30.3.14

Bater Bolas - Fazer tanking ou não fazer tanking


Nunca se falou tanto de "tanking" como nesta temporada. Com as altas expectativas em redor do draft deste ano (que é anunciado como o melhor da última década e com várias possíveis futuras estrelas), algumas equipas optaram por esse plano e apostaram em perder agora para (tentar) ganhar no futuro. Ficar no fundo da tabela para aumentar as hipóteses de ficar com a primeira ou uma das primeiras escolhas e reconstruir a equipa através do draft.


E quando se fala de "tanking" e reconstruir pelo draft, os Thunder são o exemplo sempre referido. Em três drafts consecutivos, seleccionaram Durant, Westbrook, Harden e Ibaka e construiram quase instantaneamente um candidato ao título. Mas isso não quer dizer que seja uma fórmula possível ou fácil de repetir. E também temos, por outro lado, os Cavs, Kings ou Bobcats. Equipas que apesar de terem escolhas altas vários anos seguidos, não conseguiram construir uma equipa de topo (ou sair sequer da metade de baixo da tabela, em alguns casos).

Será então que esse é o melhor plano e a melhor forma de (re)construir uma equipa? É isso que vos perguntamos no BATER BOLAS de hoje.

O que pensam sobre o tanking? Boa ou má estratégia para construir uma equipa? É mais fácil ou mais difícil construir uma equipa pelo draft? É a melhor forma de reconstruir ou será que muitas equipas (de mercados pequenos e sem a mesma capacidade que outras de atrair free agents) optam por isso porque não têm alternativa? 

5 comentários:

  1. Eu penso que é uma boa estratégia. Arrojada, mas uma boa estratégia. Contudo, creio que a FA é um processo mais rápido, mas lá está, só "saceia" os grandes mercados.

    ResponderEliminar
  2. Eu acho q o tanking tem de ser um consequência de uma má e poca e nunca o objectivo. Perder quase propositadamente é coisa que não me entra na cabeça.O basket como todos os desportos é vivido no momento. O futuro é sempre incerto.

    ResponderEliminar
  3. Na NBA exitem várias formas de constituir equipas, o tanking é uma estratégia como outra qualquer, existem benefícios mas existem muitos muitos perigos, cabe a cada equipa ponderar e constituir equipa consoante o mais apropriado. Não há nem nunca haverá uma formula mágica para se construir uma equipa de topo, e o tanking não é essa fórmula mágica, de todo. De que serve uma equipa com muitas picks altas se não sabem selecionar jogadores, se não sabem potenciá-los, se não os motivam para representarem aquela equipa, se todo o grupo está envolto em mau ambiente, se a direção é má se os treinadores são maus. E para contruír equipa pelo draft que dizer tanking? Não claro que não, pode-se ter picks altas por outros meios, sabendo negociar e potencializar a escolha. Para mim o tanking não é soloção, se a equipa é má enquando falo de equipa falo de direção, equipa técnica etc, não vai ser pelo tanking que vão ficar bons, dessa forma na minha perspetiva apesar de ser uma estratégia válida não é a melhor, não é a única alternativa e se dependesse de mim uma equipa minha nunca iria por essa estratégia...

    ResponderEliminar
  4. Quando o tanking é objectivo assumido desde o inicio da época, embora não concorde com a estratégio, aceito porque por vezes é o unico meio de chegar a um objectivo.
    Agora quando temos casos como os Pistons deste ano, onde até meio da época lutavam pelos playoff e a partir de certo momento abdicaram começando a fazer um tanking abusivo (o record deles agora não reflecte a qualidade da equipa), não consigo concordar.
    Ainda para mais conhecendo a habilidade no Dumars a escolher no draft (Darko Milicic...) desagrada-me cada vez mais esta abordagem.

    ResponderEliminar
  5. Aparte: compro cassetes VHS de jogos antigos da NBA, transmitidos na RTP.

    ResponderEliminar