7.12.14

Guerreiros a temer?


Uma vitória num pavilhão onde não ganhavam desde 2008, ...


...o melhor começo (17-2) e a série de vitórias consecutivas mais longa da história da equipa.


Devem as outras equipas do Oeste ficar preocupadas e começar a temer estes Warriors? Sim. Porque:

Melhoraram a defesa. 
Não que esta fosse má no ano passado. Pelo contrário. Tiveram a 4ª melhor defesa em 2013-14 (com um Rating Defensivo de 102.6). Mas este ano estão ainda melhores desse lado do campo (96.2 pts sofridos/jogo e 1ºs no Rating Defensivo, com 98.1 pts sofridos por cada 100 posses de bola). Andrew Bogut continua a ser o pilar no centro da defesa, excelente nas ajudas, a fechar o meio do campo e a proteger o cesto. Draymond Green é um grande upgrade em relação a David Lee e está a conjugar-se bastante bem com Bogut. E depois têm vários jogadores exteriores (wings) atléticos capazes não só de defender o jogador com bola, mas também de colocar muita pressão sobre as linhas de passes e provocar turnovers (a primeira parte do jogo de ontem foi um exemplo perfeito disso; ativos, agressivos, com muita entre-ajuda e rotações rápidas, cortaram linhas de passe, forçaram perdas de bolas e marcaram 27 pontos em contra-ataque).
O elo mais fraco da defesa é mesmo Stephen Curry, mas de resto têm quatro defensores acima da média no cinco inicial (e mais dois no banco) e a melhor defesa da NBA até ao momento. É uma defesa um pouco diferente, por exemplo, da dos Grizzlies, que aposta mais no posicionamento e no preenchimento de espaços. A dos Warriors não é tão posicional, é mais móvel, mais agressiva e com muitos braços em movimento, mas igualmente eficaz.

Marcam pontos aos molhos, mesmo sem terem a melhor execução ofensiva.
Estes Warriors, mesmo quando não têm a melhor execução e a melhor movimentação de bola, conseguem marcar pontos com uma facilidade estonteante. Muitas vezes não criam as melhores situações de lançamento, mas conseguem marcar na mesma, simplesmente porque acertam os lançamentos. Nada substitui "acertar lançamentos" e a estes Warriors basta-lhes meia oportunidade para marcar. 
E em 3 ou 4 ataques podem marcar 9, 10, 12 pontos e, num ápice, abrir uma vantagem ou recuperar duma desvantagem (ontem, por exemplo, estiveram quase 4 minutos sem marcar no começo do 2º período e depois, nos 8 minutos seguintes, marcaram 32 pontos!).
E mesmo sem terem uma execução perfeita estão no top 10 (7º melhor ataque, com um Rating Ofensivo de 109.2) Agora imaginem se (ou quando) movimentarem melhor a bola e executarem ainda melhor no ataque.

Klay e Dray estão melhores
Klay Thompson melhorou o drible e o manejo de bola e está com um arsenal ofensivo mais completo. Já não é só um atirador, também é capaz de penetrar e está a finalizar mais e melhor no garrafão. Como se já não fosse difícil defendê-lo na linha de três pontos, agora ainda têm de se preocupar com as suas penetrações.
E Draymond Green está a aproveitar da melhor maneira a ausência de David Lee para fazer a melhor época da sua jovem carreira (e já não deve voltar para o banco quando Lee regressar; o que ainda vai melhorar o banco da equipa). Tem sido uma das peças fundamentais da melhorada defesa e um contribuidor muito importante no ataque (mais um que não podem deixar sozinho na linha de três pontos).

Têm mais jogadores a contribuir
Para além da evolução de Thompson e de Green, têm tido mais e melhores contribuições do banco. Iguodala é um suplente de luxo que joga muito tempo com a primeira unidade e continua a ser um dos melhores defensores da liga, Marreese Speights tem dado mãos cheias de pontos a um banco que no passado tinha dificuldades em marcar pontos, Shaun Livingston cria muitos desequilíbrios e mismatches para os backcourts adversários (como vimos ontem; no 4º período, foi fundamental a jogar a poste baixo contra os bases mais pequenos de Chicago, a lançar e a criar desequilíbrios a partir dessa posição). E quando David Lee regressar da lesão, pode ser mais um suplente de luxo e mais um jogador para fazer pontos na segunda unidade. Um banco com Livingston, Barbosa, Iguodala, Lee e Speights? Já vi cincos iniciais piores.

Ser bom dos dois lados do campo normalmente é uma receita para títulos. Estes Warriors estão a ser muito bons num dos lados e são bons com potencial para serem muito bons no outro. E têm mais jogadores a contribuir que nunca. Se tiverem a sorte que não têm tido nas duas últimas temporadas (em ambas jogaram os playoffs sem um dos titulares; David Lee em 2013, Andrew Bogut em 2014), sim, comecem a temê-los.

Sem comentários:

Enviar um comentário