1.7.13

Está aberta a época da caça


Como habitualmente, o dia de hoje marca o início da época da caça aos free agents. E, como habitualmente, é também a época de milhões de rumores e boatos. A cada minuto que passa, há alguma equipa supostamente interessada nalgum jogador, trinta destinos e cenários possíveis para cada free agent e novos rumores a correr mundo. Também como habitualmente, já sabem que (se não sabem, aqui fica) não comentamos rumores e boatos e reservamos a nossa análise para negócios confirmados.

Até dia 10, o dia em que as equipas podem oficializar contratos e assinar jogadores, é época de negociações e contactos entre jogadores e equipas e o máximo que temos são acordos verbais. Por isso, aqui ficam os que temos até agora confirmados por alguma fonte oficial (o próprio jogador, um agente do jogador e/ou algum dirigente da equipa em questão):

- Chris Paul, como esperado, vai renovar com os Clippers (ninguém tinha grandes esperanças que ele mudasse de equipa e depois da contratação de Doc Rivers a renovação de CP3 era uma notícia apenas adiada). O jogador anunciou-o no Twitter e o seu agente também já o confirmou.



- Os Knicks e os Raptors têm um acordo para trocar Andrea Bargnani por Steve Novak, Marcus Camby, Quentin Richardson, uma 1º ronda (2016) e duas 2ªs rondas (2014 e 2017). As fontes que confirmam este acordo são anónimas até agora, mas Camby já o comentou (e não se mostrou muito contente com o mesmo).

- Os Pacers fizeram uma oferta a Tyler Hansbrough (que é agente livre com restrições e os Pacers podem igualar qualquer oferta que ele receba) para renovar. Mas anunciaram também que o seu principal objectivo da free agency é renovar com David West (e se alguém fizer uma oferta muito alta a Hansbrough não irão cobrir, provavelmente).

- Ray Allen (Heat), Jerrid Bayless (Grizzlies), Trevor Ariza (Wizards), Emeka Okafor (Wizards), Boris Diaw (Spurs), Patty Mills (Spurs), Ben Gordon (Bobcats), Marvin Williams (Jazz), Metta World Peace (Lakers), Richard Jefferson (Warriors), James Jones (Heat), Rashard Lewis (Heat) activaram o seu ano de opção e estão todos fora do mercado e vão continuar com as suas equipas.

- JR Smith, Andrei Kirilenko e Carl Landry não activaram as suas e estão no mercado.

- E os Nets e os Celtics têm acordo para a mega-troca que já todos ouvimos: Kevin Garnett, Paul Pierce e Jason Terry para Brooklyn em troca de Gerald Wallace, Kris Humphries, MarShon Brooks Kris Joseph, Keith Bogans e três 1ªs rondas (2014, 2016 e 2018).

É (vai ser) o negócio possível para ambas as equipas. Na nossa opinião, não é um negócio espectacular para nenhumas das equipas, mas precisaremos dum post mais longo para explicarmos as nossas razões. E uma troca desta dimensão merece um artigo exclusivo e uma explicação mais detalhada. Lá iremos num post futuro. Mas podemos adiantar já que não é o melhor negócio para os Celtics e é, para os Nets, um bom negócio no imediato (não conseguiriam provavelmente melhor com a situação salarial que já têm), mas que pode não ser suficiente para chegar ao título, nem agora nem a médio prazo.


(e é basicamente isso para já. Durante os próximos dias vamos continuar a ouvir milhões de boatos, Dwight Howard  estará inclinado para assinar com 5 equipas diferentes, metade das equipas da liga estarão interessadas em Josh Smith e Andre Iguodala e a outra metade quererão JR Smith. Nós cá estaremos para comentar os acordos que forem confirmados. E boa caça!)

12 comentários:

  1. Ainda não tinha visto essa troca entre os Celtics e os Nets, mas parece-me horrível (pelo menos a curto prazo) para os Celtics e vantajosa (a curto prazo, curto mesmo) para os "esbanjadores" Nets.

    Quanto à ida de Bargnani para NY, não me parece uma grande aquisição por parte da equipa do MSG. Josh Smith era excelente, JJ Hickson dava a sustentabilidade defensiva que os Knicks não têm e Carl Landry era outra opção a ter em conta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é a trade mais incompreensível da Free Agency até agora...o Bargnani neste momento nem sequer é jogador para estar na nba mas ok. Pode ser que os novos ares puxem por ele.

      Eliminar
    2. Só tem tiro exterior bom para um PF. De resto, um jogador completamente banal.

      Eliminar
    3. Só tem bom tiro exterior, o que não é normal num PF. De resto, é um jogador banal.

      Eliminar
  2. Celtics vai rebentar com tudo. Rondo também será trocado, quase de certeza. Com picks pelo meio. Preparem-se para uma época de tanking bruto. Celtics umas das piores equipas será estranho mas real. A ideia é mesmo Wiggins , J. Parker e Amigos. Bobcats é que este ano vão ter muita luta entre quem vai ser a pior equipa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Rondo is on board with the rebuild"; "Ainge: "we are not tanking".

      Eliminar
    2. Também pensei que o Rondo pudesse ser trocado. Certamente que ele não vai gostar muito de perder anos da carreira amarrado a uma equipa em rebuild, por isso a trade está sempre em cima da mesa, até porque o Ainge já disse que vai continuar a ouvir propostas.

      O que acho que o Ainge quer fazer é um tanking disfarçado de Bobcats, ou seja: O Rondo não volta no inicio da época, pode eventualmente voltar la para Março (se não der numa de DRose, porque ser der numa de DRose os Celtics até agradeciam), ora nessa altura os Celtics já devem ter perdido bastantes jogos,os PO estão arrumados. Depois quando voltar não vai ser o mesmo Rondo, vai precisar de tempo para se adaptar, ganhar ritmo portanto nessa altura já os Celtics perderam imensos jogos (Tanking à lá Bobcats) e depois o mais obvio é com a temporada para esquecer, fazer um tanking bem feito para terem melhor hipóteses no draft (mesmo que agora digam que não o vão fazer). Para mim os C's vão usar a lesão do Rondo um bocado como bode expiatório...

      Eliminar
  3. Pat Riley, limpa com o Miller e o Chalmers, e trás o Rondo. Depois limpa com o Bosh e mais um que aches conveniente, e trás um bom center. Nem precisa ser uma estrela, porque mesmo não há muitos e os poucos que há os Heat não têm hipotese de agarrar.
    Péssimo para os Heat o James Jones permanecer, mas se não der problemas no balneário já não é mau.
    Penso que o Paul fez bem em permanecer nos Clippers, porque acho que o Rivers vai fazer um excelente trabalho, e dentro dos seus jogadores, o Paul será a referência que ele precisa.
    Caso a troca entre Celtics e Nets se confirme, acho que é má para ambos, mas da parte dos Celtics, tal como foi referido, o objectivo claro é a reconstrução total e os Nets querem lutar imediatamente para o título, mas acho que esta equipa montada assim de repente, com um provável cinco inicial que não tem rotinas de jogo,não vai chegar para Heat, Pacers, Knicks, acho eu. Além disso, o Garnett e o Pierce já não têm 30 anos e precisam de descansar muitos minutos e até agora o banco que eles têm parece-me fraco, e pior que isso em relação à aposta, se não conseguem este ano ou no próximo chegar muito longe, não é depois que o conseguirão de certeza, embora também desconfio muito que na free agency de 2014 esta será uma das equipas que "atacará" mais o LeBron. Será mais uma big decision a não perder, de onde surgirão novos ódios e amores lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente se o próximo ano não for o ano dos Nets não sei quando vai ser. Um 5 inicial com D-Will, Joe Johnson, Paul Pierce, Kevin Garnett e Brook Lopez - com Jason Kidd a treinador (incógnita ainda) - é fortíssimo. Mas também os Lakers tinham um 5 melhor ainda e foi o que foi.

      Eliminar
    2. O Rondo e o Ray Allen são neste momento incompatíveis. Limpar com o Bosh e trazer um center de jeito faz sentido.

      Quanto aos Nets não vão ter hipotese na Conferência Este (que é a mais fraca) quanto mais com a Oeste. Não acredito que aquilo dê nalguma coisa, e esta fraca prestação dos Nets pode ajudar os Celtics com as futuras draft picks...

      Eliminar
    3. Stoudemire03/07/13, 01:51

      Para quê o Rondo quando se tem um playmaker como o Lebron.
      Os Heat têm é de encontrar 2 big men

      Eliminar
  4. Eu tenho noção que o Rondo e o Allen não se dão bem, mas acho que caso houvesse a oportunidade do Rondo ir para a Miami (não sei se há ou não porque estava apenas acima a especular o que eu gostava), eu se fosse presidente não a punha em causa devido a dois jogadores que não se dão mt bem, porque pelos vistos os problemas deles são mais pessoais do que dentro do recinto de jogo e haviam de ter paciencia e esforçarem-se a jogar bem juntos, porque quem ficava a ganhar eram os Heat e a possibilidade de um novo título aumentava. Fora dos treinos, das palestras e dos jogos, podiam nem olhar nem falar um com o outro sequer, mas dentro deles haviam de ser homenzinhos e fazer o melhor pela equipa. É óbvio que quanto maior for a união da equipa, incluindo fora de campo, muito melhor, mas acho que eles os dois poderiam contornar isso. O Allen acredito que sim. O Rondo talvez, porque aquela cabeça é meia estranha.
    Fábio Teixeira, é verdade, nem me lembrava também do Kidd a treinador. Já achava um risco tremendo antes, e então agora a treinar mais dois jogadores que passo a expressão "andaram com ele na escola" pode ser muito mau. Até pode vir a dar certo, mas é sempre aconselhável começar a carreira de treinador mais por baixo, e de repente o Kidd deu-se a ser treinador de uma equipa supostamente montada para ser campeã o mais rápido possível.

    ResponderEliminar