11.8.13

Era Uma Vez a NBA - os anos 90


Continuamos a avançar na História e entramos em território moderno. Hoje, no sexto capítulo da série Era Uma Vez a NBA, a década de 90:


Era Uma Vez a NBA: os anos 90


Depois de anos 80 a NBA ter chegado aos telespectadores e fãs de todo o mundo, na década de 90 continuou a sua globalização com a chegada de dezenas de jogadores internacionais. Depois de pioneiros como Drazen Petrovic, Vlade Divac ou Detlef Schrempf nos anos 80, a década de 90 assistiu à chegada de jogadores de todo o mundo e a NBA tornou-se uma verdadeira liga mundial, com os melhores jogadores do mundo a actuar nas suas equipas.

Foi também a década em que os jogadores profissionais americanos foram autorizados a jogar nas competições internacionais e em que a melhor equipa que já pisou um campo de basquetebol foi formada: o primeiro Dream Team.


Foi mais um passo na globalização do jogo e da NBA. A passagem do Dream Team pelos Jogos Olímpicos de Barcelona 92 despertou mais entusiasmo e atenção mediática que qualquer equipa alguma vez tinha despertado. Foram embaixadores do jogo e a melhor promoção que o basquetebol podia ter. Depois do Dream Team assistimos a uma explosão de popularidade da modalidade em todo o mundo e o nível de jogo (no mundo e, por consequência, na NBA) tem vindo a subir desde aí. (podem ler este artigo que escrevi no Planeta Basket sobre o Dream Team, para uma história mais pormenorizada desta selecção histórica)

E foi, claro, a década de Michael Jordan (considerado, por quase todos, o melhor jogador de sempre) e dos Bulls. A equipa de Chicago ganhou 6 títulos nestes 10 anos e se Michael Jordan não se tivesse retirado e ficado fora da NBA durante quase duas temporadas, podiam mesmo ter igualado aquele recorde dos Celtics, que se pensava impossível de atingir, de oito títulos consecutivos.
Não igualaram esse, mas bateram outro que também durava há quase tanto tempo. Na temporada de 95-96 (com Jordan, Pippen, Rodman e Kukoc) bateram o recorde de vitórias na temporada regular (que pertencia aos Lakers de 72, com 69-13) e fizeram a melhor temporada de sempre na história da NBA: 72-10.


É claro que tivemos outras grandes equipas nesta década. Apenas tiveram o azar de ser contemporâneas destes Bulls. Os Blazers de 92 (com Clyde Drexler, Terry Porter, Jerome Kersey e Cliff Robinson), os Suns de 93 (com Charles Barkley, Kevin Johnson, Dan Majerle e Cedric Ceballos), os Sonics de 96 (com Gary Payton, Hersey Hawkins, Detlef Schrempf e Shawn Kemp). Todas elas fizeram grandes temporadas e chegaram às Finais, mas nunca conseguiram ultrapassar o último obstáculo de Jordan e companhia. E nenhuma equipa representa isso melhor que os Jazz.

Dois anos seguidos, em 97 e 98, tiveram temporadas acima das 60 vitórias (64-18 e 62-20) e perderam nas Finais para os Bulls. Jerry Sloan fez verdadeiros milagres com os jogadores que tinha e, com uma equipa com menos talento e atleticamente inferior, lutaram com tudo o que tinham e levaram os Bulls ao limite. Mas nunca os conseguiram derrotar. E Malone e Stockton, os mestres do pick and roll e dois dos melhores jogadores de sempre nas suas posições, nunca ganharam o anel que mereciam.

Quem aproveitou da melhor forma as duas temporadas sem Jordan foi outra das equipas da década, os Rockets de 94 e 95. O melhor poste da década liderou-os até dois títulos consecutivos. Um frente a outro candidato a melhor poste da década, Patrick Ewing, e outro frente a outro poste que viria a dominar a NBA uns anos mais tarde, Shaquille O'Neal. E Olajuwon dominou-os aos dois. Como na finais de conferência dominou outro candidato a poste da década, David Robinson. Por isso, nesses dois anos, eliminou as dúvidas que podiam existir e afirmou-se como o melhor.

Robinson teve a sua oportunidade de conquistar o anel em 99, já com a ajuda de Tim Duncan, o que completa a lista dos campeões destes 10 anos:


Nesta década, a NBA continuou a crescer no número de equipas também. Depois da expansão de 88 (quando entraram os Heat e os Hornets), em 89-90 a NBA acolheu mais duas equipas: os Magic e os Wolves. E em 95-96, a liga deu as boas-vindas aos Raptors e os Grizzlies. Assim, quando a década terminou, eram já 29 as equipas que competiam na NBA (faltava apenas uma para as 30 que temos hoje).
O número de jogadores internacionais cresceu progressivamente também. De 20 jogadores não-nascidos nos Estados Unidos que jogavam na NBA em 1989, passámos para mais de 70 em 99. E o mediatismo da liga em todo o mundo cresceu exponencialmente nesses anos. A NBA tornou-se verdadeiramente global.

E enquanto a NBA conquistava o mundo, os jogadores que conquistaram um lugar no melhor cinco da década foram estes:

John Stockton - guard
Michael Jordan - shooting guard
Charles Barkley - forward
Karl Malone - power forward
Hakeem Olajuwon - center

(para forward, foi realmente difícil escolher entre Pippen e Barkley, mas no fim optei pelo jogador que tinha mais distinções individuais. Mas é uma escolha muito renhida e não vou discutir com quem preferir um cinco com Pippen no lugar de Barkley. Para além disso, um cinco onde não cabem Scottie Pippen, David Robinson, Clyde Drexler ou Pat Ewing mostra como esta década foi boa e recheada de enormes jogadores)

4 comentários:

  1. Só uma questão Márcio: o Barkley não jogava na maior parte das vezes a PF, fazendo portanto sombra a Malone e não a Pippen?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mas o Malone é inquestionável neste cinco e, por isso, coloquei o Barkely como o outro extremo do cinco (posição onde ele também jogava e onde jogou, por exemplo, no Dream Team). A questão aqui era: se retirasse um destes do cinco, seria o Barkley (pelo Pippen).

      Eliminar
    2. Sem dúvida que era o que faria... Para mim só a ajuda defensiva q dava Pippen numa equipa q n teria problemas ofensivos em princípio. Com Stockton e Barkley a equipa continuava mto boa defensivamente mas não elite. Stockton apesar de ser 1 bom defesa e de roubar bem a bola era meio lento (assim como Sir Charles) o q tornaria complicado se fosse preciso defender PG's rápidos... Mas com Jordan/Pippen esse problema podia ser amenizado...

      Eliminar
    3. Bem, eu aí discordo um bocadinho. É verdade que Stockton e Malone faziam um tandem temível, mas sempre considerei Barkley melhor jogador que Malone. O Kiko acha que o Barkley era lento, mas eu não penso que fosse assim tanto. Como vantagem, enquanto que Malone estava sempre dependente de Stockton, Barkley jogava e fazia jogar. Muita vez fazia mesmo as vezes de point guard, e era um jogador motivador em qualquer equipa em que estivesse.
      Por isso, o meu cinco seria: Stockton, Jordan, Ojajwon, Barkley e Pippen.

      Eliminar