11.1.16

X's e O's - O Brad também é o maior


O Pop continua a ser o maior, mas Brad Stevens está a mostrar ser um bom herdeiro ao trono do melhor treinador.
Ontem, no final do 2º período, com 4.7 segundos para jogar, e reposição da bola na linha de fundo, podia ter feito aquilo que é feito 99% das vezes em situações semelhantes: colocado a bola nas mãos de um dos seus bases para que ele atravessasse o campo em drible, se aproximasse o mais que conseguisse do cesto e tentasse um lançamento em cima da buzina.

Mas o treinador dos Celtics demonstrou mais uma vez que uma jogada final não tem de ser uma jogada individual ou de isolamento e mostrou mais uma vez que é um dos melhores da liga em jogadas após desconto de tempo:



Que ia ser mais uma jogada de "bola no base e ele dribla pelo campo fora e lança" era o que os Grizzlies pensavam. Por isso é que, quando Isaiah Thomas recebeu o bloqueio de Kelly Olynyk no meio do campo para receber a bola, ...

Marc Gasol foi atrás dele para fazer 2x1 e encurralá-lo na linha lateral:

Enquanto isso, após o bloqueio, Olynyk seguiu pelo corredor direito para receber um bloqueio de Avery Bradley:

Como planeado, os Grizzlies fizeram o 2x1 a Isaiah Thomas e pararam-no junto à linha de meio campo. Só que isso era mesmo aquilo para que os Celtics estavam preparados. Evan Turner estava bem aberto na linha lateral para oferecer uma linha de passe a Thomas:



E Olynyk continuou o seu corte até ao garrafão para oferecer uma linha de passe a Turner e receber a bola completamente sozinho debaixo do cesto:


Estes dois pontos acabaram por não ser suficientes para evitar a derrota dos Celtics, mas é mais uma jogada para juntar a esta dos Blazers ou a esta dos Spurs como exemplos de como variar e fugir do convencional pode ser bom e trazer bons resultados. E de como Brad Stevens é bom.

Sem comentários:

Enviar um comentário