27.12.11

Boletim de Avaliação - Northwest Division


Com a acção já a todo o gás nos campos da NBA (e está a ser um grande começo de temporada!), vamos lá terminar a nossa análise da offseason das equipas. No anterior Boletim de Avaliação ficámos na Pacific e hoje vamos para a penúltima divisão:


BOLETIM DE AVALIAÇÃO - NORTHWEST DIVISION


Denver Nuggets

Saídas: Raymond Felton, Gary Forbes, Melvin Ely, JR Smith (na China), Wilson Chandler (na China)
Entradas: Kenneth Faried (draft, nº 22), Jordan Hamilton (draft, nº 26), DeMarre Carroll, Andre Miller, Corey Brewer, Rudy Fernandez 
Cinco Inicial: Ty Lawson - Arron Afflalo - Danilo Gallinari - Kenyon Martin - Nené Hilário
No banco: Andre Miller - Rudy Fernandez - Al Harrington - Kenneth Faried - Chris Andersen - Timofey Mosgov
Treinador: George Karl

Balanço: Esta foi a equipa mais afectada pelo lockout, com três dos seus jogadores a assinarem contratos com equipas chinesas que os impediam de voltar esta temporada à NBA. Entretanto, recuperaram pelo menos um. Kenyon Martin chegou a acordo com os patrões chineses e já está de novo ao serviço dos Nuggets. Apesar desse revés (que esteve fora do seu controlo), cumpriram os principais objectivos para a offseason, nomeadamente renovar com os seus cobiçados free agents Nené e Afflalo. Ninguém acreditava que conseguissem manter os dois, mas foi o que fizeram. Só por isso, a offseason já foi muito boa. Afinal, esta era uma equipa que todos acreditavam que ia por ali abaixo com a saída de Carmelo, mas têm-se aguentado muito bem sem ele. E esta offseason voltaram a bater as probabilidades e mantiveram dois dos seus melhores jogadores (e 2/5 do seu cinco inicial). E ainda conseguiram compensar a ausência de Smith e Chandler e reforçar o backcourt com a contratação de Fernandez e Brewer (a troco de quase nada). Face a tantos contratempos, o general manager Masai Ujiri conseguiu fazer melhor do que alguém pensava possível. Não estão entre os favoritos do Oeste, mas vão chegar aos playoffs e dar trabalho a muitas equipas.
Nota: 15

___

Minnesota Timberwolves

Saídas: Sebastian Telfair, Lazar Hayward
Entradas: Derrick Williams (draft, nº 2), Malcolm Lee (draft, nº 43), Ricky Rubio (draft 2009, nº 5), J.J. Barea, Brad Miller
Cinco Inicial: Ricky Rubio - Wesley Johnson - Michael Beasley - Kevin Love - Darko Milicic
No Banco: Luke Ridnour - JJ Barea - Martell Webster - Derrick Williams - Anthony Tolliver - Anthony Randolph - Nikola Pekovic 
Treinador: Rick Adelman

Balanço: A melhor contratação dos Timberwolves nesta offseason não foi nenhum jogador, mas sim Rick Adelman. Como já escrevemos anteriormente neste artigo, David Kahn teve uma (rara) decisão acertada. Adelman era o melhor treinador disponível no mercado e possivelmente o melhor treinador possível para tentar tranformar este grupo disfuncional e inexperiente numa equipa. Depois de anos de gestão a oscilar entre o incompreensível e o desastroso (mais sobre isso no artigo), basta esta decisão para esta ser uma offseason positiva. Para além dos jogadores seleccionados no draft, ainda acrescentaram alguma presença veterana e experiente (Barea e Miller), algo que os Wolves precisavam urgentemente. Os Timberwolves têm talento e potencial para dar e vender e este ano só podem subir.
Nota: 13

___

Oklahoma City Thunder

Saídas: BJ Mullens
Entradas: Reggie Jackson (draft, n º 24), Lazar Hayward
Cinco Inicial: Russell Westbrook - Thabo Sefolosha - Kevin Durant - Serge Ibaka - Kendrick Perkins
No banco: Eric Maynor - James Harden - Daequan Cook - Nick Collison - Nazr Mohammed
Treinador: Scott Brooks

Balanço: Os Thunder não tinham grandes objectivos nem planeavam mexidas nesta offseason (a jogada arriscada para tentar dar o salto já foi feita na temporada passada com a troca de Jeff Green por Perkins). Renovaram o seu único free agent (Cook) e mantiveram intocada a equipa do ano passado. O plano é continuar a desenvolver este grupo e com Perkins já recuperado do choque da troca (o ano passado nunca rendeu o seu máximo e pareceu não ter digerido bem a troca dos Celtics), motivado e comprometido com esta equipa, vão continuar o seu percurso ascendente. Foi, previsivelmente, uma offseason calma em Oklahoma City e o trabalho a sério começa agora.
Nota: 10

___

Portland Trail Blazers

Saídas: Andre Miller, Patty Mills (na China), Brandon Roy (retirado)
Entradas: Nolan Smith (draft, nº 21), Raymond Felton, Jamal Crawford, Craig Smith, Kurt Thomas
Cinco Inicial: Raymond Felton - Wesley Matthews - Gerald Wallace - LaMarcus Aldridge - Marcus Camby
No banco: Armon Johnson - Nolan Smith - Jamal Crawford - Nicolas Batum - Chris Johnson - Kurt Thomas
Treinador: Nate McMillan

Balanço: Não há equipa mais azarada que os Blazers. A falta de sorte parece continuar a assombrá-los ano após ano e esta temporada não podia começar sem más notícias no departamento médico: Oden teve um retrocesso na recuperação e não deve recuperar a tempo de jogar esta época. E Brandon Roy, a sua maior estrela dos últimos anos, foi forçado a uma retirada precoce. Mas também não há equipa mais resistente e lutadora em toda a liga. Porque, apesar de todos os percalços, conseguem sempre superar-se e manter a equipa competitiva. Esta offseason fica inevitavelmente marcada pela retirada de Roy, mas, como habitualmente, os Blazers reerguem-se das cinzas das más notícias e dão a volta por cima. E com a contratação de Jamal Crawford e Kurt Thomas assim o fizeram. Reforçam o backcourt e o jogo interior e compensam a falta de Roy e Oden. Uma offseason forçada pelas cirscuntâncias, mas onde se saíram bem.
Nota: 13

___

Utah Jazz

Saídas: Ronnie Price, Andrei Kirilenko, Mehmet Okur
Entradas: Enes Kanter (draft, nº 3), Alec Burks (draft, nº 12), Jamal Tinsley, Josh Howard
Cinco Inicial: Devin Harris - Raja Bell - CJ Miles - Paul Millsap - Al Jefferson
No banco: Earl Watson - Gordon Hayward - Josh Howard - Jeremy Evans - Derrick Favors - Enes Kanter 
Treinador: Tyrone Corbin

Balanço: Esta é uma equipa em transição e reconstrução. Não começam do zero e têm boas peças para reconstruir, mas de qualquer forma depois do fim da era de Jerry Sloan (e de Deron Williams) têm muito trabalho pela frente. Com a saída de Okur (a troco duma trade exception) libertam espaço salarial e também tempo de jogo para desenvolver jovens como Kanter e Favors. Idem com a saída de Kirilenko. É tempo de estabilizar a equipa e, sem grandes expectativas para esta temporada e com muito espaço salarial, ver quais os jogadores que vale a pena manter no futuro e prepararem-se para o resto da reconstrução. Esta offseason foi só o começo.
Nota: 11


Esta foi uma divisão onde, sem o destaque e mediatismo dado a outras e sem se dar muito por isso, as equipas fizeram movimentações seguras e acertadas. Não há de facto nenhuma equipa daqui que tenha mexido mal na equipa ou que possamos considerar que teve uma má offseason. Embora com objectivos diferentes (umas a pensar no presente, outras a pensar mais no futuro), todas estiveram bem. É claro que umas estiveram melhor que outras, mas esperem melhorias de todas as equipas desta divisão e, à excepção dos Wolves, esperem que todas estejam na luta pelos playoffs.


(a seguir, a divisão que falta para completar esta edição de 2011-12: Boletim de Avaliação - Southwest Division)


6 comentários:

  1. Boas,
    2 notas que gostaria de referir.
    1 - A aquisição de Andre Miller por parte dos Denver. Considero este jogador um dos maiores under-rated da NBA, excelente base, marca, assiste, joga e faz jogar e com experiencia para ajudar qualquer equipa da NBA. Acho que uma excelente contratação por parte dos Denver.

    2 - Dar nota 10 aos Oklahoma City Thunder acho que peca por escasso. Uma excelente equipa, ainda jovem, com enorme margem de progressão, manteve o seu nucleo duro e com o Perkings recuperado irá ser mais um osso duro de roer e a fazer estragos no Playoff.

    Abraços

    ResponderEliminar
  2. A nota é da offseason da equipa, Coachramos! :) Como expliquei, eles na offseason não fizeram muito, apenas mantiveram a equipa. O que já não é pouco, daí a nota positiva, mas que não pode ser mais alta.

    Se formos dar uma nota pelo plantel, sim aí teriam uma nota mais alta pois têm uma das melhores equipas do Oeste.

    ResponderEliminar
  3. the0utsider28/12/11, 00:25

    Boa avaliação. Esta é, de facto, uma divisão que promete. Substituiria apenas Minnesota por Utah enquanto equipa que ficará afastada da luta pelos playoffs. Isto porque os T-Wolves estão a dar continuidade a um bom trabalho, não registaram nenhuma perda significativa, e viram chegar (finalmente) Ricky Rubio, que a meu ver constitui um upgrade assinalável. Já os Jazz, como referes, são uma equipa em reconstrução, e para além de já não haver Sloan e D-Will, esta época ficaram sem AK47, a sua outra referência. Daí que não anteveja uma época por aí além para os lados de Salt Lake.
    Os Thunder são sem dúvida a equipa mais forte, conseguiram manter o núcleo duro, e não vai ser nada fácil encontrar pela frente a dupla Durant-Westbrook um ano mais experiente.
    Destaco aqui a evolução dos meus Denver Nuggets; é de facto meritória a forma como conseguiram sobreviver à saída daquela que foi a sua estrela maior durante 8 anos, e para este ano conseguiram reunir um elenco bastante bom (saúda-se a manutenção de Nené Hilário e Afflalo), e que ainda poderá melhorar se se confirmarem os regressos de K-Mart e JR Smith. Mas mesmo sem estes dois (e sem Chandler também), os Nuggets já mostraram que qualidade não falta por ali, depois das vitórias expressivas @ Phx na pré-época, e @ Dallas, na estreia. Julgo ser esta a época da plena afirmação de Ty Lawson. E em relação a objectivos, penso que não será descabido sonhar com a final da conferência.

    Cumprimentos e continuação de bom trabalho!

    ResponderEliminar
  4. Slice of Butter28/12/11, 00:41

    Estou muito surpreendido com as prestações do Ricky Rubio até agora! Não pensava que se fosse integrar tão bem na equipa, mas é sem dúvida um fenómeno na sua posição.

    ResponderEliminar
  5. Os Minestona ja tao com duas derrotas na liga vamos ver se eles recuperam.

    ResponderEliminar
  6. Concordo com o Coachramos naquilo dos Thunder, até porque por vezes o dificil é manter uma estrutura cheia de potencial. E tirando a posição do Durant (próximo MVP)todas elas tem um backup bem jeitosos, sendo Hardeb e Collinson dois jogadores de grande qualidade. Portanto, a ideia dos Thunder nesta offseason só podia ser mexer o menos possivel. Numa temporada sem praticamente pré-epoca as estruturas que se mantiverem mais idênticas saem beneficiadas (Thunder e Miami são os exemplos óbvios).

    Bem, abraço e continuação de grandes jogos (ainda ontem um grande Miami-Boston c/ um SugarRay fabuloso e rondo em alta rotação. Boston tem 2 derrotas mas provou que com a chegada de Pierce e Pietrus vão dar luta. E para mim serão eles, e não os knicks na final do este contra Miami.

    ResponderEliminar