15.12.14

O feito de Kobe


Depois de um recorde que pode não ser o mais positivo ou aquele que um jogador mais ambicione ter no currículo, ontem Kobe Bryant atingiu um marco que quem dera a qualquer jogador alcançar. Com este lance livre...


... Kobe ultrapassou Michael Jordan na lista dos melhores marcadores de sempre e é agora o terceiro melhor marcador da história da liga.


Seja pelas suas carreiras, seja por jogarem na mesma posição, seja pelas semelhanças no seu jogo e pelo jogo de Kobe dever obviamente ao jogo de Jordan, as comparações entre ambos são inevitáveis e já todas e mais algumas foram feitas nos últimos dias.





E podemos fazer todas as comparações que quisermos, podemos falar de eras e da possibilidade ou impossibilidade de as comparar, podemos falar de recordes absolutos e recordes relativos, podemos dizer que estes últimos é que importam, podemos discutir eternamente sobre tudo isto e muito mais, mas há duas coisas em que pensamos que todos podemos concordar.

A primeira é na dimensão do feito. Goste-se de Kobe ou não, prefira-se o jogador dos Lakers ou a lenda dos Bulls, este é um feito extraordinário e possível apenas a jogadores que foram muito bons durante muitos anos. Tal como dissemos na altura do recorde de mais lançamentos falhados (e tal como nesse recorde), atingir uma marca como a que Kobe atingiu ontem é sinal de que se teve uma longa carreira ao mais alto nível, que se foi o melhor jogador da equipa (ou um dos melhores) e a primeira opção ofensiva (ou uma das primeiras) durante muitas, muitas temporadas. E isso, só por si, já é um feito estratosférico e raríssimo. Só jogar na NBA durante 19 anos é extraordinário e para muito poucos. Fazê-lo a este nível é incrível.

A segunda, e mais importante, é na sorte que temos de ter assistido a este feito e, também, termos visto jogar dois dos melhores marcadores e melhores jogadores de sempre.

E isso é aquilo que para nós mais importa destacar neste momento. Tal como a exibição dos Spurs nas Finais de 2014, este é daqueles feitos que vamos contar aos nossos netos e dizer-lhes que vimos em directo. Este é daqueles que não vamos esquecer. Este é daqueles para guardar. Por isso, aí fica para a posteridade o momento histórico e que vamos contar daqui a 20, 30 ou 40 anos:


3 comentários:

  1. Sou fã dos Lakers desde 1985 (única vez que uma equipa ganhou um campeonato em Boston Garden sem ser os Celtics e ano de rookie do 4º da lista) por causa do senhor que está em 1º dessa lista (e também por causa de outros como Earvin "Magic" Johnson e James Worthy). Considero-me portanto um afortunado por ter visto jogar todos os 4 primeiros dos melhores "atiradores" de sempre e só lamento não ter podido ver jogar outros como Wilt Chamberlain, Elgin Baylor, Jerry West ou mesmo Bill Russel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O senhor Earvin "Magic" Johnson é o grande responsável pela minha conversão. :) Do senhor que está em 1º na lista, infelizmente, só apanhei mesmo o final da carreira, mas tive o privilégio de ver jogar os 3 seguintes da lista. :) Dos restantes, valha-nos o YouTube enquanto a NBA não lança o seu arquivo:

      http://setevintecinco.blogspot.pt/2014/11/jogos-dar-cum-pau.html

      (não sei se viste esse post, mas é um belo arquivo de jogos)

      Eliminar
    2. Grande Kobe, grande carreira. Últimos anos de 1 dos melhores jogadores de sempre, sinto que os Lakers vão entrar num grande período de seca, com mto más equipas... Vai ser (ou melhor já está a ser) difícil reconstruir.
      p.s. - adorei esse post Márcio. Já vi alguns jogos mesmo antigos (para ver o Jerry West). Antes só via os melhores momentos e não ficava com uma completa ideia do que se passava durante o jogo inteiro.. ;)
      Por acaso a app da NBA tem 1 vault que penso ser vídeos esporádicos de jogos antigos

      Eliminar