10.12.14

El MVP


Neste momento, no top 10 da NBA na Corrida para o MVP, temos: LeBron James, o candidato crónico; Stephen Curry, o favorito de muitos; Anthony Davis, o novo menino bonito da liga, que tem os números individuais, mas não tem o recorde colectivo; James Harden, que entra na corrida graças à sua defesa melhorada; LaMarcus Aldridge e Blake Griffin, que continuam a ser dos melhores power forwards da liga; Klay Thompson, Kyle Lowry e Jimmy Butler, que com os seus excelentes começos de temporada, são os candidatos surpresa; e depois temos aquele que menos atenção mediática (e também menos reconhecimento dos fãs) recebe, mas que é só o líder da corrida: Marc Gasol.

Também nós temos sido cúmplices dessa injustiça e ainda não lhe demos o devido destaque este ano, por isso vamos lá corrigir isso.


Gasol tem sido não só um dos melhores postes, mas um dos melhores jogadores da liga nas últimas temporadas. Os seus números e o seu jogo podem não ser os mais vistosos, mas muitas das suas contribuições não são visíveis a "olho nú" (para além de pontos, ressaltos, assistências e afins, os seus passes - dos que podem não dar assistência, mas iniciam movimentações ofensivas -, a sua ocupação do espaço, as suas ajudas e rotações defensivas são exemplares) e é um daqueles casos de um jogador que é muito melhor e muito mais importante do que as estatísticas tradicionais mostram.

Em 2012-13 foi o Defensor do Ano e desde 2009-10 (o seu segundo ano na liga) que a defesa dos Grizzlies não termina a temporada fora do top 10. Se dúvidas havia sobre a sua importância na equipa e o seu impacto em campo, no ano passado os Grizzlies tiveram um recorde de 40-19 com ele e 10-13 nos dois meses em que ele esteve de fora por lesão.

Os seus números já eram bons e mantiveram-se regulares nos últimos 5 anos (cerca de 14 pts e 8 res, 3 ast, 2 dl e 1 rb por jogo), mas este ano elevou o seu jogo a um nível inédito. O poste espanhol dos Grizzlies está a fazer a melhor temporada da sua carreira (20 pts, 8.3 res, 3.9 ast, 1.5 dl e 1 rb; e 23.4 de PER) e a está a fazer coisas em campo que nunca fez (ou nunca fez tão bem).

Uma das razões para tal é a excelente forma física em que apresenta este ano. Gasol diz que, no Verão, cortou o açúcar, os refrigerantes e os alimentos processados da sua alimentação, reduziu também os hidratos de carbono e as carnes vermelhas e aderiu a uma dieta semi-vegetariana.

Este era Marc Gasol na época passada:


E este é Marc Gasol em 2014-15:


Está mais leve e mais móvel e, como consequência disso, melhor jogador no ataque e com um arsenal ofensivo mais variado.
Já era, e continua a ser, um excelente passador, um bom lançador de meia distância e um bom atacante a poste baixo. Mas este ano, para além disso, podemos vê-lo a correr na transição ofensiva, a entrar como trailer no contra-ataque e a receber a bola em movimento como nunca antes o vimos fazer. Podemos vê-lo também a ameaçar o lançamento, a meter o drible e atacar o cesto em penetração (algo que só fazia, normalmente, a partir de poste baixo). Como resultado disso, está a conquistar mais lances livres e a marcar mais pontos que nunca.

Essa maior mobilidade e velocidade também se reflecte do outro lado do campo, onde, se já era um dos melhores defensores interiores da liga (se não o melhor), está ainda melhor na ocupação de espaço, nas ajudas e rotações.

À excepção de Anthony Davis, nenhum outro jogador daquela lista de candidatos lá em cima tem tanto impacto dos dois lados do campo como Gasol. E é o justo, ainda que menos mediático e reconhecido, MVP do que levamos de temporada.

1 comentário:

  1. De facto, o Marc está fenomenal este ano. E já reparei que a NBA sabe disso porque já vi na NBA league pass em vários descontos de tempo dos jogos, a compilação dos pontos e das jogadas do Gasol, se não estou em erro contra os clippers, em que ele fez um jogão.

    ResponderEliminar