20.3.16

A luta continua (e esperemos que não acabe tão cedo)



Na primeira vez que as equipas se encontraram, os Spurs tentaram jogar à maneira dos Warriors. Correram, atacaram rápido e trocaram lançamentos com a equipa de Golden State. O resultado foi desastroso para a equipa de San Antonio. Recorde de turnovers na temporada, maus ataques, más transições defensivas e uma derrota por 30 pontos.
Ontem, os Spurs jogaram à sua maneira. Baixaram o ritmo de jogo, fizeram ataques longos, carregaram no jogo interior e atacaram muitas vezes a partir do poste baixo para explorar o cinco mais baixo dos Warriors. Na defesa, trocaram em todos os bloqueios que envolviam Curry e Thompson, não deram nenhum lançamento de três fácil a esses dois e forçaram-nos a penetrar e a passar. E o resultado foi muito melhor.

Na primeira vez que se encontraram (e como dissemos na análise que fizemos então ao jogo), Tim Duncan esteve ausente, Pop não pareceu muito preocupado com o jogo e aproveitou-o para fazer experiências e, por isso, as conclusões a retirar eram bastante relativas.

Ontem, Pop quis ganhar o jogo e levou-o a sério. Só que desta vez foram os Warriors que jogaram desfalcados, com Bogut, Ezeli e Iguodala de fora por lesão. Estavam sem uma boa parte da sua defesa interior (Boris Diaw e LaMarcus Aldridge exploraram isso da melhor forma e superiorizaram-se no garrafão) e sem um dos jogadores que poderá desbloquear a defesa apertada a Curry e Thompson. Por isso, será que dá para retirar muitas conclusões destes dois confrontos? E será que são indicadores de como será uma eventual série entre as duas equipas?

É certo que o jogo de ontem já se aproximou mais daquilo que será uma série entre Spurs e Warriors. A equipa de San Antonio tentará baixar o ritmo de jogo, defender a linha de três pontos, não dar espaço a Curry e Thompson para lançar e desafiar os outros Warriors a batê-los. Como os outros Warriors vão aproveitar esse espaço (Barnes e Iguodala, principalmente; porque Green também será vigiado muito de perto, como ontem) será uma das chaves dessa hipotética série. Será também um duelo de ritmos de jogo, com cada uma das equipas a tentar impor o seu.

Mas, mais do que conclusões e certezas, o que fica destes dois confrontos são muitas pistas e muitas questões para uma possível série: 

- será que os Spurs vão manter este cinco mais baixo, com Diaw e Aldridge?
- Duncan já esteve disponível, mas só jogou 8 minutos e os Spurs defenderam muito bem sem ele em campo (fizeram mesmo um dos melhores jogos defensivos da temporada). Por isso, será que Pop poderá jogar com Duncan como suplente ao longo duma série?
- e será que Kerr poderá passar Bogut para o banco para forçar Pop a sentar Duncan?
- ou será que jogará mais Bogut e Ezeli para parar o jogo interior dos Spurs?
- como ajustarão Curry e Thompson à defesa pressionante dos Spurs e ao facto de lhes retirarem o lançamento exterior?
- e Leonard, que não teve, em nenhum dos dois jogos, uma grande participação ofensiva? Ninguém pensa que vai ser assim numa série, pois não?

Certezas, ficamos com uma apenas: será uma série imperdível para qualquer fã de basquetebol. Imaginem o que será ver estas duas equipas historicamente boas e estes dois treinadores a fazer ajustes e a responder a cada movimentação e estratégia da equipa contrária. Estas duas equipas e estes dois treinadores a desenhar jogadas e contra-jogadas. A dar golpes e contra-golpes.

As possibilidades e as variáveis são tantas, os ajustes e recursos a que cada equipa pode recorrer são tantos que 7 jogos entre estas equipas (sim, vamos ser optimistas e esperar que tenhamos o máximo de jogos possível entre ambas) serão uma complexa batalha que pode ser uma das melhores séries de sempre. Os fãs das outras equipas que nos perdoem, mas já estamos a fazer figas por essa final de conferência.

3 comentários:

  1. O jogo só me deixou mais certezas do passeio dos Warriors até ao anel.

    Só te faltou mencionar que era o terceiro jogo em 4 dias para os Warriors.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque te deixou essa certeza? Queres elaborar? :)

      Eliminar
    2. O jogo como decorreu parecia que os Spurs tinham condições para ganhar por mais de 20 pontos, mas o resultado final foi por 8 pontos e esteve equilibrado durante toda a partida. Os Warriors estavam a jogar muito mal (também devido à defesa dos Spurs), o que me leva sempre a pensar que mesmo num dia não dos atiradores, conseguem discutir o jogo.

      Portanto será que têm 4 dias não (e mesmo assim a vitória pode cair para eles como já aconteceu nesta época regular), primeiro que 4 dias sim?

      Tendo em conta o descanso nos playoffs (este ano aumentou) diria que é muito mais provável existirem 4 dias sim que 4 dias não numa série.

      Eliminar