5.9.13

Boletim de Avaliação - Brooklyn Nets


Continuamos pela Atlantic Division, e a ordem alfabética leva-nos aos Brooklyn Nets, o que, depois do Boletim de Avaliação dos Celtics, nem de propósito:



BOLETIM DE AVALIAÇÃO - BROOKLYN NETS

Saídas: Gerald Wallace, Kris Humphries, CJ Watson, MarShon Brooks, Keith Bogans, Jerry Stackhouse
Entradas: Kevin Garnett, Paul Pierce, Jason Terry, Andrei Kirilenko, Shaun Livingston, Alan Anderson, Mason Plumlee (22ª escolha no draft)
Cinco Inicial: Deron Williams - Joe Johnson - Paul Pierce - Kevin Garnett - Brook Lopez
Banco: Shaun Livingston - Jason Terry - Alan Anderson - Andrei Kirilenko - Reggie Evans - Andray Blatche
Treinador: saiu o interino P.J. Carlesimo, entrou o rookie Jason Kidd

Balanço: Os Nets tiveram uma offseason como mais nenhuma equipa (à excepção doutras duas de mercados milionários, os Lakers e os Knicks) se poderia dar ao luxo de ter. Para qualquer outra equipa, seria impossível ultrapassar desta forma o tecto salarial e preparar-se para pagar mais de 80 milhões de dólares só em luxury tax. Não são mais de 80 milhões em salários (esses ultrapassam os 100 milhões na próxima temporada), são mais de 80 milhões só nas penalizações por ultrapassar o tecto salarial!

Para qualquer outra equipa, fazer isso seria cavar um buraco do qual iriam andar a década seguinte a recuperar ou até mesmo nunca recuperar. Mas quando se tem como dono um multibilionário russo que quer ganhar um título a qualquer custo e para quem 80 milhões são trocos, as regras são outras. 

Por isso, em qualquer outra equipa teriamos de avaliar não só as contratações, mas também o contexto e o preço a pagar por elas. E a qualquer outra equipa teriamos de dar uma nota negativa, pois estariam a hipotecar o futuro da equipa (poderiam mesmo estar a hipotecar a existência da equipa). Mas nos Nets essa questão não se coloca. Por isso, nesta avaliação só contam os nomes contratados.

E essa parte correu muito bem, obviamente. As contratações de Paul Pierce e Kevin Garnett levam a equipa de Brooklyn ao patamar de cima da conferência e à luta pelo lugar mais alto da mesma. Sim, é um cinco muito veterano, mas um cinco com Deron Williams, Joe Johnson, Paul Pierce, Kevin Garnett e Brook Lopez mete respeito a qualquer equipa.

Para além disso, para compensar essa veterania, conseguiram um excelente banco. E nesse trabalho de reforço do banco os Nets tiveram tão bem ou melhor que no reforço do cinco inicial. 
Shaun Livingston, Jason Terry, Andrei Kirilenko, Reggie Evans e Andray Blatche? Isto não era um mau cinco inicial e vão ser, provavelmente, o banco mais forte da liga. E um banco forte é fundamental para manter os veteranos Garnett e Pierce (e mesmo Joe Johnson) frescos para os playoffs. 

O único senão da offseason (e é isso que nos impede de lhes dar uma nota mais alta), é que é uma aposta a curto prazo. Com este grupo de jogadores, os Nets têm uma janela de um, dois anos no máximo para lutar por um título. E como sabemos, uma equipa não se monta instantaneamente. Demora tempo. Pode ser preciso um ano ou mais para uma equipa carburar (como aconteceu, por exemplo com os Heat). E ter um treinador novo também não ajuda a diminuir esse período de aprendizagem e construção (treinador novo na equipa e novo nestas andanças; por muito bom treinador que Jason Kidd possa tornar-se, também precisa de tempo para aprender e adaptar-se à função).

E tempo é o que os Nets não têm. Não muito, pelo menos. Foi a única coisa que não conseguiram comprar nesta offseason. Por isso, por tudo o que conseguiram (e conseguiram muito), levam uma nota boa. Mas, pelo risco duma aposta a tão curto prazo, não podem levar melhor. 

Nota: 15

2 comentários:

  1. Pohkorov (dono dos NETS ) ja veio de dizer que nao está minimamente preocupado com o curto espaço de tempo para ganharem o titulo pois sabe de superstars que irao assinar pelos nets daqui a dois anos .

    ResponderEliminar
  2. Concordo contigo Márcio. Até acho que o maior risco de todos é o Jason Kidd. Este 5 inicial é bom, mas o conjunto tem que funcionar bem dentro das características do plantel, os egos têm que ser postos de parte (o que muitas vezes é mais dificil do que se pensa), e é necessário gerir bem o banco com os titulares, e duvido que o Kidd já tenha "bagagem" para tudo isso, principalmente para batalhar tacticamente nos playoffs contra treinadores mais experimentados. Reforço mais os playoffs porque só se o Kidd for um treinador de nivel 0 é que esta equipa não atinge os playoffs. Felizmente para o Kidd, tem um belo banco, tal como disseste Márcio. Nem sabia que o Kirilenko tinha ido para lá, e é mais um excelente reforço para mais que uma posição.
    Em relação ao comentário anterior, não me admiro nada que o dono dos Nets esteja muito confiante e obviamente que os nomes mais sonantes na free agency de 2015 serão o LeBron e o Carmelo, e pelos quais Pohkorov vai cometer as maiores loucuras e imoralidades financeiras para obter um deles ou até mesmo os dois. Pessoalmente, só espero que o LeBron não tenha a triste decisão de ir para a mesma equipa do Carmelo, mas isso aí é algo à parte numa discussão.

    ResponderEliminar