23.12.10

A primeira chicotada (e as que podem vir já a seguir)

Larry Brown foi a primeira baixa nos bancos da NBA esta temporada. O (agora) ex-treinador dos Bobcats não sobreviveu ao 9-19 com que a equipa de Charlotte começou a época. E pior do que o recorde bastante negativo para uma equipa que a temporada passada foi aos Playoffs, é a forma como têm jogado ultimamente. Sem garra, sem luta, sem organização, com um ataque estagnado e uma defesa inexistente.

Nem tudo isto é culpa de Brown. Aliás, muito disto não será culpa dele. Os Bobcats deixaram escapar dois jogadores do cinco inicial (Raymond Felton e Tyson Chandler) nesta offseason e Brown não terá ficado satisfeito. Pensou mesmo em não regressar esta época, fazendo-o apenas, como o próprio afirmou, por Michael Jordan.
E pelo impacto que esses dois jogadores estão a ter nas suas novas equipas (Knicks e Mavs) podemos ver a falta que fazem em Charlotte.
Para além disso, os jogadores que ficaram pareciam já estar desligados de Brown e o treinador revelava-se impotente para conseguir chegar a eles. Na passada terça-feira, antes do jogo frente aos Thunder (mais uma pesada derrota), Brown desabafou que "nunca pensei estar numa posição em que tivesse de suplicar aos jogadores para se esforçarem", acrescentando que se sentia mal "por alguém que goste de basquetebol ter de ver a nossa equipa jogar". As coisas estavam (estão?) mesmo mal para os lados de North Carolina. Era preciso fazer alguma coisa e o treinador é (quase) sempre o elo mais fraco. Adeus, Brown.

Mas se Brown foi a primeira baixa desta temporada, que outros treinadores podem estar mais perto de se juntar a ele na fila do centro de emprego? Quem pode ser o próximo a ser despedido? Aqui ficam os principais candidatos:

John Kuester - Pistons
Os Pistons continuam atolados na metade inferior da tabela e a remodelação da equipa já tarda. Esta época, Kuester já teve problemas com vários jogadores (Hamilton, Prince, Stuckey) e não parece ter a simpatia de todo o balneário. Das duas, uma: ou esses veteranos saem (uma remodelação que o general manger Joe Dumars já devia ter feito) ou, se Dumars mantiver a confiança neste grupo, Kuester pode ser a próxima baixa.

Scott Skiles - Bucks
A equipa de Milwaukee era uma das que tinha mais expectativas para esta temporada. A época passada terminaram em 6º lugar no Este, apuraram-se para os Playoffs pela primeira vez desde 2006 e eram uma das equipas apontadas como tendo mais margem de progressão. Todos apostavam que iam continuar a subir. Mas o caminho até agora tem sido sempre a descer. Têm o pior ataque da liga e Skiles é um treinador com fama de ser muito duro e saturar os seus jogadores ao fim de algum tempo. Esta é a sua terceira época (embora apenas a segunda completa) e se as coisas não melhorarem, pode ter atingido o seu prazo de validade.

Vinnie Del Negro - Clippers
Um treinador inexperiente numa equipa que continua a desiludir. Este ano acreditava-se que os Clippers podiam competir por um lugar nos Playoffs, mas continuam no mesmo lugar de sempre: no fundo da conferência Oeste. Têm uma boa base para construir uma equipa vencedora e por isso podem dar tempo a Del Negro para o fazer. Mas se não conseguir melhorar os resultados e mostrar que pode ser o treinador dessa equipa no futuro, pode ver a porta da saída.

Lionel Hollins - Grizzlies
Tal como em Los Angeles, também em Memphis tinham muitas expectativas para esta época. Depois de vários anos em modo de reconstrução, com um cinco inicial forte e um banco reforçado este verão, o objectivo era (é) conseguir um lugar nos Playoffs. Mas não estão mais perto de o conseguir que na época passada. Já estão com um recorde negativo (12-17) e a afastar-se dos primeiros oito do Oeste. A questão é se Hollins consegue mantê-los a jogar depois de Abril ou se já os levou o mais longe que conseguia.

Sem comentários:

Enviar um comentário