29.1.11

Afinal, Kobe é clutch ou não?


A questão surgiu nos comentários do post anterior e é a discussão mais acesa na blogosfera NBAiana por estes dias: Kobe é um bom clutch player ou não?


Tudo começou com um artigo de Henry Abbott, no True Hoop. Em "The truth about Kobe in crunch time", Abbott defende que Kobe, apesar da percepção geral, não é um bom jogador nos minutos finais dos jogos. No início da época, os general managers das 30 equipas responderam ao questionário anual e 79% responderam "Kobe Bryant" à pergunta "Que jogador gostaria de ter a fazer o último lançamento no final dum jogo renhido?"
Esta é também a opinião generalizada entre a maioria dos fãs da NBA. Mas Abbott discorda. Para ele, "há zero chances de Kobe ser o rei do crunch time." Em toda a sua carreira, Bryant lançou 115 lançamentos nos últimos 24 segundos de jogos em que os Lakers estavam empatados ou a perder por dois ou menos pontos. Converteu 36 desses lançamentos e falhou nos outros 79, para uma percentagem de concretização de 31%. Para Abbott, "só nos highlights do Youtube e na mitologia da NBA é que Kobe é o melhor marcador nos momentos finais."

Zach Lowe, do blogue Point Forward da Sports Illustrated, respondeu ao artigo e defende que os números de Abbott estão correctos, mas isso não quer dizer que o jogador dos Lakers seja mau nos momentos finais. Na verdade, Kobe está na média (e não nos podemos esquecer que esta média não é de todos os jogadores da NBA, mas antes uma média dos melhores jogadores, pois só estes é que têm a bola nas mãos nestes momentos). A verdade, segundo Lowe, é que todos os jogadores baixam a percentagem nestas situações. Há várias razões que o explicam: as defesas esforçam-se mais e fazem tudo para não sofrer um cesto (não é o mesmo sofrer um cesto aos 24 minutos do jogo, onde ainda há mais 24 para jogar, e nos últimos segundos, onde já não há tempo para recuperar. É uma situaçao de tudo ou nada), os árbitros permitem mais contactos (pelo que se torna mais difícil marcar), os jogadores estão mais cansados, os ataques das equipas são mais previsíveis, recorrendo muitas vezes a jogadas de isolamento e, muitas vezes, também não há tempo para procurar uma situação de lançamento mais favorável e têm de lançar pressionados ou em desvantagem. Por isso, Kobe não é mau. É apenas, como todos os outros, pior nessas situações do que no resto do jogo.

Em que ficamos? Kobe é um bom clutch player ou não? Pois bem, na verdade, ambos têm razão.
De facto, ele lança quase sempre, o que o torna mais previsível e facilita o trabalho da defesa. E dar a vitória à equipa não tem de ser sempre marcar o último cesto. Pode ser fazer uma assistência a um companheiro livre (lembram-se de Michael Jordan a assistir para John Paxson e Steve Kerr nas Finais, quando toda a defesa caía em cima dele?). Sim, Kobe podia ser melhor nessas situações de final de jogo, se não insistisse sempre em querer decidir o jogo sozinho. O próprio Phil Jackson já afirmou mais que uma vez que gostava que Kobe confiasse mais nos seus colegas e tivesse um jogo mais colectivo nesses momentos. Para o Zen Master, o triângulo ofensivo é para continuar a ser executado sempre.

E sim, Kobe tem piores percentagens em crunch time do que no resto do tempo. Não podemos negar os números. Mas temos de saber contextualizá-los. Um lançamento nos últimos segundos não é o mesmo que um no resto do jogo. Há factores físicos, mentais e conjunturais que tornam esses lançamentos muito mais difíceis que qualquer outros. Por isso, podemos compilar as todas as estatísticas que quisermos desses minutos, mas estas não dizem a verdade toda. E a lógica que usamos para analisar o resto do jogo não se aplica em crunch time. Se durante um jogo, uma percentagem de 31% é francamente má, em lançamentos de final de jogo é aceitável. Mais: é do melhor que qualquer jogador consegue.

Kobe é clutch? Se compararmos com os números dos primeiros 45 minutos dum jogo, não. Mas não é disso que estamos a falar aqui. Aqui estamos a falar dos últimos minutos. Aqueles onde mesmo os melhores de todos não conseguem fazer melhor. Aqueles onde, se até os melhores pioram, imaginem o que os outros fariam. Sim, ter a bola nas mãos de Kobe não é uma vitória garantida. Mas é a melhor hipótese que podes ter.

9 comentários:

  1. Lakers Fã30/01/11, 01:46

    Excelente post, concordo 100 por cento contigo ;)!
    O blog esta cada vez melhor, para ainda ficar melhor tem que começar a ser mais divulgado, e tens que começar a postar os resultados e noticias diarias, acho que seria engraçado e traria mais adeptos ao blog, mas mesmo assim os meus parabens Marcio ;)

    ResponderEliminar
  2. Boas. Mais um excelente post. Apesar de ter "lançado" que kobe não era um clutch eficaz, obviamente que dadas as razões explicadas acima, também o escolheria para ser o jogador a lançar no momemnto decisivo...

    ResponderEliminar
  3. Marcio, o teu blog é excelente, continua !

    ResponderEliminar
  4. Existem números para outros jogadores? Foram analisados os de Kobe. Para mim só faz sentido se os podermos comparar com os de outros jogadores para termos uma noção da média que se espera nestas situações. (Isto sem dar ou tirar razão sobre Kobe ser clutch)

    ResponderEliminar
  5. No artigo de Zach Lowe, os números de Kobe são comparados com os dos outros jogadores. A média da liga nestas situações (numa amostra entre 03-04 e 08-09) é de 29%.

    ResponderEliminar
  6. Se comparar Kobe com Robert Horry, enquanto clutch player, sem ter numeros para comparar, Kobe nao parece "nada de especial" e qualquer treinador gostaria de ter Kobe para decidir um jogo

    ResponderEliminar
  7. aqui vou eu lançar mais umas achas para a fogueira. se eu tivesse na minha equipa o Pierce e o Kobe, eu acho que preferia que a bola fosse para o The Truth, simplesmente porque, na minha maneira de ver, é o jogador mais tecnicista e que consegue controlar melhor a posição dos adversários assim como os momentos de jogo. Nos C's quanto o jogo se aproxima do fim a bola anda sempre na mão do Pierce, e geralmente sai cesto. se tivessem que escolher kobe, pierce ou outro, quem escolheriam ?

    cumps

    ResponderEliminar
  8. Concordo plenamente contigo , mas tens de ver que todos os jogadores ficam nervosos nos finais dos jogos , tanto os amadores como os profissionais e que a falta de concretização também se resume a isso.
    Mas lá está ,à pessoas que comparam o kobe ao Jordan xD e dizem que o kobe é melhor , mas a mim só me dá o riso. Nunca houve nenhum jogador como o jordan e essas pessoas que o tentam comparar ao grande 23 vesse mesmo que só vivem este desporto na actualidade e não se dedicam a ver uns joginhos em que ele marca 55 pontos em playoffs e faz claramente um jogo bonito .
    Deixem-se de Kobe's e sigam mas é o Blake Griffin porque esse sim , dá gosto ver :)
    Parabéns Pelo blog , saudações basquetebolistas :)

    ResponderEliminar
  9. A escolha é facil se pensarmos em quem seria o melhor jogador para fazer o ultimo lançamento, Kobe claro, mas se me perguntarem quem é que eu gostava que tivesse a bola na mão nos últimos segundos de um jogo eu escolheria um base com boas capacidades de lançamento porque assim se ele tiver hipotese de lançar vai faze-lo, mas se tiver um colega aberto nao vai ser egoista... Ou seja Steve Nash, Chris Paul, Derrick Rose e Deron Williams seriam as minhas primeiras escolhas...

    ResponderEliminar