10.8.11

Era Uma Vez a NBA: os anos 50


(Continuando a responder às vossas questões e sugestões, o João Lemos sugere debatermos os melhores 5's de cada década. Como este é um tema que exige a devida contextualização, vamos fazer mais do que isso. Vamos recordar e resumir a história de cada uma das décadas, apresentando no final os cinco melhores jogadores desses dez anos. Já fizemos aqui um artigo sobre a origem da liga e a sua época de estreia em 46-47. Continuemos então a história.)


Depois da temporada inaugural de 46-47, as duas épocas seguintes foram anos que estabeleceram os alicerces do jogo e lançaram as bases da futura NBA, mas que ainda tinham pouco que ver com o jogo como o conhecemos hoje. A recém-criada liga era ainda designada por Basketball Association of America (BAA) e conquistava aos poucos o seu espaço junto do público americano. Mas não se destacava ainda das outras ligas existentes, era apenas uma das ligas de basquetebol dos Estados Unidos. Isso estava, no entanto, prestes a mudar.

Em 1949, a BAA fundiu-se com a National Basketball League e adoptou a designação de National Basketball Association. Nascia oficialmente a NBA.

Coincidentemente, nesses anos de 49 e 50 a recém-nascida liga deu as boas vindas a nomes que mudaram a face da mesma e do jogo de basquetebol. Jogadores como Bob Cousy, Paul Arizin, Bill Sharman ou Dolph Schayes juntaram-se aos já estabelecidos George Mikan e Joe Fulks e começaram a moldar o jogo nos contornos que conhecemos hoje.


Na forma como definimos hoje a posição, Bob Cousy (que fez ontem 83 anos), dos Celtics, foi o primeiro verdadeiro point guard. Introduziu um controlo de bola e habilidade de passe únicos para a altura. O "Mr. Basketball" foi o melhor organizador de jogo e distribuidor da sua época e foi o líder de assistências durante 8 temporadas consecutivas.

Paul Arizin, dos Philadelphia Warriors, introduziu o lançamento em suspensão (jump shot). Naquela época o lançamento era afectuado com as duas mãos e os pés no chão (algo semelhante aos lançamentos actuais no corfebol) e Arizin foi um dos pioneiros do lançamento em suspensão com uma mão (aquele que é hoje praticado por todos os jogadores). Foi o melhor marcador duas vezes e teve uma média superior a 20 pts durante 9 temporadas consecutivas.

Bob Pettit (que entrou na liga em 54), dos St. Louis Hawks, e Dolph Schayes, dos Syracuse Nationals, foram jogadores que definiram a posição de power forward. Bons ressaltadores e bons jogadores interiores, capazes de jogar de costas para o cesto, mas também capazes de encará-lo e lançar de frente para o mesmo.

E George Mikan, dos Lakers, definiu a posição de poste. Foi o pioneiro do poste moderno. Com 2,08m (o maior jogador da liga na época), dominou o interior durante toda a sua carreira, aperfeiçoou a arte do ressalto, do lançamento em gancho e dos desarmes de lançamento. Liderou os Minneapolis Lakers a cinco títulos e foi verdadeiramente um dos jogadores que mudou o jogo. Foi por sua causa que a largura do garrafão foi aumentada.

Para além do grande desenvolvimento técnico que a NBA conheceu nesta década, também foram introduzidas regras que definiram o jogo de basquetebol moderno. E nenhuma mudou mais o jogo que a regra dos 24 segundos.

Depois dum horrível resultado final de 18-19 num jogo em 1953, o dono dos Syracuse Royals, Danny Biasone, estava determinado em melhorar o espectáculo para os fãs e contrariar a táctica, usada por muitas equipas, de trocar a bola indefinidamente no ataque para empatar tempo.
Biasone sugeriu a criação dum limite de tempo para o ataque (chegaram aos 24 segundos dividindo o número de segundos num jogo - 2880 - pelo número médio de lançamentos num jogo - 120) e os restantes donos aceitaram experimentar. E assim em 1954, foi criado o relógio dos 24 segundos.


Nessa temporada de 54-55 a média de pontos subiu quase 15 pontos por jogo (de 79 pts para 93 pts) e o basquetebol tornou-se um jogo mais rápido e mais espectacular.

E para a espectacularidade e popularidade do jogo contribuiu também outra criação da liga nos anos 50: o All Star Game. O primeiro All Star Game foi realizado em 1951, fruto da ideia de Haskell Cohen, relações públicas da liga, de promover o campeonato da NBA (para saber mais, podem ver aqui o artigo que escrevi para o Planeta basket sobre a história do All Star Game).

Houve ainda mais uma inovação nos anos 50, esta cultural: foi quando a NBA aboliu a barreira da cor e permitiu a entrada de atletas negros (pode parecer ridículo agora, mas temos de nos lembrar que eram outros tempos e a segregação racial subsistiu em alguns estados americanos até aos anos 60).

Com todas estas inovações, a década de 50 foi um período de afirmação e transformação. Afirmação da NBA como a liga que contribuiu mais para a evolução do jogo e como a melhor liga de basquetebol dos Estados Unidos. E o início da transformação do jogo de basquetebol no jogo que temos hoje.

Para fechar a história desta década pioneira, fiquem com a lista das Finais...

(imagem Wikipédia; a amarelo temos a equipa campeã e as cruzes indicam que a equipa teve o melhor recorde da temporada regular)

E, finalmente, o melhor cinco da década:

Bob Cousy - guard
Bill Sharman - guard
Paul Arizin - forward
Bob Pettit - forward
George Mikan - center

1 comentário:

  1. João Lemos12/08/11, 16:57

    Fantástico :) Bem Márcio, obrigado

    ResponderEliminar