7.4.11

Quem é o Co-Treinador do Ano?


Quando Jerry Sloan saiu dos Jazz em Fevereiro, defendemos aqui a sua candidatura a Treinador do Ano. Continuamos a defender que, como é um prémio subjectivo e sem critérios escritos em nenhum lugar, podiam e deviam dá-lo a ele (e antes de apontar a estupidez da ideia, podem ler aqui o artigo com os nossos argumentos). E os treinadores que cumpriram uma época inteira e tiveram grandes resultados? Muito bem, Co-Treinador do Ano para Sloan e outro (nunca aconteceu, mas há sempre uma primeira vez. Já aconteceu no Rookie do Ano e no MVP do All Star Game, porque não no Treinador do Ano?).

E qual seria esse outro Co-Treinador do Ano? São três os candidatos:

Gregg Popovich
O timoneiro dos Spurs recuperou uma equipa veterana que todos davam como acabada e levou-os aos primeiro lugar e (até agora e possivelmente até ao fim) ao melhor recorde da temporada regular. Apesar dos recentes deslizes que fizeram diminuir a vantagem para os perseguidores, os texanos jogaram o melhor basquetebol da liga ao longo de todo o ano. Têm já mais 10 vitórias que o ano passado (faltam 3 jogos, pode subir para 13 o progresso), estão no top 10 no ataque e na defesa, conseguiram a vantagem-casa nos playoffs e são um dos principais candidatos ao título (algo que depois da época passada ninguém apostava). Sim, Ginobili, Duncan e Parker mais frescos tem responsabilidade nisso, mas Popovich é o mestre que continua a dispôr e utilizar as peças à disposição como muito poucos. E este ano foi mais um excelente exemplo disso.

Tom Thibodeau
Se os Bulls foram a revelação do ano, Thibodeau foi um dos grandes responsáveis por isso. Rose foi o outro, mas Thibodeau é também um dos responsáveis pelo seu progresso este ano, por isso podemos dizer que Thibs foi o maior responsável pela grande temporada dos Bulls e a maior revelação do ano.
Mais 16 vitórias que em 2009-10 (pode aumentar para 21, se ganharem os últimos 5 jogos), a melhor defesa, primeiro lugar no Este e ainda a lutar pelo melhor recorde da temporada. Melhor estreia para o ex-adjunto dos Celtics era difícil. Só se ganhar o Treinador do Ano.

George Karl
Foi o milagreiro do ano. Durante a primeira metade da temporada teve de gerir uma equipa com a toda a incerteza e instabilidade provocada pela novela de Carmelo. Durante a segunda metade, teve de reconstruir a equipa sem Carmelo. No meio disto tudo, colocou os Nuggets a jogar algum do melhor basquetebol que a NBA viu nestes últimos meses. Melhoraram na defesa e no ataque e estão (e vão acabar) em 5º do Oeste, com um muito positivo recorde de 48-30. Se uma temporada na NBA pode ser longa e cheia de surpresas e obstáculos, ninguém os superou melhor que Karl.


(se eu acredito que a NBA vai dar o prémio a Sloan e um destes? Obviamente que não. Por isso, estes nossos candidatos a Co-Treinador do Ano, são os candidatos na NBA a treinador do ano e um deles será o vencedor)

5 comentários:

  1. Para mim Thibs sem duvida.
    Fez uma equipa com uma defesa fortissima e com aspirações ao titulo.

    Dos piores Mike D´Antoni, correr correr correr correr, nao da resultado se nao defenderem. Por isso podem ter Big 3/4 ou 5 sem defesa Kaput!

    Continua em força

    JHigino

    ResponderEliminar
  2. DanieldaCruz08/04/11, 14:43

    Concordo em pleno contigo Márcio!
    Seja relativamente a Sloan ou aos 3 grandes candidatos (pela regularidade).
    O trabalho de Thibs surpreendeu e trazer de volta os Bulls é algo que merece toda a nossa atenção.
    Popovic é inevitavelmente um dos candidatos, e tu explicitaste bem a razão pela qual o merece.
    George Karl para mim é dos treinadores que mais merece respeito,sabe sempre como trabalhar com aquilo que tem aceitando o que acontece à sua equipa e trabalhando sempre de forma a apresentar um basquetebol muito bem jogado. Desde meio da época de 2004/2005 que este senhor me fez apaixonar pelos Nuggets e acho que este ano seria bom vê-lo vencer este prémio.
    Mas acredito que o Thibs acabe porque levar o prémio (sozinho :P ).
    Um grande abraço e parabéns pelo post, está muito bom!
    Let's Go Nuggets!

    ResponderEliminar
  3. deves detestar os sixers ;) já viste o trabalho que o collins fez lá? Começaram 3-13 e sem motivação. Agora o iguodala está a jogar como um all-star, o young é candidato a 6º homem do ano e estao na corrida pelo 6º lugar do este. Sem duvida doug collins para treinador do ano!

    ResponderEliminar
  4. Não tenho absolutamente nada contra os Sixers! Como podes ver neste post (http://setevintecinco.blogspot.com/2010/12/os-campos-da-nba.html) até têm um dos meus campos preferidos! :)

    Mas em relação ao seu desempenho esta temporada não concordo que tenham estado acima das possibilidades ou que tenham sido uma das surpresas, mas sim apenas ao nível que se esperava daquela equipa. Parece que estiveram acima porque o ano passado estiveram bem abaixo e foram uma das desilusões do ano. Este ano estão a fazer apenas a jogar o que deviam. Iguodala está a fazer uma temporada pior que o ano passado (os seus números baixaram em tudo, menos nas assistências), Young está a fazer uma semelhante (praticamente os mesmos números) e o jogador que melhorou bastante (e esteve quase a entrar nas minhas surpresas do ano) foi Jrue Holiday.

    Collins fez um bom trabalho, concordo. Conseguiu recuperar uma equipa que jogava abaixo das suas possibilidades, mas não fez um trabalho extraordinário ou melhor, na minha opinião, que qualquer um destes três.

    ResponderEliminar
  5. Na minha opinião talvez o prémio recairá sobre o Thibodeau porque ninguém esperava que fizesse um trabalho tão bom como fez. George Karl não me impressiona muito, embora com um excelente trabalho, os Nuggets têm um conjunto de jogadores mt equilibrado e jovem principalmente (desde a troca) e sempre pensei que os Nuggets só ficassem a ganhar com esta troca.

    Gostaria só de deixar também uma palavra de apreço pelo excelente trabalho do Nate McMillan, que com Roy, a grande estrela da equipa lesionada por grande parte da época e Greg Oden (este talvez não tão preponderante já que nunca foi uma opção real nos últimos anos) conseguiu manter a equipa na luta dos playoffs e agora com o retorno do Roy poderam ser uma das equipas a causar surpresa na primeira ronda.

    ResponderEliminar