4.4.11

As maiores surpresas individuais ou "este gajo jogou pra c@#%&$o este ano!"


Para terminar esta segunda parte do nosso balanço da temporada regular, ficamos com os jogadores que se portaram melhor do que todos esperavam. São as Cinco Maiores Surpresas Individuais do ano (e mais uma menção honrosa ou outra).

Derrick Rose
A maior e mais positiva surpresa do ano. À semelhança dos Bulls, já se esperava que fosse bom, mas não tão bom. Se lhe dissessem em Outubro que em Abril ia estar à beira de ganhar o MVP, nem ele teria acreditado. Tem sido uma ascensão meteórica até ao topo da liga e este ano deu mais um passo de gigante.





Kevin Love
Outra das grandes surpresas. Os seus méritos esta temporada estão mais que documentados e já são bem conhecidos de todos, por isso não precisamos de defender o seu caso. Melhorou em todas as categorias estatísticas e foi raro o jogo em que não acabou com um duplo-duplo. Foi uma das histórias da temporada.





Landry Fields
A maior surpresa deste draft. Escolhido na segunda ronda, teve um rendimento surpreendente nos Knicks e tem sido um dos melhores rookies. Excelente ressaltador para a sua posição (6.4/jogo), excelente atleta, bom defensor (não é melhor porque... enfim, joga nos Knicks) e ainda dá uma ajuda sólida no ataque (9.8 pts/jogo, 50% 2pts e 40% 3pts) .




Gary Neal
Mais uma pérola descoberta pelos Spurs. Passou pelo draft de 2007 sem ser escolhido e depois de três anos a jogar pela Europa, assinou este verão pela equipa texana. Revelou-se uma das maiores armas a sair do banco de San Antonio e surpreendeu todos com a sua pontaria (9.7 pts em 20 min/jogo, com 41.6% 3pts). O próprio Gregg Popovich já o elogiou publicamente pela rapidez com que se integrou nos esquemas ofensivos e defensivos da equipa e pelo contributo fundamental que tem dado.


Blake Griffin
Já ouvimos falar tanto dele esta época e já vimos tantos highlights que pode já não parecer surpresa para ninguém. Mas lembrem-se que, depois de estar uma temporada inteira de fora por lesão, em Outubro era um grande ponto de interrogação. Embora já se soubesse que era talentoso e já se esperasse muito dele, ninguém esperava que fosse tão bom logo na época de estreia. Foi o primeiro rookie a jogar no All Star Game desde Tim Duncan em 98 e 22.4 pts, 12.1 res, 3.5 ass e centenas de jogadas espectaculares falam por si. Tornar-se um dos jogadores mais populares da NBA em tão pouco tempo é sempre surpreendente e só ao alcance de muito poucos.


Menção Honrosa

Tracy McGrady
Os números e o rendimento já não são os mesmos dos seus tempos aúreos, mas foi um regresso a um patamar competitivo que quase todos já não esperavam possível. Revelou-se sólido na direcção do ataque dos Pistons (mais uma surpresa, pois foi uma posição nova para ele), com médias de 8.1 pts, 3.5 res e 3.5 ass, em 23 min/jogo. Números semelhantes aos da época passada, mas nesta fez toda a temporada e não apenas 20 jogos. Foi uma época positiva para um jogador que já se pensava acabado.

Lamar Odom
Não é exactamente uma surpresa, mas teve, de qualquer forma, um rendimento acima do esperado. Com 14.4 pts, 8.7 res, 3 ass e 53.5% nos 2pts, fez a sua melhor época dos últimos três anos, que o deixa como grande favorito (o vencedor, para nós) a Sexto Homem do Ano.

Tyson Chandler
Outro que não é exactamente uma surpresa, mas antes um regresso (surpreendente?) à forma e utilidade de outros tempos. Foi a presença interior que faltava aos Mavs e um dos pilares da sua defesa. No ataque, re-editou com Jason Kidd o entendimento em campo que tinha com Chris Paul e a média de 10.2 pts é a segunda melhor da sua carreira.

8 comentários:

  1. a que horas é o jogo da final do basquetebol universitario?? alguem sabe?

    ResponderEliminar
  2. É às 21:30, hora dos Estados Unidos (2:30 cá!)

    ResponderEliminar
  3. mt obrigado! lá vai ter que ser!!

    ResponderEliminar
  4. Como fã dos Bulls concordo plenamente.. o D-rose é espectacular. Apesar de ver nba há relativamente pouco tempo, o seu talento ajuda os bulls em todos os jogos. Se se lesionar, não sei o que acontecerá aos Bulls nos playoffs mas espero que tal não aconteça.
    Gostei muito do post e gostaria se não se importar, a época do John Wall visto que é o meu rookie preferido e muitos dizem que teve muito abaixo das espectativas.
    Continua ^^

    ResponderEliminar
  5. que fizesse uma especie de analise a época*faltava isto.

    ResponderEliminar
  6. kile lowry, dorel wright tambem sao 2 grandes surpresas...

    ResponderEliminar
  7. Sim, Lowry e Wright também foram boas surpresas. Mais Lowry que Wright, pois este sempre foi uma das nossas apostas pessoais e não é para nós uma surpresa total. Já sabiamos que ia beneficiar muito da mudança para um sistema mais adequado ao seu jogo. E já o abordámos neste artigo:
    http://setevintecinco.blogspot.com/2011/02/alguns-dos-melhores-nao-all-stars-do.html

    Quanto a Lowry, concordo, aproveitou da melhor forma a lesão de Aaron Brooks, ficou-lhe com a titularidade e fez uma excelente época.

    ResponderEliminar
  8. falta o albridge, o dj augustin, o batum, o felton o nick young.
    depois das trocas, foram grandes surpresas também o jordan crawford e o marcus thornton

    ResponderEliminar