20.9.12

Um até sempre à melhor de sempre


Antes de continuarmos com os nossos Boletins de Avaliação e seguirmos para a análise da offseason dos Pacers, temos de fazer aqui um parêntesis nos posts sobre a NBA para uma merecida homenagem. Uma mais que merecida homenagem à melhor basquetebolista portuguesa de todos os tempos que anunciou a sua retirada, aos 38 anos:


Este Sábado fará o seu último jogo quando as Chicago Sky receberem as Washington Mystics. E é o fim de uma carreira sem paralelo no basquetebol português (tanto feminino como masculino). Depois de quatro anos na Universidade de Old Dominion (com quem chegou, em 1997, à final da NCAA e foi nomeada para o cinco ideal da Final Four), foi escolhida pelas Sacramento Monarchs na 2ª posição do draft de 1998 da WNBA. 

A partir daí, foram 15 temporadas na liga irmã da NBA como uma das melhores e mais espectaculares bases e distribuidoras de jogo da competição. E um coleccionar de distinções e títulos. Foi All Star quatro vezes (1999, 2000, 2001 e 2002), foi duas vezes All-WNBA First Team (99 e 2000), foi campeã em 2005 pelas Sacramento Monarchs e foi eleita em 2011 umas das 15 melhores jogadoras de sempre da liga. Termina a carreira como a jogadora com mais assistências (2597, para já) e a segunda jogadora com mais roubos de bola (763, para já) na história da WNBA e com o recorde de assistências (16) e roubos de bola (10) num jogo. 


Os nossos parabéns pela brilhante carreira e o obrigado por nos recordar a todos que o céu é o limite. E boa sorte para o próximo capítulo!

10 comentários:

  1. Magistral.

    Um exemplo para todos os basquetebolistas (masculinos e femininos).

    ResponderEliminar
  2. Então mas as chicago sky ainda não têm hipótese de ir aos playoffs ? Não percebo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com a derrota frente às Atlanta Dream, ficaram sem possibilidades de se apurar. No caso de ganharem no sábado e as Liberty perderem, as Liberty têm o tie-breaker.

      Eliminar
  3. Sem dúvida 1 brilhante carreira. Isto merecia transmissão em directo na Sportv, mas a única coisa q importa é futebol neste país...

    ResponderEliminar
  4. Papa Valdemares22/09/12, 03:49

    Percebo a dificuldade destas decisões, mas era óbvio que, nos últimos dois anos, ela já se arrastava pelos pavilhões.

    Além de todos os feitos, que um dia serão superados, como todos, traz no dedinho um anel de campeã, numa equipa que não era nada de especial. Só havia, além dela, a Yolanda e mesmo essa com os joelhos em péssimo estado. Depois, tinha um conjunto de atletas «regulares», como a Nicole, a Walker ou a Kara.

    Deixa, com grande clareza, a sua marca na WNBA e fica a pertencer à geração mítica que fez explodir a competição.

    Por último, o seu abandono coincide com uma fase de menos esplendor, não obstante as fabulosas atletas que surgem todos os anos.

    ResponderEliminar
  5. Se não estou em erro, foi os unicos jogadores nos campeonatos nacionais e nos EUA foi ela e o Mario Ellie.
    Se quiser ir por aí, acho que deve dar uma excelente treinadora.

    ResponderEliminar
  6. Peter Perfect24/09/12, 10:09

    Enorme jogadora! Seria muito bom para o desenvolvimento da modalidade se tivéssemos algum jogador parecido na NBA.

    Só uma correcção: não é a jogadora com mais roubos de bola da história. Esse recorde pertence a Tamika Catchings.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, a Ticha é a segunda jogadora com mais roubos de bola na história da WNBA e tem o recorde de roubos de bola num jogo (10).

      Já corrigi o lapso. Obrigado. :)

      Eliminar
  7. Sempre às ordens! ;)

    Já agora, muitos parabéns pelo blogue! Já acompanho há cerca de um ano e é mesmo muito bom para quem se interessa pela NBA pois, para além de todos os factos mais importantes sobre a modalidade, tem opiniões bastante interessantes e fundamentadas, o que não quer dizer que concorde com todas. Mas é sempre bom vermos perspectivas diferentes das nossas.

    Muitos parabéns novamente!

    ResponderEliminar