1.3.14

Pesca fora de época


Neste mercado de agentes livres pós-trade deadline, nenhum candidato (ou aspirante a candidato) ao título espera pescar uma estrela, uma peça principal ou um jogador que vá transformar a equipa. Esses procuram-se na offseason, através da free agency e/ou de trocas, ou já durante a temporada, através de trocas. A época de fazer (ou tentar fazer) alterações significativas já terminou e não só as equipas candidatas têm já um plantel estabelecido e uma equipa formada, como também não há, obviamente, grandes jogadores disponíveis nesta fase. 

É um mercado de "sobras" e esta é a época de encontrar (ou tentar encontrar) uma peça complementar, um jogador para completar o plantel, compensar algum ponto fraco (ou alguma lesão) na equipa e dar uma ajuda na recta final de temporada regular e nos playoffs.

Mas isso não quer dizer que não se encontrem boas sobras. Às vezes, devido a situações particulares de trocas feitas em cima da data limite (jogadores que foram adquiridos como parte de um pacote, mas com quem as equipas não pretendem ficar) ou de situações particulares de determinada equipa (que está em reconstrução e liberta um veterano com quem não conta a longo prazo), temos boas "sobras" e jogadores razoáveis disponíveis depois do trade deadline. 

Este ano temos três jogadores desses: Glen Davis, Danny Granger e Caron Butler. Três jogadores que não são estrelas (ou, no caso dos dois últimos, já não são estrelas), mas que ainda podem dar uma ajuda importante num candidato ao título. E os Clippers pescaram dois deles. 


Glen Davis e Danny Granger já assinaram pela equipa de Los Angeles e são duas óptimas adições a esse plantel. Glen Davis vem preencher uma lacuna grande que os Clippers têm desde o início do ano que é a falta de um bom jogador interior suplente. O melhor jogador que tinham atrás de Blake Griffin e DeAndre Jordan era Ryan Hollins. O que era insuficiente para irem longe. 

Agora têm um jogador que tanto pode jogar ao lado de Griffin como ao lado de Jordan e dar minutos de descanso aos dois (Hollins só podia - e só pode - substituir Jordan), que conhece bem o sistema de Doc Rivers e precisa de menos tempo para se adaptar e que (nos Celtics) sempre teve bom rendimento nos playoffs. Uma rotação de Griffin, Jordan e Davis (com Hollins a dar uma ajuda) já é uma rotação respeitável.

E Danny Granger é uma alternativa a Jared Dudley e um seguro para o caso de JJ Redick continuar com problemas físicos. Granger está longe das suas médias de carreira, mas em Los Angeles, com a bola nas mãos de Chris Paul e Griffin, ele não precisa de criar os seus lançamentos e será (mais) um atirador exterior. Apesar de estar ligeiramente abaixo das suas médias nesse departamento, esse é o departamento em que está mais próximo do seu nível pré-lesão (38% de 3pts na carreira; 33% este ano).

Passar de Byron Mullens e Antawn Jamison (os dois de que se desfizeram no trade deadline) para Granger e Davis é um bom upgrade no seu banco e os Clippers foram os campeões da pesca fora de época. Se isso os vai levar ao título que almejam teremos de esperar para ver, mas ficaram melhor preparados para essa luta.

3 comentários:

  1. Muito bem jogado pelos Clippers. Ideal tinha sido tentarem adquirir o Bynum também, mas não se pode ter tudo.

    ResponderEliminar
  2. Como é que eles têm salary cap para isto tudo??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "MINIMUM PLAYER SALARY EXCEPTION -- Teams can offer players minimum salary contracts even if they are over the cap. Contracts can be up to two years in length. For two-year contracts, the second season salary is the minimum salary for that season. The contract may not contain a bonus of any kind. This exception can also be used to acquire minimum salary players via trade. There is no limit to the number of players that can be signed or acquired using this exception."

      Eliminar