9.9.13

Boletim de Avaliação - Philadelphia 76rs


Continuamos Atlantic Division abaixo e depois de Celtics, Nets e Knicks, vamos até à terra onde o Tio Sam declarou a sua independência e onde outro Sam teve toda a liberdade para demolir:


BOLETIM DE AVALIAÇÃO - PHILADELPHIA 76ERS

Saídas: Jrue Holiday, Andrew Bynum, Nick Young, Dorell Wright, Damien Wilkins, Royal Ivey, Jeremy Pargo, Charles Jenkins
Entradas: Nerlens Noel (6ª escolha no draft), Michael Carter-Williams (11ª escolha no draft), Tony Wroten, Royce White, James Anderson, Arsalan Kazemi (54ª escolha no draft), Tim Olhbrecht
Cinco Inicial: Michael Carter-Williams - Jason Richardson - Evan Turner - Thaddeus Young - Spencer Hawes
Banco: Tony Wroten - James Anderson - Royve White - Lavoy Allen - Nerlens Noel - Kwame Brown
Treinador: saiu Doug Collins, entrou Brett Brown (ex-adjunto dos Spurs)

Balanço: Das 30 equipas, esta deve ser a nota mais difícil de dar. A avaliação da offseason é muito fácil, a nota a atribuir-lhes pela mesma é que não. Porque depende da perspectiva. 

Os Sixers fizeram tanking à bruta. Sam Hinkie, o novo general manager, decidiu demolir a equipa e começar do zero. Fazer tábua rasa da equipa mediana que tinham e começar a montar uma completamente nova. Hinkie não quer a mediania e aponta para o topo (do draft de 2014 e da liga). Mas, para isso, primeiro tem de ir ao fundo. 

E Hinkie fez a demolição mais eficiente que já vimos. Trocou o melhor jogador e único All Star da equipa (e um jogador ainda com apenas 23 anos e margem de progressão) por um power forward/poste em bruto (e que vem duma lesão grave e não vai jogar meia época) e uma 1ª ronda em 2014. Deixou sair os seus free agents todos (Bynum, Young e Wright) e nem sequer quis negociar sign and trades por algum deles. Preencheu o plantel com jogadores secundários. Nem sequer teve um treinador até ao fim de Julho.

Objectivo "ir ao fundo"? Plenamente atingido. Porque este ano vão ser maus. Vão ser muito maus. Como querem. E assim ficam com a sua escolha alta no draft e ainda têm a dos Pelicans (da troca de Holiday), que, dependendo de como correr a temporada em New Orleans, pode ser ali entre a 7ª e 15ª. Se tudo correr como os Sixers esperam, e no melhor cenário possível, podem acabar com um bom base e um big man de elite (com tempo para fazer todos os erros em campo sem nada a perder) e juntar mais dois bons jogadores no próximo ano. Podem ficar com três ou quatro futuras estrelas e ainda bastante espaço salarial para juntar peças à volta deles.

Não é uma má perspectiva. Mas também pode correr mal. Ficam dependentes da lotaria do draft (e já sabemos como essa é sempre imprevísivel e por cada Thunder, há uns Bobcats e Kings) e do desenvolvimento de Noel e Carter-Williams (nenhum deles uma aposta segura, mas ambos uma aposta com potencial).

São muitos "ses" e uma estratégia cujo grau de sucesso só se vai poder avaliar daqui a umas temporadas. Pode ser um plano brilhante e podemos estar aqui daqui a uns anos a dizer que esta foi a offseason em que os Sixers deram o primeiro passo rumo a uma equipa de topo.

Mas para já o único facto certo e garantido é que vão ser péssimos. No objectivo de ser o pior possível, conseguiram-no com distinção. 20 valores. Mas vão ser o pior possível. Por isso, para serem competitivos esta temporada, 0. 

Nota: 0 ou 20, vocês decidam.

5 comentários:

  1. Ia dizer que entre o Noel e o Hawes ia ser difícil de decidir a titularidade, mas já vi que o primeiro está lesionado.

    Quanto à nota da offseason, dou um 10 (tal como deste à renovação dos Celtics).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não concordo! a renovação dos celtics não foi tão profunda como a dos sixers. eu daria 5 valores aos sixers

      Eliminar
  2. Realmente, vai ser uma autêntica lotaria. Vai custar ver os jogos dos sixers mas pode ser que saia um AI num futuro próximo.

    Como isso é pouco provável e como o Holiday ainda tinha muito para dar, fico-me pelo 9.

    Continuação de um bom trabalho.

    ResponderEliminar
  3. Dou 12, porque já que é para reconstruír , reconstrói-se como deve ser e com coragem, embora seja um risco muito grande e daí eu não dar uma positiva mais alta. Além disso, estes anos todos completamente na mó de baixo vão custar muita reputação, mershandising e público aos Sixers, algo que com o tempo se revela a nivel financeiro, apesar dos americanos terem uma cultura desportivam uito diferente da portuguesa. Se correr bem, futuramente este 12 aumentará no boletim de avaliação de 2015 e 2016.

    ResponderEliminar
  4. Por acaso acho que isto vai correr muito bem para os Sixers a nível de jogadores.. O que eu acho é que não é assim que se devem fazer as coisas... Uma mentalidade ganhadora tem que estar intrínseca nas equipas e isso não acontece assim desta maneira. Quantos equipas nos últimos anos conseguiram ganhar títulos utilizando este procedimento? Eu não me lembro de nenhuma... O espírito competitivo e ganhador, não se vai buscar ao draft...

    ResponderEliminar