2.10.14

Boletim de Avaliação - Toronto Raptors


Para terminar a avaliação das equipas da Atlantic Division, depois dos Celtics, dos Nets, dos Knicks e dos 76ers, vamos até ao Norte e à única equipa canadiana da NBA:



Boletim de Avaliação - Toronto Raptors

Saídas: John Salmons, Dwight Buycks, Steve Novak, Nando de Colo, Julyan Stone
Entradas: Lou Williams, James Johnson, Greg Stiemsma, Jordan Hamilton, Lucas Nogueira, Will Cherry, Bruno Caboclo (20ª escolha no draft)
Cinco Inicial: Kyle Lowry - DeMar DeRozan - Terrence Ross - Amir Johnson - Jonas Valanciunas
No Banco: Greivis Vasquez - Lou Williams - Jordan Hamilton - Landry Fields - James Johnson - Patrick Patterson - Tyler Hansbrough - Chuck Hayes - Greg Stiemsma
Treinador: Dwane Casey

Balanço: Depois de uma das melhores (e mais surpreendentes) temporadas da equipa, Masai Ujiri apostou na continuidade deste grupo que foi montado e retocado durante o decorrer da época. Recordemos que, para surpresa de todos, foi depois da troca de Rudy Gay em Dezembro (quando pensávamos que iam desistir da temporada e começar uma revolução no plantel) que os Raptors se encontraram, descobriram uma equipa mais equilibrada (dois dos jogadores que receberam nessa troca, Vasquez e Patterson, tornaram-se jogadores fundamentais na rotação) e descolaram na tabela.

Por isso, Ujiri decidiu continuar com esse grupo. Começou por renovar por mais três anos com o treinador Dwane Casey em Maio, logo após os playoffs. 
Depois, na free agency, conseguiu segurar Kyle Lowry (que era um dos free agents mais cobiçados deste Verão e era agente livre sem restrições) e renovaram com ele por 4 anos e 48 milhões. 

Renovaram também com Patrick Patterson e Greivis Vasquez (por cerca de 6 milhões/ano cada um) e, numa troca com os Hawks, transformaram John Salmons e uma 2ª ronda em Lou Williams e Lucas Nogueira. Este segundo é uma aposta para o futuro e não vai contribuir imediatamente (tal como a escolha de Bruno Caboclo no draft; são dois projectos), mas Williams é mais um óptimo reforço para o banco. 

Para terminar, contrataram ainda mais três elementos úteis para completar esse banco, Jordan Hamilton, Greg Stiemsma e James Johnson (estes dois últimos para duas áreas onde precisavam de se reforçar: a defesa interior e protecção do cesto; e a defesa exterior - precisavam de um extremo maior que Ross para a defesa do perímetro e para defender extremos maiores).

E conseguiram tudo isso, perdendo apenas um jogador da rotação e quatro jogadores do fundo do banco e que não entravam (ou mal entravam) na rotação. 

Masai Ujiri conseguiu trazer de volta o grupo do ano passado e renovar todos os seus free agents a preços justos. E ficar com uma equipa equilibrada, mais profunda, com potencial e margem de crescimento, a um bom preço: dois All Stars (DeRozan e Lowry, um que já é e um que devia ter sido) a 9 e 12 milhões, respectivamente; Amir Johnson a 7; e vários bons jogadores entre 3 e 6 (Vasquez, Patterson, Williams, Valanciunas, Ross, Hansbrough).

Ficaram com uma equipa melhor que a do ano passado? Não muito, mas melhoraram o banco (o que é sempre importante na longa temporada regular) e apostaram (e bem) na continuação de um grupo jovem e ainda com bastante margem de progressão. E por terem conseguido não perder nenhum dos elementos desse grupo e reforçar (ainda que pouco) esse grupo, já foi uma offseason bastante bem sucedida.

Nota: 13


(a seguir: Central Division - Chicago Bulls)

1 comentário:

  1. Adoro o Greivis Vásquez. Juntamente com o Larry Sanders são dois dos meus jogadores preferidos. Assim dos pouco falados.

    ResponderEliminar