22.12.11

Boletim de Avaliação - Pacific Division


Viajamos agora até à conferência Oeste para continuar a nossa análise à offseason das 30 equipas da NBA. Hoje olhamos para a divisão que protagonizou a maior troca do ano e onde poderemos assistir a uma mudança da guarda:


BOLETIM DE AVALIAÇÃO - PACIFIC DIVISION


Golden State Warriors

Saídas: Vladimir Radmanovic, Louis Amundson, Reggie Williams, Acie Law, Jeremy Lin, Charlie Bell (amnistia)
Entradas: Klay Thompson (draft, nº 11), Jeremy Tyler (draft, nº 39), Charles Jenkins (draft, nº 44), Dominic McGuire, Kwame Brown, Brandon Rush
Cinco Inicial: Stephen Curry - Monta Ellis - Dorell Wright - David Lee - Andris Biedrins
No banco: Klay Thompson - Brandon Rush - Ekpe Udoh - Kwame Brown
Treinador: Mark Jackson

Balanço: Os Warriors tinham o plano bem definido para esta offseason: reforçar a defesa, especificamente a defesa interior e os ressaltos. E ninguém pode dizer que não tentaram tudo para o conseguir. Foram das equipas mais activas na offseason e foram atrás de todos os postes disponíveis. Cortejaram Chandler e Nené, fizeram uma oferta a DeAndre Jordan que foi igualada pelos Clippers e, no fim, tiveram de se contentar com Kwame Brown. Não é a contratação que desejavam e não vai fazer tanta diferença na tabela defensiva como algum dos outros, mas Brown vai cumprir parte do objectivo e reforçar a zona perto do cesto. E com um treinador novo que promete uma mudança na direcção da equipa e um renovado esforço na defesa, podem melhorar bastante desse lado do campo. Depois, perderam Reggie Williams, que era o melhor marcador de pontos que tinham no banco, mas marcar pontos nunca foi um problema nesta equipa (e para esse lugar de shooting guard suplente seleccionaram Klay Thompson no draft; se este render o esperado, essa saída fica compensada). E fizeram uma boa troca com os Pacers, enviando um jogador duma posição onde tinham mais soluções (power forward) por um que pode jogar a small forward e como suplente de Dorell Wright. Feitas as contas, entre as selecções no draft e as contratações realizadas, foi uma offseason bastante positiva para os Warriors.
Nota: 12

___

Los Angeles Clippers

Saídas: Eric Gordon, Chris Kaman, Al-Farouq Aminu, Jamario Moon, Craig Smith, Ike Diogu
Entradas: Trey Thompkins (draft, nº 37), Travis Leslie (draft, nº 47), Chris Paul, Chauncey Billups, Caron Butler, Reggie Evans
Cinco Inicial: Chris Paul - Chauncey Billups - Caron Butler - Blake Griffin - DeAndre Jordan
No banco: Mo Williams - Eric Bledsoe - Randy Foye - Ryan Gomes - Reggie Evans
Treinador: Vinnie Del Negro

Balanço: Quem diria há algumas semanas que veríamos jogadores a aceitar receber menos pela oportunidade de jogar nos Clippers? Isso é o que acontecia com os Heat, os Lakers, os Celtics ou até os Knicks. Mas foi isso mesmo que sucedeu com Reggie Evans. Aquele que é provavelmente o melhor ressaltador da liga assinou por um ano pelo mínimo de veterano e vem reforçar o jogo interior e fazer o trabalho sujo para Griffin e Jordan. E é mais uma excelente adição numa offseason que transformou os eternos parentes pobres dos Lakers em candidatos aos primeiros lugares da conferência. É claro que tiveram de abdicar de muito para conseguir Paul, mas CP3 é daqueles jogadores que quando se tem a oportunidade de contratar não se pode desperdiçar. Com ele em campo todos os jogadores dos Clippers vão ser melhores (estamos a falar  do responsável pela melhor temporada ofensiva de Tyson Chandler, por exemplo). E não lhe falta talento à sua volta por quem distribuir a bola. O ponto fraco é a falta de profundidade no frontcourt (a poste, principalmente, onde só têm Jordan), mas, como dissemos a propósito dos Knicks, não se pode fazer tudo duma vez. Para já, fizeram a maior (e melhor) contratação do ano e deram um passo gigante a caminho do topo. Uma offseason em cheio para o general manager Neil Olshey.
Nota: 17

___

Los Angeles Lakers

Saídas: Lamar Odom, Shannon Brown
Entradas: Darius Morris (draft, nº 41), Andrew Goudelock (draft, nº 46), Ater Majok (draft, nº 58), Jason Kapono, Troy Murphy, Josh McRoberts
Cinco Inicial: Derek Fisher - Kobe Bryant - Metta World Peace - Pau Gasol - Andrew Bynum
No banco: Steve Blake - Matt Barnes - Jason Kapono - Troy Murphy - Josh McRoberts
Treinador: Mike Brown

Balanço: Os Lakers foram batidos pelos seus vizinhos duma forma a que não estão habituados. Descontando o papel de David Stern em toda a novela de Chris Paul (que já analisámos anteriormente), o facto é que ficaram sem o jogador que desejavam e isso ainda precipitou a saída de Lamar Odom. Acabou por ser uma tentativa de negócio que prejudicou os Lakers e vamos ver os danos que poderá ter causado na sua estrutura e na química da equipa. No entanto, conseguiram compensar de alguma forma a saída de Odom com a entrada de Murphy e McRoberts. Junte-se a isso a adição de Jason Kapono (que preenche a necessidade dum spot up shooter) e a offseason fica, em grande parte, salva. Vai ser uma temporada de adaptação a um novo treinador e um novo sistema de jogo, o que não é bom para uma equipa que já joga junta (e noutro sistema) há tanto tempo e pretende ganhar no presente (e não construir para ofuturo). Como (e a rapidez com que) se vão adaptar ao novo sistema e, à semelhança dos Celtics, a forma em que esta equipa veterana vai chegar aos playoffs vai ser fundamental, mas conseguiram reforçar o banco e manter-se como uma das equipas mais profundas da liga. Não foi uma má offseason. Apenas não foi tão boa como esperavam.
Nota: 11

___

Phoenix Suns


Saídas: Aaron Brooks (para a China), Vince Carter, Gani Lawal
Entradas: Markieff Morris (draft, nº 13), Shannon Brown, Ronnie Price, Sebastian Telfair
Cinco Inicial: Steve Nash - Jared Dudley - Grant Hill - Channing Frey - Marcin Gortat
No banco: Sebastian Telfair - Shannon Brown - Mickael Pietrus - Hakim Warrick - Robin Lopez - Josh Childress - Markieff Morris
Treinador: Alvin Gentry

Balanço: A maior perda que tiveram (Aaron Brooks ficar na China até ao fim da temporada) foi compensada pela entrada de dois bases para revesar Steve Nash. E a saída de Vince Carter (que promove Dudley para titular) é compensada pela entrada de Brown. Renovaram ainda o seu principal (e muito pretendido) free agent, Grant Hill, e assim, os Suns conseguem manter o nível da equipa do ano passado. O que não é necessariamente bom. Porque está não é uma equipa para lutar pelo título, nem sequer para ir até fases avançadas dos playoffs. E desperdiçar os últimos anos de Steve Nash (pode mesmo ser o último em Phoenix, pois Nash é free agent no fim da temporada) com uma equipa mediana não leva os Suns a lado nenhum. Esta vai ser uma temporada para cumprir e adiaram apenas as grandes decisões um ano. Para o ano é tempo de decidir: ou fazer all in ou começar de novo.
Nota: 10

___

Sacramento Kings

Saídas: Samuel Dalembert, Omri Casspi, Beno Udrih, Marquis Daniels, Darnell Jackson, Pooh Jeter
Entradas: Jimmer Fredette (draft, nº 10), Tyler Honeycutt (draft, nº 35), Isaiah Thomas (draft, nº 60), JJ Hickson, John Salmons, Travis Outlaw (e Chucky Hayes entrou, mas voltou a sair, depois de descobrirem um problema no coração)
Cinco Inicial: Tyreke Evans - Marcus Thornton - John Salmons - JJ Hickson - DeMarcus Cousins
No banco: Jimmer Fredette - Francisco Garcia - Travis Outlaw - Donte Greene - Jason Thompson 
Treinador: Paul Westphal

Balanço: A reconstrução continua em Sacramento. O objectivo dos playoffs ainda não é realisticamente possível e sucesso nesta temporada será ganhar mais jogos e ver sinais de desenvolvimento (e de maior maturidade) em Evans e Cousins. Foi azar o problema com Hayes, um profissional exemplar e altruísta que lhes daria uma presença veterana e uma influência positiva no balneário. Era esse tipo de jogadores que os Kings precisavam para orientar e desenvolver todos os rookies e jovens que têm e deveriam ter procurado mais desses (Salmons e Outlaw nunca foram os melhores exemplos de jogadores de jogadores que sacrificam os números individuais pelos objectivos colectivos da equipa). Foi uma offseason positiva pelo talento que continuaram a acrescentar à equipa. Podem estar no bom caminho, mas vão precisar de mentores para tantos jogadores jovens e inexperientes. 
Nota: 10


Vai ser uma divisão muito interessante de seguir. Os Clippers prometem roubar o showtime aos seus vizinhos e bater-se com eles pelo primeiro lugar da divisão. Os Suns vão continuar a ser uma equipa excitante de ver e tanto os Warriors como os Kings querem subir na hierarquia da conferência e têm condições para fazer melhor que o ano passado. Vai ser, sem dúvida, divertido.


(a seguir: Boletim de Avaliação - Northwest Division)

6 comentários:

  1. NECESSITAMOS DE MAIS UM JOGADOR PARA A FANTASY NBA PARA A LIGA 3 ALGUÉM INTERESSADO ?

    ResponderEliminar
  2. na liga 3 escolheste o modo: "Total Season Points", segundo o Rodrigo, que criou a liga 1, escolheu o modo "Rotisserie or Roto", e ainda adicionou às opçoes os duplos-duplos e triplos-duplos... ele tem melhor explicado na página aqui no site relativa à fantasy league...

    Só falta, acho que vamos conseguir ter 20 equipas na liga 3...

    abraço

    ResponderEliminar
  3. Já fiz essas alterações agora
    Muito obrigado pelo alerta!
    Falta-nos um jogador se surgir alguém interessado que me mande um e-mail!!
    cschicharo@hotmail.com
    abraço

    ResponderEliminar
  4. Na minha opinião os Kings tem uma equipa que tem capacidades para ir para os playoffs.
    O Fredette é dos melhores lançadores dos rookies e que podia sair do banco para marcar muitos pontos.

    ResponderEliminar
  5. Boas !
    Podias Me Ajudar .. ahah ta no site da ESPN uma cena a dizer .. MVP onde só lá esta LeBron, K.D e Chris Paul os nomiados poderias me explicar q premio é esse? --.

    ResponderEliminar
  6. Carlos Krause23/12/11, 12:51

    Olá Chicharo

    Eu quero participar da liga de fantasy, a vaga ainda está aberta?
    Meu e-mail é carlos.kern@gmail.com

    ResponderEliminar