21.9.11

Um futuro mais risonho em Minneapolis?


Os Minnesota Timberwolves não são conhecidos pelo sucesso dentro de campo. Nem fora dele. Com uma gestão que tem oscilado entre o incompreensível e o desastroso (seleccionar 4 bases no draft de 2009, trocar Al Jefferson por Kostas Koufos e duas escolhas no draft, oferecer um contrato de 20 milhões a Darko Milicic...) e uma equipa que ganhou um total de  32 jogos nas últimas duas (!) temporadas, a vida não tem sido fácil para os fãs dos Wolves. Entre más trocas, contratos discutíveis, entradas e saídas de treinadores e jogadores sub-aproveitados ou em sub-rendimento, o fundo da tabela tem sido um local demasiado familiar para a equipa de Minneapolis.

Esta (interminável, por causa do lockout) offseason parecia continuar a agonia. Depois duma novela desnecessária, o general manager David Kahn juntou mais um nome à lista de treinadores enterrados e despediu Kurt Rambis. Mas depois (embora não sem o seu quê de novela também) aconteceu algo raro: Kahn teve uma decisão sensata e escolheu para o seu lugar aquele que era o melhor treinador disponível no mercado e provavelmente o melhor treinador possível para esta equipa.

O experiente Rick Adelman leva 20 temporadas nos bancos da NBA e é o oitavo treinador mais vitorioso de sempre (945-616). Nesses 20 anos, levou as suas equipas aos playoffs em 16 deles. Nunca conquistou o título (esteve duas vezes nas Finais, com os Blazers, em 90 e 92), mas as suas equipas sempre foram conhecidas por produzirem acima das suas capacidades. Adelman sempre retirou o máximo das equipas que teve (e nunca teve a melhor equipa) e operou verdadeiros milagres com algumas delas. 

O que conseguiu fazer nas últimas 4 temporadas com os Rockets (que mesmo com Yao Ming e Tracy McGrady sempre lesionados continuavam competitivos, iam aos playoffs e complicaram a vida a vários adversários) é o melhor exemplo disso. E temos também os Kings do início do milénio, que levaram os Lakers de Shaq e Kobe ao limite (e apenas um muito controverso jogo 6 em 2002 impediu-os de ir às Finais e a um provável título).

Em Minnesota, o desafio de Adelman é grande e diferente daquilo que está habituado. Nas equipas anteriores sempre teve jogadores veteranos e aqui vai encontrar um grupo muito jovem e inexperiente. Vai ter de ensinar Rubio a ser o timoneiro do ataque, conseguir conciliar Martell Webster, Derrick Williams, Wes Johnson e Michael Beasley (todos jogadores semelhantes e nas mesmas posições) e inverter a mentalidade perdedora.

Mas numa equipa conhecida por ficar aquém das suas possibilidades, Adelman pode ser o homem certo para mudar essa história. David Kahn tem sido criticado por fazer muita burrada na gestão dos Wolves, mas desta vez parece que acertou. Os fãs dos Wolves podem ter, finalmente, esperança.

1 comentário:

  1. O Rick Adelman é um treinador com muita qualidade, por momentos cheguei a pensar que ele ia para os Lakers já que o que tá lá nunca conseguiu vencer um anel com Lebron James na sua equipa, creio que os Wolves tem uma equipa com muito potencial e a única coisa que está a mais é mesmo O GM que demorou mesmo muito tempo a despedir Kurt Rambis, se calhar estava indeciso, lol!
    Já agora o Michael Beasley joga mais a PF, e preferia ver Kevin Love e Beasley a jogar nas duas posições mais recuadas do que Mililic e Kevin Love, apesar de nenhum deles ter a posição de Center como favorita!
    Cumps

    ResponderEliminar