15.4.14

Para mais tarde recordar


Ao fim de 1230 jogos (ou quase, pois ainda faltam alguns), são, obviamente, muitos os destaques (positivos e negativos) e muitas as memórias que esta época nos deixa. Entre tantas coisas para recordar em mais uma temporada regular da NBA, estas são algumas das que não vamos (e/ou não queremos) esquecer:



- a desilusão monumental que foram os Knicks (podem não ser, nem de perto nem de longe, a melhor equipa no papel - como Stoudemire disse -, mas como é que uma equipa destas nem sequer vai aos playoffs?)

- a desilusão (menos monumental, mas grande ainda assim) que foram os Pistons e os Cavs. Duas equipas com muito talento individual (mais que suficiente para ir aos playoffs), mas completamente disfuncionais e que passaram a época à deriva.

- a surpresa que foram os Suns e Raptors. Dos primeiros esperava-se que fossem muito maus, mas  ficaram à porta dos playoffs, foram uma das equipas com jogo mais colectivo da temporada e ficam com uma boa fundação para o futuro. Dos segundos não se esperava que fossem tão maus como os Suns, mas ninguém esperava que este grupo batesse o recorde de vitórias da história dos Raptors e ficasse (provavelmente) em terceiro do Este.

- (e no seguimento da anterior) A evolução de jogadores como Kyle Lowry, DeMar DeRozan, Goran Dragic, Eric Bledsoe, Markieff Morris e Gerald Green, todos possíveis candidatos ao prémio de Jogador Mais Evoluído.

- (e ainda no seguimento da anterior) as 53000 vezes que Gerald Green nos deixou de queixo caído:


- as duas vezes que Iguodala nos fez saltar das nossas cadeiras (ou sofás):


- a ascensão de John Wall, que continua a trabalhar para melhorar o seu jogo e tornou-se num dos melhores bases do Este (e da liga), e dos Wizards.

- os Bobcats vão aos playoffs!

- pela primeira vez na história, vamos ter uns playoffs sem Lakers, Celtics e Knicks.

- o primeiro assalto ganho por Kevin Durant na luta a dois com LeBron James pelo prémio de MVP e pelo lugar de melhor jogador do mundo.

- (mas para prémio de consolação) os 61 pontos de LeBron (máximo de carreira).

- Paul Pierce chega aos 25000 pontos.

- Dirk Nowitzki entra no top 10 dos melhores marcadores de sempre (olhem só para os nomes dessa lista para ter noção do feito extraordinário do alemão!).

- Steve Nash no top 3 de assistências (podemos não voltar a ver Nash jogar e podemos ter assistido ao seus últimos momentos de brilhantismo. Se for esse o caso, muito obrigado por tantas memórias, Steve!).

- mais uma temporada de 60 vitórias dos Spurs (porque temporada de 50 vitórias já é normal, foi a 16ª consecutiva!), que continuam a encantar os fãs e a ser o exemplo supremo de inteligência, jogo colectivo, boa movimentação de bola, bons passes, boa defesa, enfim, uma equipa com E gigante.

- o fim da era de David Stern (gostasse-se ou não do homem, ele foi o arquitecto da NBA que conhecemos e adoramos e vai ficar para sempre na história do jogo)


Mais coisas haverá para recordar, mas estas são algumas das que, para nós, vão marcar para sempre esta temporada.

3 comentários: