27.3.14

It's all about pace


Não é por acaso que os jogos de temporada regular não têm a mesma intensidade que os dos playoffs e o que o basquetebol na segunda fase da temporada é muito mais duro e aguerrido (e não é só porque nos playoffs é a eliminar). E não é também por acaso que muitas vezes parece que há equipas da NBA que não dão tudo durante os jogos da temporada regular. É porque, de facto, fazem isso. 

Não é que essas equipas não queiram ganhar todos os jogos e não se esforcem para isso. Simplesmente, a temporada é muito longa e é preciso dosear o esforço durante a longa maratona de 82 jogos. Jogar sempre com prego a fundo e a dar 110% por cento exige um esforço físico e mental que é quase impossível de manter ao longo de tantos jogos. Como os Pacers estão a descobrir em primeira mão.


A equipa de Indiana entrou nesta temporada regular com o objectivo assumido de conseguir o 1º lugar no Este e a vantagem-casa sobre os Heat. E desde Novembro que jogam com uma intensidade e um ritmo de playoffs.

Mas como eles estão a aprender, isso é extremamente exigente. Mais até do que fisicamente, é muito exigente mentalmente. Se querem imaginar a dificuldade disso, imaginem quando têm um pico de trabalho e têm de fazer um esforço suplementar ou, se forem estudantes, uma época de exames em que têm de estudar mais. Agora imaginem que esse pico ou essa época de exames dura o ano todo. Imaginem que esse pico extraordinário de trabalho deixa de ser a excepção e se torna a norma.

É muito difícil manter o foco máximo, a concentração máxima e o rendimento máximo durante um período tão prolongado de tempo. E isso é o que tem acontecido aos Pacers nos últimos tempos. Mais do que problemas de movimentações, problemas tácticos ou técnicos (ou melhor: antes destes problemas, porque estes são consequência), o problema dos Pacers parece estar no cansaço mental. Mais do que uma equipa fisicamente cansada, parece uma equipa mentalmente cansada.

Ontem, obviamente, isso não foi um problema. Contra os Heat, a motivação, a concentração e a energia estavam lá. Mas os Pacers têm de aprender a conservar energias para momentos destes. 

Para equipas que lutam por um título, a gestão de esforço na temporada regular ainda se torna mais importante. Porque a maratona para estas é ainda mais longa e, para uma equipa que chegue às Finais, pode estender-se para além dos 100 jogos.

A temporada regular faz-se em ritmo elevado, sim, mas não no máximo. Ali nuns 80%, para reservar uma mudança extra para alguns momentos da temporada regular e, claro, para o maior pico de trabalho da temporada, os playoffs. Porque aí é que é para deixar tudo em campo. E com quanto mais energia lá se chegue, mais se tem para deixar. Essa é a lição que estes Pacers estão a aprender.

2 comentários:

  1. Muito bem escrito como é de resto habitual!

    keep up the good work!

    ResponderEliminar
  2. Excelente artigo!

    Só faltou acrescentar que os Spurs já fazem esta gestão há muito tempo e os resultados estão à vista...

    ResponderEliminar