13.6.14

Heat x Spurs - jogo 4 - Noite de San(to) Antonio



UAU! Falávamos no último episódio do Triplo Duplo, nas previsões para os dois jogos em Miami, que todos os cenários eram possíveis para esse par de encontros. Tanto era possível que dividissem as vitórias e a série ficasse empatada a 2, como era possível que os Heat ganharem os dois e ficasse 3-1 para o seu lado, como também era possível que os Spurs ganhassem os dois e ficasse 3-1 para eles. Esperávamos equilíbrio e dois jogos que podiam cair para qualquer um dos lados.

Mas não imaginávamos (nem os fãs mais ferrenhos dos Spurs imaginariam), antes do jogo 3, que os Spurs saíssem da American Airlines Arena com duas demolições dos Heat e duas vitórias tão esmagadoras. Foi a primeira vez nos últimos 49 jogos (desde 2012) que os Heat perderam dois jogos consecutivos nos playoffs. E foi a primeira vez na história das Finais que uma equipa ganhou dois jogos seguidos fora de casa por mais de 15 pontos. Os Spurs são ainda a segunda equipa na história (depois dos Celtics em 1960) com três vitórias nas Finais por 15 ou mais pontos.

É quão históricos foram estes dois jogos dos Spurs (e quão histórica está a ser esta série para eles). Depois do recital ofensivo do jogo 3, ontem, enquanto em Lisboa se celebrava a noite de Santo António, na Florida a noite foi toda dos San Antonio:


No ataque, continuaram uma máquina oleada e precisa, a atacar o cesto, a circular a bola de forma exemplar, sempre à procura do passe extra e da melhor situação de lançamento possível. "From good to great" é o lema da equipa no ataque e ontem, mais uma vez, executaram-no na perfeição.

Mas ontem, ao bom ataque juntaram também o seu melhor jogo defensivo da série. Desse lado do campo foram também uma máquina precisa e oleada: rotações defensivas exemplares, ajudas sempre bem posicionadas, rápidos e coordenados a rodar e muito agressivos e activos sobre a bola. Fecharam a área restritiva a sete chaves (ao intervalo, 4 em 15 e apenas 8 pts no garrafão para Miami) e na primeira parte fizeram os Heat parecer uns Pacers no ataque (apenas 33 pontos marcados, com 35% nos lançamentos)!

Foi um jogo quase perfeito da equipa de Gregg Popovich em ambos os lados do campo e mais uma exibição demolidora.
___

Do lado dos Heat, voltámos a ter muito pouco de qualquer jogador não chamado LeBron.
Spoelstra sabe que não ganha aos Spurs assim e que precisa de mais produção dos outros jogadores. Por isso, começaram o jogo a tentar envolver outros jogadores no ataque. Foram para Bosh (aos 4:59 do 1º já tinha tantos lançamentos como em todo o jogo 3), para Chalmers, para Lewis, para Allen, mas, devido às boas rotações defensivas dos Spurs (aí começou a sua excelente defesa), sem grande sucesso. Nunca conseguiram ser constantes ou encontrar qualquer ritmo no ataque, a movimentação de bola só foi boa em alguns (raros) momentos e ficaram sempre pelas jogadas e esforços individuais.

E, para além de LeBron, ninguém conseguiu grande coisa nessas jogadas individuais. Chalmers e Cole continuaram a ser nulidades no ataque (Spoelstra foi ao fundo da rotação e meteu Toney Douglas, para vermos quão desesperado ele deve estar por alguma produção na posição), Wade teve o seu jogo mais fraco da série (10 pts, 3-13 em lançamentos) e Allen e Bosh só apareceram ocasionalmente.

LeBron James carregou a equipa numa (ténue) tentativa de recuperação no 3º e marcou 19 pontos no período. O resto da equipa? 2. LeBron no fim do 3º período? 28 pontos. Pontos de todos os outros Heat juntos? 29.


E se ofensivamente não tiveram grande coisa de ninguém não chamado LeBron, defensivamente não tiveram grande coisa de ninguém. Na defesa (que sempre foi uma das marcas e pontos fortes desta equipa) foram passivos, pouco agressivos sobre o portador da bola e lentos nas rotações.

Ontem, pareceram uma equipa exausta, sem energia e resignada. O desgaste físico e mental de quatro idas seguidas às Finais (e a falta de profundidade do plantel) parecem estar a pesar e os Heat não parecem ter nem frescura física nem mental para ganhar a estes Spurs. Ontem foi muito San Antonio para muito pouco Miami. A noite foi toda de San Antonio.


(e de Tim Duncan, que teve uma noite de duplo recorde e tornou-se o jogador com mais minutos jogados - 8870, ultrapassando os 8851 de Kareem Abdul-Jabbar - e com mais duplos-duplos - 158, ultrapassou os 157 de Magic Johnson - na história dos playoffs)

4 comentários:

  1. Domingo será O JOGO destas finais, onde teremos um campeão ou se os heat conseguirem ir buscar as ultimas baterias, uma serie que fica 3-2 com os heat a jogarem o 6 em casa, e aí acredito que isto possa mudar tudo de figura com muita sorte, previsão spurs em 7 (4-3) simplesmente porque sou fã e quero sempre que as series vão até a ultima, quanto mais NBA melhor!!

    ResponderEliminar
  2. Papa Valdemares14/06/14, 17:52

    Entendamo-nos: os Heat não venceram o ano passado; os Spurs fizeram como o Benfica e entregaram o título de mão beijada.

    Este ano, estamos na mesma senda, com os Spurs a terem tudo na mão.

    E, mais uma vez, estamos perante um jogador que, neste momento, pode ter chegado diversas vezes ao momento H e ter falhado mais do que ganho. E contra isto não há argumentos possíveis.

    Agora, como diz o povo, o rabo é sempre a pior parte de esfolar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eheheh Through 3rd Quarter:

      LeBron James = 28 Pts
      Rest of Miami Heat = 29 Pts

      enough said :)

      Eliminar