11.10.15

Boletim de Avaliação - Phoenix Suns


Já passámos por Oakland para ver como correu a offseason dos campeões Warriors e por Los Angeles para ver como correu a dos Clippers e a dos Lakers. Hoje vamos até ao Arizona, onde os Verões são escaldantes e onde os Suns quase que tinham uma offseason assim:


Boletim de Avaliação - Phoenix Suns

Saídas: Marcus Morris, Gerald Green, Miles Plumlee, Brandan Wright, Danny Granger, Reggie Bullock
Entradas: Tyson Chandler, Sonny Weems, Jon Leuer, Mirza Teletovic, Devin Booker (13ª escolha no draft)
Cinco Inicial: Brandon Knight - Eric Bledsoe - PJ Tucker - Markieff Morris - Tyson Chandler
No banco: Archie Goodwin - Devin Booker - TJ Warren - Sonny Weems - Mirza Teletovic - Jon Leuer - Alex Len
Treinador: Jeff Hornacek

Balanço: Quase. Quase que conseguiam o LaMarcus Aldridge. Quase que ficavam com uma grande equipa. Quase que tinham uma grande offseason.

Enviaram Marcus Morris, Danny Granger e Reggie Bullock para os Pistons em troca de uma 2ª ronda para libertar espaço salarial para perseguir Aldridge e ofereceram um inesperado e generoso contrato a Tyson Chandler para formar uma dupla interior de respeito com o (então) jogador dos Blazers.

Mas a única coisa que conseguiram foi ficar com um grande compromisso com um poste que já não vai para novo e arranjar um problema com o outro gémeo Morris. O contrato de Chandler (52 milhões por 4 anos) não vai parecer tão alto quando o tecto salarial subir, mas mesmo assim é um grande contrato para um jogador que já tem 32 anos (e uns 32 anos muito rodados, já que ele foi para a NBA diretamente do liceu e esta vai ser já a sua 15ª temporada) e é um bocadinho optimista apostar que ele vai manter este nível e merecer este ordenado até aos 36 anos.

E Markieff não só não gostou de terem trocado o irmão, como também não lhe deve ter caído muito bem quererem contratar alguém para a sua posição (com LA, ele passaria para o banco ou então teria de passar para small forward, que não seria a melhor posição para ele) e pediu para ser trocado.
Entretanto parece ter acalmado e diz que quer ficar em Phoenix, mas tudo isto não vai seguramente ajudar a química e o ambiente da equipa.

As maiores mudanças que fizeram foi a pensar em LaMarcus Aldridge e sem ele essas mudanças fazem menos sentido. Com ele, apostavam no presente e as mudanças faziam todo o sentido. Assim, nem tanto. 

De resto, deram outro generoso contrato a Brandon Knight (5 anos e 70 milhões, que no novo tecto salarial não vai ser um compromisso tão elevado como agora, mas não vai ser pouco dinheiro por um jogador mediano), deixaram sair alguns bons elementos do banco (Green, Wright) e foram buscar outros que podem ser igualmente úteis (Leuer, Teletovic, Weems).

Por último, um destaque positivo para a escolha que fizeram no draft, que pode ser uma das surpresas do mesmo. Devin Booker é um dos melhores atiradores (se não o melhor) deste draft e um jogador que é muitas vezes comparado a Klay Thompson. No melhor cenário possível sai-lhes uma pérola semelhante ao base dos Warriors, no pior cenário, mais um atirador. E esses são sempre úteis.

Resumindo: vão ser melhores que no ano passado? Nem por isso. Vão, tal como em 2014-15, andar ali na luta pela última vaga dos playoffs e poderão voltar a ficar de fora. Tal como na offseason, poderão ficar quase.

No final destas contas todas, não lhes podemos dar uma nota negativa por tentarem. E porque não ficaram piores. Mas também não lhes podemos dar uma nota positiva porque não conseguiram concretizar o plano que traçaram. E porque não ficaram melhores.

Nota: 9,5


(a seguir: Sacramento Kings)

1 comentário:

  1. Gostei imenso da escolha dos Suns no Draft. Achei péssima a offseason. Mesmo com Aldridge, dificilmente se tornariam candidatos a algo, com tanto espaço salarial preenchido por Knight e Chandler. Era uma excelente adição, claro, os outros contratos oferecidos é que foram maus. Não consigo gostar do Knight, muito menos consigo entender como é que alguém lhe paga 14M/ano. O BdC processava alguém por gestão danosa, de certeza. Quanto ao Chandler, percebo mais um bocadinho, e acredito que os 4 anos oferecidos foram o necessário para ele aceitar ir para Phoenix. Mesmo assim, sai claramente overpaid. Duvido que dê para lutar pelos playoffs.

    ResponderEliminar