9.4.14

Falta ou abafo?


Vamos lá à discussão do dia:


Falta ou abafo limpo de Miles Plumlee?

Não é uma decisão fácil (mesmo depois de ver a repetição várias vezes), mas não marcar falta parece-nos ter sido a melhor decisão.

O argumento que tem sido mais utilizado para justificar a jogada como um desarme de lançamento limpo é a regra de que "mão é bola". Como diz nas regras da NBA, "the hand is considered part of the ball when it is in contact with the ball and contact with a players hand when it is in contact with the ball is not a foul."

De qualquer forma, independentemente disso, esse não é o argumento decisivo nesta jogada. Porque essa regra aplica-se quando o jogador toca em simultâneo na mão e na bola. Aí, como diz a regra, a mão conta como bola. Mas Miles Plumlee toca (ligeiramente e com dois dedos apenas, mas toca) na bola primeiro e só depois há contacto com a mão. Não se percebe claramente no vídeo, porque esse toque acontece quase fora do plano, mas aqui neste plano mais aproximado dá para perceber isso:


E ainda mais aproximado:


O rookie dos Nets toca na bola e desvia, ainda que ligeiramente, a sua trajectória e quando entra em contacto (um contacto no seguimento do movimento) com a mão de James, este já tinha perdido o controlo da bola. E, a existir algum contacto simultâneo, lá está, aplica-se a regra anterior.

Depois há a questão do braço esquerdo de Plumlee no peito de Lebron. Mas, mais uma vez como dizem as regras na NBA, o defensor pode usar o antebraço para manter a posição na área debaixo do cesto ("Inside the lower defensive box, a defender may use an extended forearm at anytime to maintain his position against a payer with the ball. At no time may the forearm be used to dislodge, reroute or impede the offensive player."). Não pode empurrar nem desviar o atacante da sua trajectória, mas nenhuma dessas coisas parece acontecer neste caso.

É uma decisão muito difícil de julgar em velocidade normal e se mesmo após quinhentas repetições estamos (e vamos continuar) a discutir se é falta ou não, imaginem ter de decidir no momento. Por isso, a decisão é mais do que aceitável e teríamos decidido da mesma forma.

6 comentários:

  1. Concordo em absoluto com esta análise. Para quem tem "problemas de visão", sem querer ofender, tente ver o lance da perspetiva da física, Lebron já está a imprimir na bola um movimento descendente( de cima para baixo) e a certa altura a bola muda de sentido devido a uma força aplicada na bola pelo dedo anelar e mindinho fazendo com que esta muda de sentido, é, na minha opinião fisicamente impossível que não haja contacto do Plumlee com a bola. A partir deste momento e analisando a regra descrita no artigo concordo com a não marcação de falta pelo bloco.

    ResponderEliminar
  2. Como jogador de basquetebol, é complicado avaliar, as opiniões divergem um pouco... Mas é assim quem brinca com o fogo queima-se. Têm 48 minutos para ganhar um jogo e depois numa jogada perdem tudo, é assim. Por um se ganha, por um se perde.

    ResponderEliminar
  3. Excelente análise. Tudo dito

    yerlow

    ResponderEliminar
  4. Aceito a decisão pelo facto de ser um caso de difícil analise mas depois de ver as imagens para mim é obviamente falta…tentou o abafo mas acertou na mão do jogador inclusive puxando a mão do jogador para trás quando este ainda esta a fazer o movimento de colocar a bola…

    ResponderEliminar
  5. O desarme de lançamento ocorreu sobre a bola e sobre a mão, e por isso, é óbvio que é falta! Mas nos segundos finais dos encontros costuma-se dizer: "Não há sangue, não há falta!".

    ResponderEliminar