13.11.12

E agora, D'Antoni.


Mitch Kupchak e Jerry Buss continuam com o dedo leve no gatilho. Depois da demissão relâmpago de Mike Brown e quando tudo parecia encaminhado para o regresso do desejado-pelos-fãs Phil Jackson, eis que os dirigentes dos Lakers nos presenteiam com uma rápida e surpreendente reviravolta nos acontecimentos e anunciam o ex-treinador dos Suns e Knicks como o novo timoneiro dos angelinos:


É então Mike D'Antoni o homem incumbido da missão de levar estes Lakers ao título (sim, porque para esta equipa é, assumidamente, título ou nada). E agora a pergunta obrigatória: será D'Antoni capaz de levar a cabo tal missão?

A julgar pelas reacções imediatas, muitos duvidam que seja. Nós próprios não o apontámos como a melhor solução. Mas dizer que D'Antoni não é homem para esta missão pode ser um veredicto precipitado.

Comecemos por recapitular o que os Lakers precisavam:
- um treinador que tivesse o respeito das estrelas da equipa (e de Kobe em particular) e uma boa relação com estas
- um sistema ofensivo que fosse o mais rápido de aprender possível
- um sistema ofensivo que tirasse o melhor partido possível dos jogadores (nomeada e especialmente de Nash e Howard)

Pois bem, como sabem, Kobe cresceu em Itália (o seu pai, Joe Bryant, jogava lá). E quem era uma das maiores estrelas do basquetebol italiano nessa altura? Mike D'Antoni. Kobe cresceu a idolatrar D'Antoni e sempre o admirou. E, para além disso, já trabalharam juntos também na selecção americana. E quanto à relação com Nash nem precisamos falar. O base canadiano teve os melhores anos da sua carreira sob o comando de D'Antoni. Por isso, respeito das estrelas e de Kobe em particular? Check.

O sistema ofensivo de D'Antoni é muito mais simples que o ataque Princeton e que o triângulo ofensivo, Nash conhece-o de trás para a frente e o tempo necessário para os outros o aprenderem será significativamente menor que para qualquer um dos outros dois sistemas. Um sistema ofensivo que reduza ao máximo o tempo necessário de aprendizagem? Check.

E é um sistema ofensivo onde não vão faltar os desejados pick and rolls para Nash e Howard (e Gasol). Portanto, um sistema ofensivo mais adequado a estes jogadores? Check.

Até aqui, parece uma escolha acertada. Mas nem tudo são rosas e há duas questões fundamentais que se colocam com D'Antoni. A primeira é aquela que é apontada imediatamente como a principal falha deste treinador e das suas equipas: a defesa (ou falta dela). Mas também aqui o veredicto pode ser precipitado.

É um facto que as equipas de D'Antoni nunca foram conhecidas pela sua defesa, mas, como dissemos na análise dos possíveis sucessores de Mike Brown, ele também nunca teve defensores interiores como os que tem nesta equipa e nunca teve um como Howard. Teve Tyson Chandler durante meia temporada nos Knicks e a defesa da equipa deu um salto enorme nesse período (foi mesmo a equipa que mais evoluiu nesse departamento). 
Para além disso, o mito que as equipas de D'Antoni sempre foram más defensoras é exagerado. Nunca foram das melhores da liga, mas também nunca foram das piores. Eram apenas medianas (os Suns, entre 2004 e 2008, foram a 14ª equipa em Defensive Rating). E isto sem defensores interiores de topo. É, por isso, seguro que a defesa de D'Antoni e dos Lakers vai ser boa? Não, mas com estas peças pode ser.

A outra questão, e provavelmente o maior desafio de D'Antoni (talvez até maior do que colocar a equipa a defender bem), é a melhor forma de utilizar Kobe, Artest e Gasol no seu sistema ofensivo. O ataque com 4 jogadores abertos e um poste alto que D'Antoni utiliza (podem ver uma análise mais pormenorizada desse sistema neste artigo que escrevemos sobre os seus Knicks), começa normalmente com um pick and roll alto, acima do garrafão, entre o base e o poste e os outros 3 jogadores abertos. Ora Gasol não é um jogador exterior e terá de ocupar uma posição mais interior do que este ataque habitualmente prevê. E nem Bryant nem Artest são atiradores puros (embora não sejam jogadores que se possam deixar sozinhos).

Bryant pode fazer uma posição semelhante à que Shawn Marion fazia nesse sistema e vaguear pelo ataque à procura dos espaços e buracos na defesa adversária, mas aí deixa menos espaço para Gasol fazer o mesmo. Apenas Artest parece claro para ocupar uma posição aberto na linha de 3 pontos (o que pode ser bom ou mau) e D'Antoni terá de encontrar a melhor forma de arrumar Kobe e Gasol. Kobe terá de jogar mais sem bola, Kobe e Gasol terão de alternar essas movimentações sem bola e quando fôr Gasol a fazê-lo, Kobe pode jogar aberto na linha de 3 pontos. Um desafio, sim, mas longe de impossível.

Como longe de impossível é a missão de Mike D'Antoni. Um grande desafio, sim (o maior da sua carreira), e uma escolha dos dirigentes dos Lakers que, à primeira vista, levanta muitas dúvidas, mas, após uma análise mais atenta, uma que pode ser acertada.

8 comentários:

  1. Triplo Duplo13/11/12, 01:06

    Ou seja, um mar dúvidas.
    A única certeza é que depois de ser escorraçado dos Knicks, nem nos melhores sonhos ele adivinhava a equipa lhe ia ter às unhas.

    ResponderEliminar
  2. Márcio, respeito pelas estrelas, check?
    Pelo que li ou vi, já não me recordo, as relações entre D´Antoni e Nash não são propriamente as melhores. Os Lakers deviam ser excelentes defensivamente e não o serão, porque o foco do treinador não é esse. Além disso, triplistas neste roster, quantos são? Poucos.
    O World Peace não é propriamente excelente lançador de triplos, acho eu.
    Má escolha, digo eu.
    Jerry Sloan era muito melhor.

    ResponderEliminar
  3. ontem em houston, o lebron agarrou no jogo e pô-lo no bolso, e vieram embora com a vitória.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Noite de loucos ontem pelos resumos que estou a ver...Miami em Houston, Thunder em Detroit e Utah em Toronto.

      Eliminar
  4. Peço desculpa pelo offtopic mas tudo o que tinha a comentar sobre o post já foi feito noutro espaço aqui no blog.

    Entretanto recomendo a todos este excelente artigo sobre o Kenyon Dooling. Eu não conhecia a história, que é digna de um filme mas fiquei sinceraente comovido - http://www.nba.com/2012/news/features/david_aldridge/11/12/morning-tip-lakers-choose-mike-dantoni-over-phil-jackson/index.html?ls=iref:nbahpt3a#dribbles

    ResponderEliminar
  5. Triplo ot ontem em Toronto. Insane

    ResponderEliminar
  6. Papa Valdemares15/11/12, 00:53

    Eu sempre pensei que o sistema ofensivo do D'Antoni era lançar ao cesto até aos 10 segundos!!!

    ResponderEliminar