9.7.13

Os derrotados da offseason até agora


Os Rockets são os maiores vencedores desta offseason e os Warriors, Cavs, Kings e Clippers são alguns dos maiores vencedores da mesma (e os Warriors continuam a boa offseason com três negócios que reforçam o ponto mais fraco depois das movimentações para adquirir Iguodala, o banco: parece que chegaram a acordo com Marreese Speights, Jermaine O'Neal e Toney Douglas). E depois temos as equipas que não se estão a sair muito bem na montagem da equipa para 2013-14. São alguns dos maiores derrotados da offseason até agora:


os Lakers

A equipa de Los Angeles só tinha um plano: renovar com Dwight Howard. O prestes-a-tornar-se-Rocket  era uma solução dupla e o plano dos Lakers para o presente e para o futuro: com ele, tinham equipa para, no imediato, fazer uma última tentativa de ganhar o título com este grupo e, ao mesmo tempo, tinham um jogador para, depois de 2013-14 (quando os contratos de Gasol, Nash e Kobe expiram), construir uma nova equipa à sua volta.

Agora não têm nem uma coisa nem outra. No presente, estão condenados ao meio da tabela e a um limbo que não lhes dá grandes chances de ganhar uma das primeiras escolhas no draft (ou ficam num dos últimos lugares de acesso aos playoffs - e não entram na lotaria do draft - ou falham-nos por pouco - e só conseguem uma das primeiras escolhas se lhes sair mesmo a lotaria!). E também não têm equipa para lutar pelo título. Nem vão ser tão maus para ficar no fundo e ter uma daquelas escolhas, nem são bons o suficiente para lutar pelo título.


E no futuro, não têm escolhas na 1ª ronda do draft até 2017 (trocaram-nas todas e 2014 é o único dos próximos anos em que mantém uma escolha) e a reconstrução por essa via é impossível. Resta-lhes a free agency e depositar as suas esperanças no próximo Verão, quando LeBron James e Carmelo Anthony (e Wade e Bosh) podem ser free agents. Mas é um grande "se" (Carmelo e LeBron têm um ano de opção e podem tornar-se free agents, mas também podem escolher não activar e continuar nos contratos em que estão. E se no caso de Carmelo até é possível que queira testar o mercado, no de LeBron parece-nos muito difícil que ele tenha alguma razão para sair da situação em que está em Miami). E o resto da lista de free agents desse ano (Luol Deng, Ray Allen, Nowitzki, Paul Pierce, Bogut, Granger) não são jogadores para o futuro. 

Vão contratar Chris Kaman para compensar um pouco a saída de Howard (e amnistiar Metta World Peace, ao que tudo indica), mas ninguém acredita que isso vá fazer uma grande diferença na época dos Lakers, pois não? Por isso, não vai ser fácil a vida dos Lakers este ano e o futuro é uma grande incógnita.


os Mavs

A equipa de Mark Cuban é outras das derrotadas da "caça a Howard". Foi outra equipa que meteu as fichas todas aí e agora não tem muito para onde se virar. Tal como no ano passado (em que apostaram tudo em Deron Williams e Dwight Howard), não caçaram a estrela que queriam e agora vão ter de recorrer a um (mau) plano de recurso. 


O ano passado montaram uma equipa provisória (tudo contratos de um ano e tudo jogadores que não ficaram este ano), para manter a flexibilidade salarial e atacar a free agency de novo e, de novo, vai sair-lhes furado. Mais um dos últimos anos da carreira de Dirk Nowitzki desperdiçado (e não lhes restam muitos para os desperdiçarem assim).

Parece que deixaram-se de contratos de um ano e comprometeram-se com um backcourt de Jose Calderon e Devin Harris (por três anos), mas isso não os deixa muito mais próximos dum título que antes.


os Nuggets

O que dizer duma equipa que, depois de fazer a melhor temporada regular da sua história, terminar em terceiro na conferência e ter uma das equipas mais excitantes e mais promissoras da liga, despede o treinador (o Treinador do Ano!), deixa sair o general manager e perde o seu único All Star? 

Ok, os playoffs não correram bem e aparentemente os dirigentes dos Nuggets não estavam contentes com o facto de Karl ter JaVale McGee (a quem os Nuggets pagam 11 milhões por ano) a sair do banco, mas isso era razão para estragar tudo o que fizeram até aí? Karl sempre foi exigente com rookies e jogadores inexperientes e sempre os fez passar por esse processo de evolução antes de lhes confiar a titularidade. Fez isso com Faried e este ano vimos como confiou nele e como ele jogou. Com McGee tinham tudo para acontecer o mesmo e os Nuggets tinham tudo para continuar a progredir e continuar o (muito bom) trabalho realizado até aqui, mas incompreensivelmente, arriscaram-se a deitar tudo a perder.


Depois do começo de offseason desastroso (com a saída de George Karl e Masai Ujiri), compensaram com a contratação dum ao-que-tudo-indica-futuro-grande-treinador (Brian Shaw). Mas depois perdem Iguodala (embora aqui tenha sido mais vontade do jogador do que da equipa, que queria que ele ficasse; mas a saída de Karl e Ujiri e a instabilidade que isso provocou teve, de certeza, peso na decisaão de Iguodala, por isso também há responsabilidade da equipa). E Randy Foye não é suficiente para compensar essa. Ok, JJ Hickson já compensa um pouco mais. Mas é uma offesason-em-montanha-russa desnecessária.

E continuarem a ter boas perspectivas de futuro (quatro jogadores do cinco inicial têm menos de 26 anos e ainda têm mais jovens com potencial no banco) mesmo depois de tantas reviravoltas, diz muito do valor do que já tinham. Até pode correr bem, mas foi um risco que não precisavam de correr (e que não tinham razão para correr). E em vez de darem um passo em frente e continuarem o que estavam a fazer, vão ter de começar um novo ciclo, um novo projecto, com novo treinador. 

Neste caso, não se trata tanto de serem derrotados, apenas de andarem a dar voltas desnecessárias para chegar a um ponto onde já estavam (não podemos considerar uma derrota completa, é mais um empate). Foi uma offseason atribulada e um passo atrás (ou para o lado, no mínimo) que podiam ter evitado. 


os Celtics

Em Boston é hora de reconstrução total. Mas já era hora disso há muito tempo (e nós já defendíamos essa ideia há muito tempo e já tinhamos dito isso mesmo aqui, em Janeiro). Esperaram tempo demais para mexer e, quando finalmente o fizeram, já não tinham tantas opções como em oportunidades anteriores e não conseguiram, claro, o melhor negócio. A troca com os Nets foi o negócio possível.


Os Celtics abdicam completamente do presente, mas não conseguir nenhuma peça para o futuro e ficar apenas com peças para dispensar e libertar o espaço salarial é pouco. Gerald Wallace, Kris Humphries e Keith Bogans não contam para os planos futuros dos Celtics, Kris Joseph é uma peça menor neste puzzle e MarShon Brooks é a única peça interessante (para o longo prazo) que receberam de volta. E quando Brooks é a peça mais interessante na troca, esta não pode ter sido muito boa para o lado dos verdes.

Por Garnett e Pierce (e Terry) já tiveram oportunidade de conseguir melhor e são jogadores pelos quais podiam (deviam) ter conseguido mais em troca. Podia ter começado tão melhor a reconstrução em Boston.


os Thunder


Ok, é um facto que não têm muito espaço de manobra e, num mercado pequeno, não querem elevar a factura salarial para níveis de luxury tax, mas perderam Kevin Martin e continuam sem um atirador e sem se mexer nesta offseason. Claro que já têm uma óptima equipa tal como estão, mas "em equipa que ganha, deve-se continuar a tentar melhorar". E Durant e Westbrook precisam de ajuda no ataque (principalmente, urgentemente, no perímetro). E com as melhores equipas no Oeste a reforçarem-se, não se podem dar ao luxo de ficar parados. É um caso de derrota por inacção.

18 comentários:

  1. Márcio, deixa-me discordar em relação à offseason dos Celtics. O factor chave do negócio que fizeram com os Nets foi as 3 1st round picks que receberam em troca. Em conjunto com a pick dos Clippers (negócio do Doc Rivers), ficam com um monte de activos para o futuro, (cerca de 9 picks até 2018). Os jogadores que receberam nesta mega-troca não fazem parte do projecto para o fututo (tirando o Brooks, claro), e portanto, são jogadores para trocar ou sair para o ano, no caso do Humphries. Não foi o negócio perfeito, mas foi o negócio possível, como dizes, e não foi nada mas mesmo nada mau. Os Nets em 2018 serão mediocres (PP e KG já se terão retirado e outros terão saído) e as picks deles valiosas.
    Além disso, Danny Ainge fez provavelmente o steal do Draft, o Kelly Olynyk (para quem não viu vejam as exibições dele na Summer League). Mais, o Ainge conseguiu contratar um bom treinador, Brad Stevens, jovem e a pessoa certa para uma equipa em ruibild e jovens jogadores. Se conseguirem manter o Rondo então considero a offseason quase perfeita para um franchise que quer fazer um rebuild rápido.
    Em relação às restantes equipas concordo com o que disseste. Abraço

    ResponderEliminar
  2. Globalmente de acordo, sendo que até ao lavar dos cestos é vindima! Oficialmente, a época de transferências só começou hoje, e ainda vão haver alguns acertos nos plantéis que podem mitigar algumas das coisas que dizes no post.

    Também não disseste, mas digo eu: o Devin Harris não é só um downgrade em relação ao plano inicial para 2014... é francamente mau! Muito pior, aliás, do que os seus números dão a entender. Foi uma sorte terem-se livrado dele em 2007 (imagine-se, em troca com o actual head coach dos nets...) e agora vão buscá-lo outra vez??

    Patético, sr. Cuban!

    ResponderEliminar
  3. Concordo com o Hugo. Muito me custou ver a saída dos enormes P.Pierce e KG. Queria que eles se retirassem com a camisola dos Celtics, mas na NBA não há lugar para sentimentalismos e há que fazer o melhor para a franchise.

    Para além do que disse o Hugo, li que o negócio ia ser 'montado' de forma a que os Celtics recebam também uma trade exception de cerca $7.3 milhões. Não sei se será verdade, mas se for, é mais uma mais valia para os Celtics.

    Julgo que o objectivo é fazer tank disfarçado e tentar apanhar Wiggins ou Jabari Parker no draft 2014 e reconstruido à volta de Rondo. Caso contrário, Ainge tinha ido provavelmente buscar Josh Smith, um interesse que foi milhares de vezes anunciado.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  4. E os Knicks? Para além de terem perdido inúmeros jogadores do banco sé conseguiram um PF que não acrescenta muito mais.Para além disso, perderam o 6º homem do ano (mas até é bom que ele saia, pois já chega o Melo a lançar sempre que toca na bola)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o J.R. smith renovou 3 ou 4 anos pelo Knicks, não perderam o 6º homem do ano passado.

      Eliminar
    2. Se não estou em erro, o JR Smith renovou com os Knicks e vai receber 24.7 milhões no conjunto dos 4 anos do novo contrato.

      Eliminar
  5. Jim Buss a fazer os possíveis para afundar os Lakers e está a fazer um belo trabalho. Tirar 1 dos melhores defesas de 1 equipa q tem problemas defensivos n me parece boa idéia. E ainda mais qdo mtos podem n gostar mas MWP deixa tudo em campo pela equipa, ao contrário de outros.

    p.s. - DH, i hope u choke all season...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ah e já agora para quem n tem humildade nenhuma e q acha q n precisa dos companheiros para ganhar títulos, nada mau: "No game 7 win without Metta! This is a tough day for laker nation" ou "Personally I'd keep Metta and make a run with the unit we have and just add a few pieces"
      Sem esquecer, http://instagram.com/p/baJkWqxNiO/

      Eliminar
    2. LoL este comentário do Kiko deu-me para rir, mas se eu fosse fã dos Lakers sentiria o mesmo. Has-de ler, se é que já não leste, as reacções do Shaq e do Jabbar à sua saída. Primeiro li as do Shaq e sinceramente não as levei muito a sério porque ele nunca gostou do DH, mas depois de ler as do Jabbar fiquei a pensar naquilo, principalmente quando ele disse que o DH desde as finais de 2009 contra os Lakers não melhorou nada. Eu fiquei a pensar nisso e realmente é verdade. Até pelo contrário, baixou de rendimento, especialmente depois de se meter nestas "novelas", em vez de ter tido logo a coragem que teve o LeBron em 2010, só que a concorrência na posição de Center é tão baixa, que ele mesmo a 50 % é dos melhores, a 75 % é o melhor e a 100 % é o melhor sem margem para discussão, na minha opinião, mas falta-lhe maturidade, tal como o Jabbar disse. Realmente deu-me que pensar aquela entrevista...e agora o DH terá o prazer de ser vaiado não só em Orlando, mas também em LA :) que orgulho lol

      Eliminar
    3. Os centers hj em dia têm mta influência da Europa. Alguns já sabem lançar, são mais móveis e ágeis e tb mais leves. São poucos os Centers com peso e com 1 bom post game na liga (apesar de n achar o post game do Howard nada de especial acho-o defensivamente o melhor da liga) e parece q a cada ano continuam a diminuir. Os centers agora são 1 espécie de PF (daí a facilidade de Garnett e Duncan jogarem a Center agora).
      Os Lakers agora estão numa péssima posição para a próxima época. Ainda mais mantendo o Mike D'Antoni. Acho q os maiores culpados são a liga (por ter vetado o negócio CP3) e a direcção pelas péssimas decisões q tem tido. Ir buscar o Howard (bem feito) e Steve Nash para dps escolher Mike D'Antoni para treinador é de outro mundo. O próprio Howard preferia o Phil Jackson e n o terem contratado só ajudou a decisão de Howard. O pior é q os Lakers estão mal posicionados para ir tentar buscar 1 free agent mesmo nas próximas épocas.
      Qto ao Howard ter saído acho q ele n tinha qualidades para ser o franchise player dos Lakers (tens q tê-los no sítio) e a atitude dele em campo smp sorridente e a parecer q levava o jogo como se fosse uma brincadeira fez-me lembrar 1 bocado o Bynum (se bem q este último exagerava pela falta de empenho). Acho q era excelente para os Lakers mas duvido q se tornasse num Shaq, num Kareem, num Magic, num Kobe...

      Eliminar
  6. Kiko, tens razão em relação ao MWP: ele deixa tudo em campo, especialmente bocados dos adversários, lol! (just kidding, mas não resiti. Por mim, espero mesmo que ele não vá para os Bulls, como constou)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas porquê Vic? Devido à sua personalidade, ou por achares que não encaixa no plantel dos Bulls nem nas ideias do Thibodeau? Eu até achava um bom reforço para eles e encaixa na filosofia defensiva do mister, mas secalhar tou-me a esquecer de outros aspectos, por isso perguntei-te.

      Eliminar
    2. lol eu sei q é um jogador q exagera e tem com cada jogada de pasmar qq 1. Lembro-me de antes de ir para os Lakers n gostava dele por isso mesmo (então a cena com os fãs...). Mas eu tenho saudades deste tipo de old school players. Hj parecem todos amigos. Como é q se vão tornar competitivos? MWP exagera de 1 lado mas os outros tb exageram em termos de amizade. Agora até parece q trash talk é algo mau..

      Eliminar
    3. Metta pondera retirar-se caso seja realmente amnistiado. E os Lakers a surpreenderem: Farmar, Vujacic, talvez Odom.... Talvez P. Jackson????

      Eliminar
    4. Aladeen, acho que se calhar se encaixaria na filosofia defensiva de Thibs. Mas para o lugar os Bulls têm lá o Deng (pelo menos por enquanto) que é um dos melhores defensores da liga, além de ser mais efectivo no aspecto ofensivo. Para a rotação está lá o Jimmy Buckets e o rookie, com quem eles já assinaram.
      Depois, há que considerar que o MWP tem um carácter muito volátil e decididamente, faz demasiadas flagrante fouls para o meu gosto. Penso que numa equipa como os Lakers, que não era demasiado agressiva a defender, as coisas ainda vão correndo. Agora numa equipa que faz da defesa a sua maior arma, a sua incorporação poderia constituir um perigo. Acho que o homem em determinadas alturas se poderia empolgar demasiado.
      Mas pronto, se o Thibs entender que os Bulls o devem contratar, é porque tem a certeza que o pode controlar e eu confio plenamente no treinador. Bom, mas eu acho que haverá outras equipas interessadas.

      Kiko, isso é verdade, tens toda a razão. E dizer que há uns anos os campeões do trash-talking eram jogadores com a envergadura de um Bird, de um Miller ou de um Jordan. Mas também é curioso verificar que o que é considerado um dos maiores trash-talkers da actualidade é o Kevin Garnett e ninguém o critica. O estatuto conta muito, é o que é.

      Eliminar
    5. O KG é o meu jogador preferido mas vou ter que te corrigir Vic. Ele já tem sido bastante criticado pelo trash-talking dele, e se calhar a maior parte das vezes com razão lol Mas pronto, é uma das coisas que me faz gostar mais dele, faz parte da intensidade dele.

      Mas são bem conhecidos os momentos de trash-talk com o Duncan, o Villanueva, o Calderon, nos playoffs de 2009 quando esteve lesionado e teve alguns momentos mais "over-the-top" no banco, quando fez o Big Baby chorar ou mais recentemente com o 'Melo.

      KGGGGGGGG :D

      Eliminar
    6. Bound, o que eu quis dizer foi que o facto de o KG ser um trashtalker reconhecido, nunca lhe retirou estatuto ou respeitabilidade, nem nunca houve qualquer campanha que o pusesse em causa. Ele aprendeu com os melhores (ainda teve a sorte de jogar com Miller, Jordan e outros do mesmo calibre) pelo que se pode dizer que teve a melhor escola. Grande jogador.

      Eliminar
    7. Vic, ok já entendi o teu ponto de visto em relação ao MWP ;) Não me parece mal pensado.

      Eliminar