25.11.14

BUUUZZZZzzzzzzzzzz...



Deve ser mais ou menos esse o som das expectativas a descer em Charlotte. Porque poucas equipas entraram nesta temporada com tantas expectativas e poucas têm tido desiludido tanto como os Hornets.

Depois de, apenas pela segunda vez na história da organização, terem terminado a época com um recorde positivo e ido aos playoffs, continuaram, na offseason, a reforçar e a construir a equipa. Contrataram Lance Stephenson e Marvin Williams e tiveram duas boas escolhas no draft. Para além disso, enterraram os Bobcats e recuperaram o nome "Hornets". E, com novo nome, novas cores, novo campo e novas caras na equipa, o buzz estava de volta à cidade e eram uma das equipas que esperávamos que desse um passo em frente em 2014-15

Mas ao fim de 15 jogos e um medíocre recorde de 4-11, a Buzz City está silenciosa e preocupada. O ataque, que se esperava que melhorasse com Stephenson, continua a ser tão sofrível como antes e continua a ser um dos piores da liga (em 2013-14, foram 24ºs, com 103.6 pts por cada 100 posses de bola e este ano ainda está pior, apenas 26ºs, com um rating ofensivo de 101.2 pts). E a defesa, que no ano passado era o seu ponto forte e uma das melhores da liga (5ª melhor, com um rating defensivo de 103.8), piorou e está também entre as piores (22ª, com 107.8 pontos sofridos por cada 100 posses de bola).

Josh McRoberts está a fazer mais falta do que se esperava. McBob era um elemento importante (um bom passador e atirador numa equipa que não tinha muitos nem de uns nem de outros), mas esperávamos que as entradas de Stephenson, Marvin Williams, PJ Hairston e Noah Vonleh mais do que compensassem a sua saída. 

Mas parece que não (ou até agora não). A movimentação de bola está pior e estão a atirar pior de três (35% em 2013-14, 32% este ano). Stephenson tem sido irregular, Marvin Williams mau, Kemba Walker ineficaz e o ataque continua a depender em demasia de Al Jefferson. E quando os atiradores que o rodeiam não acertam os lançamentos, o trabalho deste fica mais difícil. 

Na defesa, têm sentido (e como!) a ausência de Michael Kidd-Gilchrist. O jovem extremo é o melhor defensor da equipa e a defesa deverá melhorar quando ele regressar. Mas, independentemente disso, as rotações e as ajudas estão longe de estarem afinadas e também desse lado do campo têm bastante trabalho para fazer.

Também o desenvolvimento de Kemba Walker não tem sido o esperado/desejado. O jovem base continua pouco eficaz (apenas 38.3% em lançamentos de campo e 14.7 pontos em 13.7 lançamentos) e não evoluiu na condução da equipa.

Ainda é cedo e ainda resta muito tempo para darem a volta à temporada. Mas têm de melhorar muito. E é bom começarem a fazê-lo rapidamente. Senão BUUZZZZZzzzzzzzzzzzzzz...

1 comentário:

  1. O problema é o Walker não está a jogar nada. O Lance continua a mesma coisa tanto faz grandes jogos, como jogos mediocres, mas já lhes deu duas vitórias com buzzer-beaters.

    Olha não achas que Indiana com aquela equipa sem cinco titulares(George, West, Hill, Watson e Hibbert(últimos jogos) está a surpreender muito, por não estar a fazer tanking e estar entre 9ª e 8ª posição no Este? (Acho que já mereciam uma referenciazinha, principalmente por terem vencido duas ou três grandes equipas já este ano)

    ResponderEliminar