12.10.13

Boletim de Avaliação - New Orleans Pelicans


Depois de Mavs, Rockets e Grizzlies, vamos até à Big Easy ver o que mudou nos ex-Hornets para além do nome (e ver se as mudanças no plantel correram melhor que as mudanças nos equipamentos):


BOLETIM DE AVALIAÇÃO - NEW ORLEANS PELICANS

Saídas: Greivis Vasquez, Robin Lopez, Xavier Henry, Roger Mason, Louis Amundson, Terrell Harris
Entradas: Jrue Holiday, Tyreke Evans, Anthony Morrow, Greg Stiemsma, Jeff Whitey (39ª escolha no draft)
Cinco Inicial: Jrue Holiday - Eric Gordon - Tyreke Evans - Ryan Anderson - Anthony Davis
Banco: Brian Roberts - Austin Rivers - Anthony Morrow - Al Farouq Aminu - Jason Smith - Greg Stiemsma
Treinador: Monty Williams

Balanço: Este foi um verão de mudança em New Orleans. Mudaram de identidade, de nome e de equipamento e os Hornets deram lugar aos Pelicans. Mas as mudanças não ficaram apenas pela imagem. 

Também foram bastante activos na offseason e fizeram grandes mudanças no plantel. Começaram logo no dia do draft, quando trocaram Nerlens Noel (que escolheram na 6ª posição) e uma 1ª ronda no draft de 2014 por Jrue Holiday. A troca foi bastante criticada e muitos viam Noel e Anthony Davis como as novas Torres Gémeas e uma dupla para o futuro da equipa. Mas os Pelicans preferiram trocar um projecto de jogador por uma certeza.

E bem, na nossa opinião. Holiday é um All Star ainda com margem de progressão que foi uma das revelações da última temporada e que será um dos melhores bases da liga na próxima década. Um jogador que pode ou não dar jogador de topo (e numa posição onde já têm um jogador semelhante e melhor) por um que lhes dá garantias e soluciona a posição de base por muitos e bons anos? Mesmo com a 1ª ronda em 2014 (que, de qualquer forma, não tem muitas hipóteses de ser nos primeiros lugares), é um bom negócio.

Continuaram activos e agressivos na free agency e fizeram uma oferta grande a Tyreke Evans. Uma oferta que os Kings não igualaram e chegaram a acordo para um sign and trade (na verdade foi um negócio entre 3 equipas, com os Pelicans a dar Vasquez e Robin Lopez - que foi para os Blazers - para receber Evans). Com a contratação de Holiday, Vasquez era dispensável e optaram por reforçar outra posição.

Não é a solução mais ortodoxa, pois Evans é um shooting guard e para essa posição já têm Eric Gordon. Por isso, se Evans jogar como 6º homem, é um suplente muito caro. Se, como parece ser o plano, jogarem com Holiday, Gordon e Evans no cinco inicial, ficam com um cinco pouco tradicional (e baixo), mas que pode ser bastante móvel e versátil no ataque.
Já na defesa podem ter problemas com esse cinco. Evans e Gordon não são grandes defensores, Ryan Anderson também não, por isso, vão depender mais (demais?) de Anthony Davis para proteger o cesto.

E esse é o maior desafio de Monty Williams nesta temporada: conseguir encaixar Holiday, Gordon e Evans no ataque e conseguir montar uma defesa decente com esse cinco.

No ano passado, a defesa era um dos maiores problemas da equipa e estas mudanças continuam a colocar desafios nessa metade do campo. Mas fizeram outras movimentações para compensar essa parte: renovaram com Al Farouq Aminu, que lhes dá uma opção mais defensiva para small forward, e contrataram Greg Stiemsma para reforçar a defesa interior.

E, com isso, devem melhorar um pouco nesse departamento. Holiday é muito melhor defesa que Vaszquez e Aminu e Greg Stiemsma vão ajudar nessa parte; Stiemsma é um reforço para a posição onde já são melhores defensivamente, mas com este perímetro vão precisar de mais gente lá em baixo.

Não foi o plano mais ortodoxo e o dinheiro investido em Holiday e Evans (4 anos e 41 milhões no primeiro, 4 anos e 44 milhões no segundo) pode ser um problema se a experiência não correr bem (porque se não correr bem, estão comprometidos com estes jogadores por vários anos e Evans a receber 11 milhões por ano não será fácil de trocar). Mas puseram-se em posição de correr bem e de ter uma equipa que, embora pouco tradicional, pode colocar muitos problemas de matchups às defesas adversárias.

Arriscaram e vamos ter de ver como corre a aposta. Mas quem não arrisca, não petisca.

Nota: 13

1 comentário:

  1. Tenho uma pergunta.... Nerlens Noel é de facto um risco. Holyday é sem dúvida uma aposta acertada! Não teria sido melhor ficarem com a dupla Davis/Noel, manter o Vasquez mais 1 ano, quiçá fazer um pouco de tanking aqui e ali e tentar a sorte no próximo Draft que é um dos melhores dos ultimos anos??? E no próximo ano viam-se com uma equipa super-prometedora!!!!

    ResponderEliminar