4.10.14

Boletim de Avaliação - Chicago Bulls


Uma divisão já está, vamos à segunda. Depois da análise das equipas da Atlantic Division (podem ver cada um dos boletins aqui: Celtics - Nets - Knicks - SixersRaptors), passamos à Central. E para começar, vamos até à Cidade Ventosa, onde os Bulls não tiveram um Verão nada mau:



Boletim de Avaliação - Chicago Bulls

Saídas: Carlos Boozer, DJ Augustin, Jimmer Fredette, Ronnie Brewer, Mike James, Lou Amundson
Entradas: Pau Gasol, Nikola Mirotic, Aaron Brooks, E'Twaun Moore, Doug McDermott (11ª escolha no draft), Cameron Bairstow (49ª escolha no draft)
Cinco Inicial: Derrick Rose - Jimmy Butler - Mike Dunleavy - Pau Gasol - Joakim Noah
No Banco: Aaron Brooks - Kirk Hinrich - Tony Snell - Doug McDermott - Nikola Mirotic - Taj Gibson - Nazr Mohammed 
Treinador: Tom Thibodeau

Balanço: A temporada passada foi mais um exemplo de tenacidade, garra e superação desta equipa. Depois de, mais uma vez, perder Rose para toda a época e Luol Deng em Janeiro, Tom Thibodeau voltou a fazer milagres e a levar um grupo desfalcado mais longe do que alguém imaginava possível. Joakim Noah, a âncora defensiva do grupo, fez a melhor época da sua carreira e levou para casa o prémio de Defensor do Ano.

Mas há limites para onde podem chegar só com a defesa e precisavam urgentemente de marcadores de pontos e mais e melhores jogadores ofensivos (no último jogo da época marcaram apenas 69 pontos, por exemplo).

E se era pontos que precisavam, Carmelo Anthony era a peça perfeita. O free agent dos Knicks era o grande objectivo dos Bulls nesta offseason e amnistiaram, finalmente, Carlos Boozer para ir atrás dele. Carmelo diz que a única equipa que considerou para além dos Knicks foram os Bulls e se o tivessem conseguido contratar teria sido uma offseason tremenda para os lados de Chicago.

Ainda assim, o plano B não foi nada mau:

Pau Gasol é também uma boa peça e um encaixe perfeito para o ataque dos Bulls. Ficam com uma ameaça ofensiva a poste baixo como não tinham e com mais um big que passa muito bem a bola. Já tinham Noah a passar a partir de poste alto e agora têm Gasol no poste baixo. Estão a ver aqueles cortes nas costas e as assistências de Noah a poste alto? Agora imaginem isso também a poste baixo. E imaginem ainda, para além disso, as combinações poste-poste que podem fazer.

Ficam com dois grandes passadores interiores (provavelmente os dois melhores passadores entre os bigs da liga) e um jogo interior muito mais versátil.

E Pau Gasol pode não ser um grande defensor, mas não é pior que Boozer. Se a defesa dos Bulls já não se ressentia com Boozer e se mesmo com ele era uma das melhores defesas da liga, com Gasol também não haverá problema.

Nikola Mirotic é mais um bom atirador, um extremo-poste de 2.09m que joga de frente para o cesto e no perímetro. Pode jogar como "stretch 4" e ajudar a abrir o campo e parece um jogador capaz de contribuir imediatamente para a equipa.

Podem não ter conseguido a segunda estrela que queriam para aliviar o fardo ofensivo de Derrick Rose, mas conseguiram dois óptimos reforços para o ataque e que vão ajudar a distribuir esse fardo por mais jogadores.

No draft, conseguiram Doug McDermott (enviaram a 16ª e a 19ª escolhas para os Nuggets em troca de McDermott e Anthony Randolph - que dispensaram), que é mais outra óptima peça para o ataque. Precisavam de atiradores e marcadores de pontos, têm mais um em McDermott.

Renovaram ainda com Hinrich (e terem preferido ficar com Hinrich em vez de DJ Augustin poderia ser a única coisa a apontar-lhes na offseason, mas com todos os reforços ofensivos que adicionaram, não podemos censurá-los por terem escolhido defesa neste caso) e contrataram Aaron Brooks (pelo salário mínimo) como substituto de Augustin e como próximo candidato a base que ressuscita a sua carreira nos Bulls.

Os últimos dois bases marcadores de pontos que os Bulls contrataram para compensar a ausência de Rose (Nate Robinson e DJ Augustin) tiveram bastante sucesso no sistema de Thibodeau. Brooks tem características semelhantes (um scorer que não é grande defensor) e pode seguir o mesmo caminho (até porque espera-se que tenha apenas de ser suplente e não tenha de tapar o buraco de Rose, como os dois anteriores).

Já eram das melhores defesas da NBA e nesta offseason fizeram o que precisavam: reforçaram-se do outro lado do campo. Ficaram uma equipa mais completa, mais equilibrada e mais profunda.

Se pensarmos no que podia ter sido a offseason dos Bulls (e aquele plano A valia-lhes praí um 18), esta até pode parecer não tão boa, mas foi uma offseason muito bem sucedida. E com um plano B nada mau.
O destino dos Bulls em 2014-15 vai depender, como sempre, da saúde e da forma de Derrick Rose, mas com um Rose perto do jogador que era, temos candidato.

Nota: 15


(a seguir Central Division - Cleveland Cavaliers)

2 comentários:

  1. Espero que seja este ano que vejo a minha equipa de volta às finais. Acho que a equipa está muito bem montada para tal, mas tudo dependerá de Rose e para ser sincero, não tenho muitas esperanças que ele volte a ser o que foi e o que poderia ser hoje em dia senão fosse aqueles 2 lesões. Espero estar 100% errado mas talvez esteja aqui o Grant Hill 2

    ResponderEliminar
  2. Excelente análise! Acho que o Gasol cabe muito bem nestes Bulls, mas gostava mais de tê-lo visto nos spurs(que dupla com Duncan!. Acho que o sucesso vai depender novamente de como se apresenta Rose, toda a gente está confiante por aquilo que viram no mundial mas esses jogos foram todos "de treino" agora é que se vai ver como está Rose.
    Se o PG estiver a 90% os Bulls são equipa de final de conferência se não estiver ficam-se pela segunda ronda!

    ResponderEliminar