8.12.15

Porque o Basquetebol é o melhor desporto do Mundo - razão nº 13437


Não vi em directo o jogo Grizzlies x Suns de anteontem. Mas sabia, quando estava a ver o jogo umas horas mais tarde,  que os Suns tinham perdido. Tentei não saber o resultado antes, mas numa espreitadela ao Twitter vi por acaso um tweet a dizer que tinham perdido. Mas não sabia por quantos nem como tinham saído derrotados.

Por isso, quando cheguei ao fim do jogo e este estava empatado a 93 com 2 segundos para jogar e posse de bola para os Suns, imaginei que tivesse ido a prolongamento. Pensei "os Suns tentaram e falharam um último lançamento, tivemos prolongamento e perderam aí. Não é possível terem perdido no tempo regulamentar."

Como estava enganado. Afinal, tivemos o final mais incrível da temporada. Afinal, Suns e Grizzlies relembraram-nos mais uma vez como o basquetebol pode ser imprevisível e espectacular e como, duma forma que não é possível em mais nenhum outro desporto, tanta coisa pode acontecer em tão pouco tempo.

Nesses 2.1 segundos, tivemos ainda tempo para três (3!) posses de bola. Deu tempo para Brandon Knight receber e perder a bola, para os Grizzlies marcarem dois pontos e para os Suns terem ainda uma última oportunidade para empatar:


E no cesto da vitória de Jeff Green tivemos uma execução perfeita da jogada desenhada por Dave Joerger.

A jogada começa com Courtney Lee a repor a bola, Marc Gasol a poste alto, na linha de lance livre, Zach Randolph a poste baixo do lado contrário da reposição, Mike Conley na linha de 3 pontos também do lado contrário e Jeff Green no canto do mesmo lado da reposição:



Conley corta para o lado da bola por cima de Gasol, aproveitando o bloqueio do espanhol, Zach Randolph corta pela linha de fundo também para o lado da bola e Jeff Green corta para o meio, ao encontro de Mike Conley:




Conley bloqueia então Jeff Green, ao mesmo tempo que Zach Randolph continua o seu corte para fora. Este corte de Randolph é decisivo na jogada, pois o extremo-poste dos Grizzlies é um bom lançador de meia distância, Jon Leuer não o pode deixar receber a bola ali e é obrigado a acompanhá-lo. Isso dá a Green preciosos décimos de segundo de vantagem e abre a linha de passe a Courtney Lee:

Courtney Lee contou no fim do jogo que tinha dito a Jeff Green que se visse o número do PJ Tucker atirava a bola lá para cima (ou seja, se visse as costas do jogador que estava a defender Green era sinal que este tinha ficado para trás no bloqueio e Green tinha a vantagem). E assim fez. Quando Leuer (que tinha ido com Randolph) vai ajudar e atrás do passe ja não chega a tempo de o interceptar ou de impedir o afundanço de Green:




Outros desportos podem proporcionar-nos finais espectaculares e emoções até ao último segundo. Mas mais nenhum nos consegue proporcionar um final destes e tantas reviravoltas em tão pouco tempo de jogo. É por coisas destas que we love this game.

2 comentários:

  1. Papa Valdemares09/12/15, 01:47

    Os Suns até poderiam perder na mesma no prolongamento, mas o Noite deveria ser forçado a passar a pão e água a quadra natalícia.

    Depois, a jogada final desenhada pelo Horn é... ridícula. Deveria ter sido algo similar à que os derrotou.

    ResponderEliminar
  2. Márcio, o steve Kerr continua de fora devido a doença, mas ainda é o treinador dos Warriors, correto?
    Mas... e esta pequena história do Luke Walton? Achas que esta senda tem o dedo dele? Achas que esta equipa neste momento está tão afinada pelo Steve que eles nem precisam de treinador? Onde é que fica Luke Walton no meio disto tudo? Se tem dedo do Luke, como é que é possível passar de fundo do banco para adjunto tão rápido e ainda mais rápido para treinador principal sem ninguém sonhar com isto? Isto não parece material de sobra para a imprensa americana que gosta tanto destas coisas? É que ainda não vi praticamente nada sobre este assunto.. ou então ando 1 bocado distraído.

    ResponderEliminar