29.12.11

Boletim de Avaliação - Southwest Division


Como sabem temos analisado aqui a offseason das 30 equipas da NBA e as movimentações que cada uma fez para se preparar para esta temporada. Já analisámos cinco divisões e se perderam algum dos boletins anteriores, ficam aqui os links para todos eles:

ESTE

OESTE

E hoje, para terminar a avaliação, viajamos até àquela que foi a melhor divisão da temporada passada.  A divisão que teve a melhor percentagem de vitórias e mais equipas apuradas para os playoffs em 2010-11. Todas as cinco equipas terminaram a época passada acima dos 50% de vitórias e quatro delas apuraram-se para a segunda fase da temporada. E uma delas foi até ao fim do percurso e ganhou o título, por isso, terminamos a avaliação com a divisão dos actuais campeões:


SOUTHWEST DIVISION


Dallas Mavericks

Saídas: Tyson Chandler, J.J. Barea, Caron Butler, Corey Brewer, Peja Stojakovic (retirado), DeShawn Stevenson
Entradas: Lamar Odom, Vince Carter, Delonte West, Brandan Wright, Andy Rautins
(e Rudy Fernandez, que entrou e saiu)
Cinco Inicial: Jason Kidd - Delonte West - Shawn Marion - Dirk Nowitzki - Brendan Haywood
No banco: Jason Terry - Vince Carter - Rodrigue Beaubois - Lamar Odom - Ian Mahinmi
Treinador: Rick Carlisle

Balanço: Não é comum uma equipa que acabou de ganhar o título mexer tanto na sua estrutura. Mas as opções em cima da mesa para os Mavs não eram as melhores: renovar com Chandler (e Butler e Barea) era a melhor opção a curto prazo e a melhor forma de os colocar em posição de lutar pelo título de novo. Mas isso ia atar-lhes as mãos durante vários anos e impedir uma reconstrução da equipa no futuro mais próximo. Tinham portanto de optar entre apostar tudo no presente (e arriscarem-se depois a passar por uma longa reconstrução e passarem muitos anos até terem de novo uma equipa no topo) ou tentar manter a competitividade no presente, mas colocando-se em melhor posição para o futuro também. E foi esta segunda que escolheram. Deixaram sair Butler, Chandler e Barea e procuraram reforços mais baratos e com contratos mais curtos. Com Vince Carter e Delonte West, compensam perfeitamente a saída do porto-riquenho, mas com Odom compensam apenas uma parte do que Chandler trazia à equipa. E com isso, podem ter hipotecado as chances duma renovação do título. Mas ficaram em melhor posição não só para a free agency de 2012, como também para os anos seguintes. Por isso, temos de lhes dar duas notas: uma para o que fizeram para atingir os objectivos desta temporada e outra para aquilo que fizeram para continuar a ser melhores no futuro.
Nota (curto prazo): 9
Nota (futuro): 12

___

Houston Rockets

Saídas: Chuck Hayes, Brad Miller, Yao Ming (retirado)
Entradas: Marcus Morris (draft, nº 14), Donatas Motiejunas (draft, nº 20, mas ainda não vem este ano), Chandler Parsons (draft, nº 38), Jonny Flynn, Samuel Dalembert
Cinco Inicial: Kyle Lowry - Kevin Martin - Chase Budinger - Luis Scola - Samuel Dalembert
No banco: Goran Dragic - Courtney Lee - Terence Williams - Patrick Patterson - Marcus Morris - Jordan Hill
Treinador: Kevin McHale

Balanço: São, juntamente com os Blazers, a equipa que mais azar tem tido nos últimos anos. Mas são também a equipa mais dura e mais resistente da liga nesses anos, que mesmo com lesões recorrentes nos principais jogadores (Yao e McGrady) conseguiu sempre superar-se e manter-se competitiva e nos playoffs. Mas este ano não ter o homem que os guiou nesses anos. Essa foi a primeira decisão incompreensível desta offseason: não renovar com Rick Adelman, que sempre conseguiu colocar a equipa a render acima do que era possível. Depois, porque ficaram sem quase todos os seus postes (Yao, Hayes e Miller) perseguiram os dois Gasol e Nene. O que nos leva à segunda decisão discutível da offseason: a troca por Gasol. Pau Gasol é um grande jogador e precisavam dum poste (onde Pau pode jogar, mas também não é a sua melhor posição), mas dar Scola, Martin e Dragic em troca era muito. Mas esta troca falhou (o que pode ter sido um mal que veio por bem para os Rockets) e no fim, conseguiram o seu poste com a contratação de Dalembert. Foi uma offseason que começou mal (com a não renovação de Adelman), ameaçou tornar-se pior (com a troca de Gasol) e acabou por ter uma saída airosa (Dalembert). Mas não foi a melhor offseason para os Rockets.
Nota: 10

___

Memphis Grizzlies

Saídas: Shane Battier, Greivis Vasquez
Entradas: Josh Selby (draft, nº 49), Jeremy Pargo, Dante Cunningham, Quincy Pondexter
Cinco Inicial: Mike Conley - Tony Allen - Rudy Gay - Zach Randolph - Marc Gasol
No banco: Jeremy Pargo - Josh Selby - OJ Mayo - Sam Young - Dante Cunningham
Treinador: Lionel Hollins

Balanço: Marc Gasol era um dos free agents mais cobiçados desta offseason e o objectivo dos Grizzlies era claro: renovar com o espanhol. Conseguiram-no e mantiveram junto um grupo que tão bem jogou na temporada passada. Não conseguiram no entanto evitar a saída de Battier, um veterano importante em campo e no balneário, e essa é a única mancha na offseason.
Tiveram depois azar, já na pré-temporada, com a lesão de Darrell Arthur (está de fora a época toda, com uma ruptura no tendão de Aquiles), mas conseguiram compensar com a contratação do free agent Dante Cunningham e com a troca de Vasquez (duma posição onde tinham mais soluções, com os rookies Jeremy Pargo e Josh Selby) por Quincy Pondexter. Fizeram o que lhes competia com Gasol e, quando tiveram de improvisar devido à lesão de Arthur, saíram-se bem.
Nota: 13

___

New Orleans Hornets

Saídas: Chris Paul, David West, Aaron Gray, David Andersen, Quincy Pondexter
Entradas: Eric Gordon, Chris Kaman, Al-Farouq Aminu, DaJuan Summers, Gustavo Ayon, Greivis Vasquez
Cinco Inicial: Jarrett Jack - Eric Gordon - Trevor Ariza - Carl Landry - Emeka Okafor
No banco: Greivis Vasquez - Marco Belinelli - Al-Farouq Aminu - Jason Smith - Chris Kaman
Treinador: Monty Williams

Balanço: Nenhuma equipa tinha tanta pressão sobre si nesta offseason como os Hornets. À procura de comprador e com a sua maior estrela a terminar o contrato no fim desta temporada e a anunciar que não ia continuar, o general manager Dell Demps tinha muito trabalho para fazer. Tinha de resolver a situação de Paul e conseguir o máximo em troca dele e, ao mesmo tempo, tornar a equipa atractiva para possíveis compradores. E saiu-se muito bem nesse duplo objectivo. Eric Gordon, Chris Kaman (e o seu contrato que expira esta temporada), Al-Farouq Aminu e uma escolha previsivelmente alta no draft de 2012 são não só uma boa compensação por Paul como também um bom pacote para a reconstrução. Saem-se bem para o futuro e acabam ainda por conseguir ficar com uma equipa nada má para o presente. Uma nota tão alta pode parecer estranho para uma equipa que perdeu os seus dois melhores jogadores, mas essas saídas eram inevitáveis e, perante esse cenário, não só evitaram o desastre eminente, como saíram com boas perspectivas para o futuro.
Nota: 15

___

San Antonio Spurs

Saídas: George Hill, Da'Sean Butler, Steve Novak, Antonio McDyess (retirado)
Entradas: Kawhi Leonard (draft, nº 15), Cory Joseph (draft, nº 29), TJ Ford
Cinco Inicial: Tony Parker - Manu Ginobili - Richard Jefferson - Tim Duncan - DeJuan Blair
No banco: TJ Ford - Gary Neal - Kawhi Leonard - Matt Bonner - Tiago Splitter
Treinador: Gregg Popovich

Balanço: Os Spurs habituaram-nos a ser uma das equipas mais estáveis e melhor geridas da liga. E esta offseason não foi diferente. O objectivo era continuar a rodear o seu núcleo veterano de peças que lhes permitam chegar frescos aos playoffs e que dêem a ajuda necessária para uma última corrida de Duncan e Ginobili ao título. E com Kawhi Leonard e TJ Ford é isso que conseguem. Já tinham uma equipa profunda e experiente, mas com Leonard ganham umas pernas frescas para render Richard Jefferson e com Ford ainda ficam com mais profundidade no backcourt. Para além disso, resistiram à tentação de gastar a amnistia com Jefferson. Não só tradicionalmente os jogadores jogam melhor depois duma ou duas épocas no sistema de Popovich (e Jefferson está a jogar melhor este ano), como ele pode ser importante nessa última corrida ao título. Vale a pena dar mais um ano de hipótese (e podem guardar essa decisão para uma free agency mais atractiva, como a de 2012). Foi uma offseason competente em San Antonio, como sempre.
Nota: 12


Esta vai continuar a ser uma divisão muito forte, embora não tão forte como no ano passado. Spurs, Mavs e Grizzlies vão aos playoffs e vão lutar pelos primeiros lugares e Rockets e Hornets estão num degrau abaixo, em reconstrução, mas com equipas suficientemente boas para poder sonhar com os playoffs. Se alguma delas se superar, pode mesmo conseguir infiltrar-se entre os oito primeiros da conferência. Senão, ficam perto e com boas perspectivas para o futuro.

E estão assim analisadas todas as equipas. Entretanto a bola já rola nos pavilhões e agora é tempo de pôr tudo o que foi planeado na offseason em campo. Agora é tempo de jogar.

11 comentários:

  1. Gostei do detalhe da informaçao mas nao percebi uma coisa.. a nota vai de 0 a 20? e é baseada no que?

    ResponderEliminar
  2. De 0 a 20 e é baseada nas movimentações, trocas e contratações da offseason. Não é a avaliação do plantel, mas sim de como cada equipa se preparou para esta temporada. A nota é, portanto, para o general manager (e dirigentes) e para a gestão da equipa.

    ResponderEliminar
  3. Hum ok ... já me estava a assustar em relação as notas de equipas como golden state ,lakers ,san antonio ,New Orleans ect.. em relação umas com as outras. se os NO têm 15 os lakers deviam ter um 5 comparativamente a politica de contratacoes/trocas/planeamento de epoca ect..
    ;)

    ResponderEliminar
  4. Parabens por estas grandes avaliações, obrigado sobretudo por nos dares leitura de qualidade todos os dias.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  5. Obrigado eu por me darem o prazer das vossas visitas todos os dias! :)
    E obrigado pelas vossas palavras e por todas as vossas participações e comentários, que dão muita motivação para continuar!

    ResponderEliminar
  6. Ricardo Abreu30/12/11, 14:03

    Também tenho de agradecer pelos posts muito informativos que aqui colocas :p de outra forma o meu conhecimento sobre a NBA seria limitado a 10 jogadores e a 4 ou 5 equipas :)

    ResponderEliminar
  7. Quem são os jogadores que vão estar disponíveis no lockout de 2012? Grande blogue

    ResponderEliminar
  8. Ora então, alguns dos free agents para 2012:

    (Chris Paul era um deles, mas activou o ano de opção e os Clippers têm-no seguro até 2013)

    Unrestricted:
    Ray Allen
    Kevin Garnett
    Dwight Howard
    Deron Williams
    Steve Nash
    Tim Duncan
    Gerald Wallace
    Raymond Felton
    Kirk Hinrich
    Jason Kidd
    Jason Terry
    Chauncey Billups
    Andre Miller
    Jameer Nelson
    Chris Kaman
    Mo Williams

    Restricted:
    Russell Westbrook
    Eric Gordon
    Nicolas Batum
    Boris Diaw
    Kevin Love
    Brook Lopez
    OJ Mayo
    Danilo Gallinari

    ResponderEliminar
  9. Obrigado, continua assim

    ResponderEliminar
  10. Há a possibilidade dos knicks trocarem melo por algum destes?

    ResponderEliminar
  11. Bem, a possibilidade existe sempre, agor se existe vontade de o fazer, já é outra história. Mas não me parece que estejam dispostos a fazê-lo, o objectivo dos Knicks será antes acrescentar peças às que já têm.

    ResponderEliminar