27.9.15

Boletim de Avaliação - Denver Nuggets


Ora, vamos lá então à avaliação da offseason das 30 equipas da liga. Como dissemos no post anterior, este ano vamos começar os nossos já clássicos Boletins de Avaliação pela outra ponta dos Estados Unidos, pela Northwest Division. E, seguindo a ordem alfabética, iniciamos o nosso périplo pelas 28 cidades da NBA em Denver:


Boletim de Avaliação - Denver Nuggets

Saídas: Ty Lawson
Entradas: Nick Johnson, Nikola Jokic (41ª escolha no draft de 2014), Emmanuel Mudiay (7ª escolha no draft)
Cinco Inicial: Emmanuel Mudiay - Wilson Chandler - Danilo Gallinari - Kenneth Faried - Jusuf Nurkic
No banco: Jameer Nelson - Randy Foye - Gary Harris - Will Barton - Darrell Arthur - JJ Hickson 

Treinador: saiu Melvin Hunt (que substituiu Brian Shaw, depois deste ser despedido em Março), entrou Mike Malone

Balanço: As mudanças na equipa começaram ainda durante a temporada passada. Com a época a descarrilar (ou melhor, sem alguma vez ter sequer encarrilado), não esperaram pelo fim da mesma para começar a reconstruir.

Em Janeiro, trocaram Timofey Mozgov por um par de 1ªs rondas no draft e Nate Robinson por Jameer Nelson. Despacharam depois, em Fevereiro, JaVale McGee para os Sixers e trocaram Arron Afflalo e Alonzo Gee por Will Barton, Vitor Claver, Thomas Robinson e uma 1ª ronda.

Os Nuggets estavam interessados em receber e acumular escolhas no draft e de todos os jogadores que receberam nesses negócios só ficaram com Nelson e Barton.

2014-15 foi uma temporada disfuncional e fracassada que culminou no despedimento de Brian Shaw ainda antes do fim da temporada regular. Melvin Hunt foi promovido a treinador principal e terminou a época, mas foi sempre uma situação temporária.

Este Verão, contrataram Mike Malone para o lugar. No ano passado, Malone estava a fazer um bom trabalho e um óptimo início de época nos Kings quando foi despedido por aparentemente não ser receptivo às sugestões do dono da equipa (isto é, não o deixar meter-se no seu trabalho) e não jogar o estilo de basquetebol que aquele queria. Aproveitaram os Nuggets, que ficam com um bom treinador.

Antes disso, vindo também dos Kings, regressou Pete D'Alessandro a uma casa que já conhece (antes de ir para Sacramento em 2013, era o vice de Masai Ujiri em Denver), para trabalhar com o general manager Tim Connely.

No plantel, depois de todas as mexidas durante a temporada, o Verão reservou ainda uma maior: trocaram Ty Lawson por Nick Johnson, Kostas Papanikolau, Pablo Prigioni, Joey Dorsey e duas escolhas no draft (uma 1ª ronda e uma 2ª ronda). 
Lawson era um dos melhores jogadores da equipa, mas depois de vários episódios de problemas com álcool e depois de arranjarem um substituto no draft, optaram por desfazer-se dele.

Poderiam ter conseguido mais por um jogador do seu calibre? Talvez, mas isso também mostra como deviam estar desejosos de o ver pelas costas. Para além disso, em situações dessas, quando as outras equipas sabem que te queres livrar desesperadamente de um jogador, não tens muita margem de manobra nem muitas hipóteses de regatear. Pelo menos conseguiram mais uma 1ª ronda. Não é muito, mas é qualquer coisa.

E também já tinham encontrado o seu sucessor no draft. Emmanuel Mudiay não é ainda um jogador completo e precisa de melhorar o lançamento, mas é um dos rookies mais preparado para jogar e contribuir imediatamente, é um excelente projecto de base e é a aposta dos Nuggets para essa posição no futuro.

De resto, não mudaram mais. A prioridade foi renovar com algumas das suas melhores e/ou mais promissoras peças (ou mais úteis, no caso de Jameer Nelson, que será um bom mentor e professor para Mudiay). Negociaram extensões de contrato com Wilson Chandler (4 anos/46 milhões) e Danilo Gallinari (mais 2 anos/34 milhões após 2015-16), e renovaram com Darrell Arthur, Will Barton e Jameer Nelson.

Contas feitas a isto tudo, ficam com uns quantos bons jogadores jovens para desenvolver, uns quantos veteranos que podem fazer parte dum plantel futuro ou ser boas peças para outros negócios e ainda conservam espaço e flexibilidade salarial. 

As mudanças mais importantes da offseason aconteceram no front office e na equipa técnica. Mudanças com as quais procuram restaurar a paz e estabilidade que a equipa não tem desde a saída de George Karl e Masai Ujiri. Esse é o objectivo imediato em Denver. 
No plantel ainda há muito a fazer. O futuro mais próximo passa por desenvolver jogadores e continuar a construir a equipa. Porque os playoffs são uma miragem para já.


Nota: 11

(a seguir: Minnesota Timberwolves)

4 comentários:

  1. Já estava com saudades ahah!!!

    Estou bastante curioso para ver o Mudiay a jogar! Penso que sair um belo de um jogador dali!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também já tinha saudades! :) Vamos embora, agora só paramos no próximo Verão! ;)

      Eliminar
  2. O quanto eu gostava de ver Faried no lugar do Noah no futuro dos Bulls.

    ResponderEliminar
  3. Os Nuggets mexeram-se bem. O tempo do Lawson tinha acabado, e tiveram a sorte do Draft, do Mudiay sobrar para a 7ª escolha. Vai ser o Rookie do Ano, acredito que vai ter um futuro enorme. Não receberam muito pelo Lawson, mas foi o negócio possível. De resto, apenas discordo do contrato do Chandler. Muito longo, e acho overpaid. Nunca gostei muito do rapaz, sinceramente.

    Com a base que têm para o futuro - Mudiaw, Faried e Nurkic, especialmente - caso ganhem estabilidade na direcção, têm tudo para voltar aos bons tempos.

    ResponderEliminar