17.6.16

MVP #039 - Eu, bandwagoner, me confesso



Temos jogo 7 nestas épicas Finais e, como não podia deixar de ser, no episódio desta semana do MVP, falamos do animado e polémico jogo 6 e antecipamos o que Warriors e Cavs terão que fazer para levantar o troféu Larry O'Brien. E discutimos se, ganhe quem ganhar, LeBron James deve ser o MVP das Finais.

Como estamos no fim da temporada e também em época de exames, damos notas ao melhor e pior da época, com referências a Rockets, Spurs, Blazers, tanking, Paul George, Kobe Bryant, teorias da conspiração e bandwagoners. E, ainda, os tomates do Kiki e os tweets da Ayesha.

1 comentário:

  1. Discordo com a parte dos bandwagoners. A questão dos bandwagoners é uma questão mais americana e não portuguesa, porque nós (a maior parte) não temos obviamente nenhuma ligação com as cidades/equipas da NBA. A ligação é por norma estabelecida com jogadores e pelo gosto da modalidade em si. E quem gosta da modalidade gosta dos jogadores e das equipas que jogam bem, e essas costumam vencer.

    Se existem por vezes essas acusações de bandwagonarismo (lol?) por cá, são claramente influência da cultura da NBA nos EUA. As críticas podem não fazer sentido em Portugal mas, na minha opinião, nos EUA fazem.

    Eu posso afirmar que no futebol existe um bandwagonarismo evidente, porque praticamente toda a gente torce pelas equipas "grandes", já que são as equipas que vencem mais (há quem torça por equipas que supostamente são "grandes" mas não costumam ganhar quase nada; há pessoal que é sádico e gosta de sofrer mais :P). Como as equipas grandes, tirando alguns períodos mais "negros", vão basicamente mantendo esse estatuto, as pessoas não sentem tanto a necessidade de mudar.

    Mas uma das coisas que mais gosto na NBA (e certamente não sou o único) é o processo de construção das equipas/draft. Há uma justiça evidente na maneira como as equipas, principalmente as mais fracas, têm a possibilidade de contratar jogadores de qualidade e/ou com potencial, e construir equipas que podem lutar por lugares no topo. Outros desportos (principalmente o futebol) e até mesmo a sociedade em geral podem retirar ilações positivas desta justiça. E isto tem impacto na maneira como os adeptos manifestam o seu apoio porque há a noção que, tomando as decisões acertadas (e alguma sorte), qualquer franchise pode construir uma equipa ganhadora. Isso faz com que a maior parte dos adeptos seja fiel, RESPEITE os períodos menos bons (péssimos mesmo lol) e perceba que estes fazem parte do caminho para se alcançar a excelência.

    Se alguém se classifica como adepto, não simplesmente alguém com um gosto particular por uma equipa/jogador, mas se identifica mesmo como fã/adepto de uma equipa, e o faz simplesmente porque a equipa está a ganhar naquele momento... então é um bandwagoner, não há volta a dar. Não tem é necessariamente que ter uma conotação muito negativa, não fazem mal a ninguém. É simplesmente um bandwagoner, pronto. lol

    ResponderEliminar