicionalmente (ou se tiverem jogadores para isso) jogam com dois jogadores interiores (um power forward/extremo-poste e um center/poste). É o chamado big ball.

      Mas equipas com falta de jogadores interiores (ou com falta de talento e tamanho aí, como os Heat), podem jogar com cincos mais baixos (e mais rápidos e móveis), para compensar essa falta de tamanho no interior. É o chamado small ball.

      Eliminar
    2. Márcio, achas q a equipa de miami poderia jogar com o andersen no 5 inicial da vez do haslem? o haslem é mesmo melhor jogador»? é que eu acho que o birdman tem jogado muito melhor do que ele? ... e jogando assim em small-ball, não obriga o chris bosh a ter o dobro do trabalho defensivo? Dessa forma, não se torna um alvo muito fácil para o Tim Duncan? E achas que o Lebron joga melhor como extremo ou como poste baixo? Obrigado pela atenção, eu não sou grande especialista em basquetebol, mas amo ver nba e gostava de compreender melhor..

      Eliminar
  3. Stoudemire14/06/13, 16:33

    E pronto afinal o James "não tinha passado o auge físico LOL", o Spurs ainda não "eram campeões" e por aí fora... Surpreende-me pessoas que se dizem seguidoras da NBA ainda caírem no erro de tirar conclusões precipitadas e com base num jogo, mas se até os ex-jogadores e comentadores o fazem...
    Ou muito me engano ou quem ganhar o próximo é campeão, é concerteza o jogo pivot da série. Se for Miami tem quase 90% da tarefa completa, se forem os Spurs dou-lhes uns 70%.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Stoudemire, acho que não entendeste o que eu queria dizer ou então expliquei-me mal.. Lebroon está no auge da carreira (ponto). Mas no jogo 2 e 3, algo se passava com ele.. ou estava cansado ou estava com alguma lesão.. Não mistures o ponto máximo da carreira, com o seu físico, são 2 situações diferentes. O que eu queria dizer é que se calhar já não aguenta estar em alta rotação durante tantos jogos seguidos e pouco tempo de descanso. Depois do jogo de ontem, ficou provado que o jogo 2 e 3 ou deveu-se a questões psicológicas ou as coisas correm-lhe mal, porque ontem o jogo dele foi completamente diferente.
      Jogo fantástico do James e Wade.. é 1 prazer vê-los jogar daquela maneira.. Jogo muito bom de Miami que foram vencedores claros.

      Sempre tive dúvidas que o Splitter fosse bom jogador, mas como via poucos jogos dos spurs, podia estar equivocado. Mas nesta série, este jogador revela-se muito fraquinho mesmo. Sou o único a achar?


      Eliminar
    2. Rui M, os Heat - não são a "minha" equipa, mas quem gosta verdadeiramente de basquete, tem que gostar de ver os grandes jogadores e Heat têm-nos - reagiram como grande equipa que são, ao sentirem-se acossados. Como referi antes, se tivessem perdido ontem, não acredito que ainda tivessem hipóteses de ser campeões, e eles (tanto como os Spurs) querem-no ser, especialmente sabendo que são eles os campeões em título, além de terem a defender a reputação do triunvirato que eles próprios formaram com o intuito de se tornarem uma força preponderante.
      Parece-me que aos 27/28 anos é a idade em que um jogador atinge o seu auge. E é a idade de Lebron. Não sei o que se terá passado nos 2 jogos anteriores, mas não há nenhum jogador que jogue sempre bem (nem nunca houve). Quanto a mim, foram só 2 jogos menos conseguidos.
      Spliter tem muito que trabalhar se quiser ser um jogador razoável sequer.

      Eliminar
  4. Foi um grande jogo dos Big 3 e não podia ser de outra maneira se não queriam ir para casa mais cedo. Portanto, outro que não fosse este resultado é que me surpreenderia.
    Além da análise - com a qual estou de acordo - como tinha dito antes, o jogo 3 era irrepetível isto porque quer Green, quer Neal tinham estado superlativos no jogo 3 e isso não é o normal deles. Isto é, o resultado anormal foi o do jogo 3 e não o de ontem.
    Para além disso, há duas notas que não posso deixar escapar: o Spliter parece que atrapalha mais do outra coisa, e isso não foi visível só neste jogo. A 2ª é que os Big 3 de San Antonio ontem estiveram muito abaixo das suas potencialidades (sabe-se que Parker não está bem fisicamente e na 2ª parte a sua presença foi irrelevante, e Duncan já não vai para novo). Falta saber se recuperarão para o próximo jogo que será crucial para ambas as equipas. Uma derrota dos Spurs e acabam-se as Finais.

    ResponderEliminar
  5. Força Miami! Que finais vertiginosas! Cada vez é mais difícil fazer previsões em relação ao que vai acontecer a seguir. A única previsão possível: é que qualquer coisa poderá acontecer. É o que acontece quando 2 equipas estão carregadas de talento.

    ResponderEliminar