27.10.14

Boletim de Avaliação - Oklahoma City Thunder


Já sabemos que não terminou bem (Kevin Durant vai estar umas semanas de baixa, Anthony Morrow idem) mas, até aí, que tal correu a offseason para os lados de Oklahoma? Depois dos Nuggets e dos Timberwolves, vamos até OKC para ver o que fizeram os Thunder para (tentar) regressar aonde chegaram em 2012:




Boletim de Avaliação - Oklahoma City Thunder

Saídas: Thabo Sefolosha, Caron Butler, Derek Fisher (retirado), Hasheem Thabeet
Entradas: Anthony Morrow, Sebastian Telfair, Mitch McGary (21ª escolha no draft)
Cinco Inicial: Russell Westbrook - Andre Roberson - Kevin Durant - Serge Ibaka - Steven Adams
No Banco: Reggie Jackson - Jeremy Lamb - Anthony Morrow - Perry Jones - Mitch McGary - Nick Collison - Kendrick Perkins
Treinador: Scott Brooks

Balanço: Em 2013, as aquisições foram Ryan Gomes, Andre Roberson e Steven Adams. As duas escolhas que tinham no draft e um jogador marginal que nem acabou a temporada no plantel (foi trocado em Janeiro por uma 2ª ronda) foi tudo o que os Thunder arranjaram para reforçar a equipa. Não fosse Adams ter-se revelado uma das surpresas do draft, ter conquistado um lugar na rotação e contribuído muito mais rápidamente do que esperávamos e o contributo desses três reforços na temporada tinha sido praticamente nulo.

Este ano, adicionaram Anthony Morrow, Sebastian Telfair e o rookie Mitch McGary. O que volta a ser pouco para quem quer levantar o troféu Larry O'Brien.

Ok, esta equipa já nos habituou a apostar pouco na free agency e em preferir (ou ser obrigada a) construir pelo draft. E a aposta nos jovens e no desenvolvimento interno é boa (são das equipas que melhor trabalha nessa área e que melhor desenvolve os seus jogadores jovens). Mas apenas isso não é suficiente.

Como nos mostram os Spurs (uma equipa também de mercado pequeno e cujo modelo e sucesso os Thunder tentam replicar), é preciso misturar estratégias e usar todos os recursos disponíveis. Seleccionar bem no draft e sacar boas peças mesmo sem escolhas altas é fundamental, desenvolver essas peças é fundamental, mas é também necessário completar a equipa com umas trocas e/ou contratações cirúrgicas

E procurar na free agency as peças finais do puzzle. Não é preciso ser um grande nome. Pode ser um Boris Diaw ou um Patty Mills. Uma peça final para complementar as outras e fazer aquela pequena diferença, aquele bocadinho assim que falta. E ainda não foi desta que os Thunder fizeram isso.

Através do draft chegou mais um jogador interior que pode vir a ser um jogador útil, mas não mais do que um role player. Pode ser um novo Nick Collison, lutador, ressaltador, mas limitado tecnica e ofensivamente.

Na free agency, saíram Thabo Sefolosha (que foi perdendo minutos e espaço com o decorrer dos playoffs e era cada vez menos participativo e produtivo no ataque) e Caron Butler (que também foi perdendo espaço - não jogou mesmo no jogo 6 das finais de conferência) e Derek Fisher retirou-se.

Cortejaram Pau Gasol (que seria um encaixe perfeito e a ameaça a poste baixo que sempre faltou a esta equipa), mas este teria de aceitar um corte grande no salário para se juntar a eles. Tentaram (de novo) Mike Miller, mas este preferiu juntar-se a LeBron em Cleveland. E o único jogador estabelecido que acrescentaram foi Anthony Morrow (10 milhões por 3 anos).

Precisavam de mais profundidade, mais versatilidade, e mais atiradores.
Conseguiram Morrow, que é um dos melhores atiradores da liga, vai ajudar bastante nesse departamento e é a melhor contratação dos Thunder na offseason. Mas se essa é a melhor contratação da tua equipa na offseason, esta não pode ter sido grande coisa.

Podem lutar por um título e ir até às Finais? Claro que sim. Tal como nos anos anteriores, E como todos os anos enquanto tiverem Westbrook e Durant. Mas (mais uma vez) não fizeram muito para aumentar essas probabilidades.

Nota: 9



(a seguir: Northwest Division - Portland Trail Blazers)

2 comentários:

  1. Não me espantava nada de ver o Durant em Houston e o Westbrook nos Lakers no espaço de 2 ou 3 anos. Seria uma derrota monumental para o basketball em Oklahoma, mas os donos da equipa puseram-se a jeito...as janelas de oportunidade para ganhar campeonatos costumam ser curtas e os Thunder já estão a abusar da sorte desde a trade do Harden..que lhes rendeu o quê? O Kevin Martin por um ano, Jeremy Lamb e Steven Adams(!)

    ResponderEliminar
  2. Ei Márcio esse ano não teremos o fantasy da ESPN?

    ResponderEliminar