19.12.12

Mais Ibaka, mais Thunder


Com um recorde de 20-4 e uma série de 11 vitórias consecutivas, os Thunder são até agora a melhor equipa desta temporada. Têm o melhor ataque da liga (105.8 pts/jogo e 114.1 de Off Rtg), são primeiros na percentagem de lances livres (84.2%) e segundos na percentagem de 2 e 3 pontos (48.7% e 41.1%, respectivamente). Depois de, na época passada, ter ficado a três vitórias do campeonato, a equipa de OKC continua a evoluir e parece cada vez mais melhor. Kevin Durant está cada vez melhor passador e com um arsenal cada vez mais completo. Russell Westbrook está menos precipitado e continua a melhorar a leitura e a condução de jogo (está com máximos de carreira em assistências, 8.8, e o mínimo de carreira em turnovers, 3.2). Kevin Martin fez esquecer rapidamente James Harden e integrou-se na perfeição no papel de sexto homem. Mas a maior diferença este ano é a evolução de Serge Ibaka.


O congôles naturalizado espanhol vem sempre a evoluir desde que entrou na liga em 2009 e este ano está com um surpreendentemente fiável lançamento de meia distância. É uma arma que já tinha começado a desenvolver e a usar na temporada passada, mas este ano está muito mais perigosa e eficaz (está com o máximo de carreira nos 2pts, 58.4%, num ano em que está a lançar mais vezes e mais longe do cesto). E essa arma de Ibaka está a tornar os Thunder muito melhores.

Como já tínhamos dito em 2011 e na temporada passada, para os Thunder vencerem um campeonato faltava-lhes um bocadinho assim. Faltava-lhes algo que todas as equipas campeãs na história da NBA (com a excepção que referimos na altura) tinham: uma ameaça ofensiva interior. Um jogador capaz de jogar de costas para o cesto, capaz de atacar a partir da posição de poste baixo. 

Como dissemos então, as razões para tal são óbvias: quem tem um jogador assim tem um ataque mais versátil e imprevisível, com um leque de possibilidades e movimentos ofensivos mais vasto. Ora, os Thunder continuam a não ter esse jogador, mas o desenvolvimento de Ibaka como lançador oferece-lhes uma alternativa engenhosa.

Ibaka continua a não ser um jogador para iniciar o ataque e criar o seu próprio lançamento. Os seus lançamentos, como antes, continuam a funcionar apenas após assistência. Mas antes, como não lançava nem tão bem nem de tão longe, ele só era uma ameaça em zonas mais perto do cesto. Antes, após bloqueio, Ibaka normalmente desfazia para dentro, para a área restritiva, e congestionava essa zona  para o jogador que penetrava. Para além disso, o espaço a defender era menor, o que facilitava o trabalho das defesas. E se desfizesse para longe do cesto, as defesas podiam dar-lhe espaço e concentrar-se em defender a penetração.

Mas agora Ibaka também é uma ameaça a lançar mais longe do cesto. Pode por isso desfazer mais vezes para fora (e tem-no feito) e deixar a área restritiva livre para as penetrações de Durant e Westbrook. E quando desfaz para fora, as defesas já não lhe podem dar espaço e o seu defensor tem de o acompanhar. O que significa ainda mais espaço para as penetrações.

E os Thunder têm aproveitado isso da melhor forma e recorrido a muitos pick and rolls entre o espanhol e Durant ou Westbrook. Ibaka faz o bloqueio e desfaz para fora (o chamado pick and pop), Durant ou Westbrook penetram e se a defesa colapsa sobre ele, assistem para o lançamento do espanhol, como podemos ver aqui várias vezes:


Embora não da forma mais tradicional para um power forward, o jogo ofensivo de Ibaka está a proporcionar aos Thunder um ataque mais fluido, mais espaçado e equilibrado. E embora não tenham o jogador interior para jogar a poste baixo, os Thunder encontraram uma alternativa muito eficaz. O ataque dos Thunder está melhor que nunca e Ibaka é o maior responsável por isso.

10 comentários:

  1. Muito bem visto e analisado. Candidato a most improved player?

    ResponderEliminar
  2. Quando se pensava que os Thunders iam se recentir da saida do Harden, até ao momento não se verificou e o Kevin Martin tem cumprido o seu papel de 6th Man, apesar de ser um jogador diferente do seu antecessor.

    Mas como referes e muito bem, a principal alteração foi a maior incorporação do Ibaka no jogo ofensivo!

    Interessante tambem notar a evolução dele e que num futuro proximo poderá acrescentar mais facetas as seu jogo, nomeadamente os Post moves, pois ainda é muito jovem e com larga margem de progressão.

    Os Thunders passo-a-passo vão estando cada vez mais proximos do titulo

    Saudações basquetebolisticas :)
    http://lancamentolivre.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. E já agora acrescento, o kevin martin também dá a equipa uma outra vertente, que é do atirador de agarrar e lançar em vez do estilo do harden que tinha a necessidade de construir ele próprio jogadas. O ano passado os okc parecia que jogavam a vez (entre Harden, West e Durant), este ano esse papel esta limitado aos dois que ficaram e chega perfeitamente. E Martin como puro lançador até é melhor que Harden e vai também muito para a linha de lance livre (com uma eficácia assustadora).

    Além disso, aos poucos Maynor está a jogar ao nível que sabemos que consegue, potencial para ser dos melhores bases suplentes. E thabeet sem a pressão de ter de render a um nivel de uma 2ª pick no draft, está a mostrar-se bastante trabalhador e importante na segunda unidade.

    ResponderEliminar
  4. E mesmo a jogar assim provavelmente nao sera all-star...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu considero que ainda não atingiu esse nivel, mas se continuar a evoluir como se tem verificado no futuro poderá ser

      Além do mais existem bastantes atletas para a sua posição em melhor forma, como David Lee, Lamarcus ALdrigde, kevin Love, entre outros

      Eliminar
    2. O K Love sim, mas nao considero os outros doi melhores que o ibaka neste momento. O david lee tambem esta a fazer uma boa epoca mas na minha opiniao ibaka e melhor, bem mais atletico, um shot blocker puro, aplicado na defesa, por vezes muito substimada...

      Eliminar
  5. 1- O Ibaka melhorou num campo ( ofensivo ) onde os OKC ja' eram excelentes .
    2- Os defesas vao se comecar a ajustar as estes novos movimentos do Ibaka e este vai deixar de poder armar o seu lancamento de meia distancia , contudo vai gerar espacos para outros movimentos dos seus colegas .
    3- So uma equipa por ano e' q se sagra campea , o q nao quer dizer q falta alguma coisa as outras 3/4 equipas q ficam la' perto , caso nao houvesse um king (no seu top ) em Miami os OKC teriam sido campeoes e ai ja' nao se falava em " faltou um bocadinho assim " . Quem tem um monstro chamado LeBron arrisca-se a ser campeao ( ate os Cavs se arriscaram ! ) e quem nao tem LeBron arrisca-se a ser vice .
    Para mim os Heat , Spurs e OKC continuam a ser os favoritos e depois temos uns tantos outsiders : LA's , Grizzlies , Bulls (?!) , ...

    ResponderEliminar
  6. Chris Paul chegou as 5000 assistências o terceiro mais novo a chegar a essa marca só Magic e I.Thomas chegaram mais novos a essa marca.
    Grande feito para Paul.

    ResponderEliminar
  7. Bem, os OKC estão realmente a jogar a um nível infernal! Se continuarem a jogar desta maneira (espero que não), nem equipas como os Knicks, os Grizzlies ou os Heat vão ter hipóteses.
    Em todo o caso, no próximo dia 25 de dezembro temos os Thunder a jogar em Miami. Obviamente, não é um jogo decisivo, mas vai ser interessante ver até vão estes sensacionais OKC.

    ResponderEliminar
  8. E eu, do alto da minha inteligência, tinha-o na minha equipa da «Fantasy League» e troquei-o.

    LOL para mim!

    ResponderEliminar