9.11.10

Boletim de Avaliação - Atlantic Division - Raptors

Toronto Raptors

À semelhança dos Cavaliers, viram o seu melhor jogador desertar para os Heat sem receberem nada em troca. Sem Chris Bosh, com quem na verdade nunca conseguiram grandes resultados (o melhor que conseguiram foi chegar à primeira ronda dos playoffs), voltam à estaca zero. Turkoglu, depois duma temporada em que desapontou, também foi trocado e para a equipa do Canadá é tempo de começar de novo.

Entradas / Saídas
Saíram Chris Bosh, Hedo Turkoglu, Antoine Wright e Marco Belinelli e entraram Linas Kleiza, Leandro Barbosa, Ed Davis (escolha no draft), Solomon Alabi (escolha no draft), David Andersen, Julian Wright e Joey Dorsey.

Frontcourt
Bosh nunca foi conhecido pela sua defesa e a defesa interior dos Raptors era não-existente na época passada. Este ano, procuraram reforçar essa área. Linas Kleiza (que regressa à NBA depois duma época na Grécia) traz mais defesa e dureza e será uma das principais armas ofensivas também. No entanto, Andrea Bargnani, que é um poste que marca em lançamentos exteriores e pouco ressalta, continuará a ser um problema defensivo. A power forward, Ed Davis era apontado como o substituto de Bosh, mas está lesionado (só deve voltar no final do ano). Fica o lugar em aberto para Reggie Evans (bom ressaltador, mas limitado ofensivamente) ou Amir Johnson (que renovou por 35 milhões por 5 anos e é uma aposta para o futuro).

Backcourt
José Calderon deverá perder o lugar para Jarret Jack, que é melhor defensivamente, mas menos fiável na organização ofensiva (embora seja mais explosivo e melhor individualmente). DeMar DeRozan, depois duma boa primeira temporada, será um dos jogadores que será mais solicitado no ataque para compensar a ausência de Bosh.

Banco
Com Calderon e Leandro Barbosa vão ter um dos melhores backcourts suplentes da liga. O resto do banco, no entanto, é irregular e pouco fiável, com jogadores que terão alguns bons jogos (Sonny Weems e Evans ou Amir Johnson), outros que continuam sem provar o potencial apontado (Julian Wright) e outros ainda que pouco impacto terão (David Andersen, Joey Dorsey).

Treinador
Depois de acabarem a temporada anterior com a pior defesa da NBA e sem grandes contratações, Jay Triano terá de encontrar soluções dentro da equipa. Sem nenhuma estrela na equipa, a responsabilidade está nas mãos do treinador.

Resumo
Perder Bosh pode não ter sido o pior que aconteceu aos Raptors, pois com Bosh nunca foram para além da primeira ronda dos playoffs e restavam muitas dúvidas se alguma vez ele seria um franchise player capaz de levar uma equipa a voos maiores. Agora vão ter de encontrar força no colectivo, o que pode ajudá-los a defender (e jogar) melhor.
Podem melhorar colectivamente, mas no entanto, falta talento individual para aspirar aos playoffs e se conseguirem um recorde igual ao do ano passado (40-42) já é uma vitória. É tempo de reconstrução em Toronto.

Nota: 9


(próximo: Central Division - Chicago Bulls)

Sem comentários:

Enviar um comentário