20.10.10

Boletim de Avaliação - Northwest Division - Thunder

Oklahoma City Thunder

Os Thunder foram uma das histórias de sucesso do ano passado e são a nova equipa da moda na NBA. Venceram mais 27 jogos que há dois anos (23-59 em 2009, 50-32 em 2010), ficaram em 8º na conferência e, apesar de eliminados na primeira ronda pelos Lakers, deram muito que fazer aos futuros campeões. Entusiasmaram todo um estado e no sexto e último jogo da eliminatória, os fãs no pavilhão, como agradecimento, deram-lhes a maior ovação da época. Kevin Durant foi o mais jovem Melhor Marcador da NBA de sempre e subiu ao exclusivo nível das super-estrelas. É uma equipa jovem, em construção e que quer chegar ao lugar mais alto da liga.

Entradas / Saídas
Continuaram o seu inteligente plano de crescimento sustentado. Tinham espaço salarial, mas não foram atrás de nenhum dos grandes nomes da free agency e renovaram antes com Durant por mais 5 anos (o jogador anunciou-o na sua página no Twitter, sem nenhum programa especial em directo na tv). Saiu apenas Kyle Weaver (dispensado) e entraram Daequan Cook, Mo Peterson, Cole Aldrich (escolha no draft) e Royal Ivey.

Frontcourt
Durant como small forward, Jeff Green (outro jovem que entrou na liga no mesmo ano de Durant) como versátil, embora um pouco pequeno, power forward e Nenad Krstic como poste. Um frontcourt muito ofensivo, com múltiplas soluções, e melhor defensivamente do que parece. Foi aí que mais evoluíram e foi a defesa a maior responsável pelo salto da época passada. O único ponto de preocupação era o tamanho e procuraram melhorar esse aspecto com a selecção de Aldrich.

Backcourt
Russel Westbrook despontou como um dos melhores bases e criadores de jogo do Oeste e volta com a experiência adquirida no Campeonato do Mundo ao serviço da selecção americana. Precisa de continuar a melhorar o lançamento exterior. Thabo Sefolosha (o único jogador suíço na NBA), excelente defensor do perímetro, é um complemento perfeito.

Banco
Os Thunder são uma das equipas mais arrumadas da liga e já tinham um banco bem definido e com boas segundas opções em todas as posições (ok, menos a 3, mas aí têm Durant): Eric Maynor a 1, James Harden a 2, Serge Ibaka e Nick Collison a 4 ou 5. Este ano reforçaram-no ainda com Cole Aldrich, um poste forte e com mentalidade defensiva e o atirador Daequan Cook.

Treinador
Scott Brooks foi o obreiro do sucesso deste grupo, insistindo sempre na defesa e no trabalho de equipa. Na sua primeira época completa como treinador ganhou o prémio de Treinador do Ano. Em 2009-2010 poucas pessoas contavam com eles e isso funcionou a seu favor. Em 2010-2011 toda a gente conta com eles para atacar os lugares de topo do Oeste e as expectativas estão altas. Uma prova de fogo para Brooks.

Resumo
Os Thunder são um exemplo de como construir uma equipa na NBA. O seu general manager, Sam Presti, é um dos mais elogiados da liga e o trabalho tem sido feito de forma estruturada e sustentada, apostando na selecção acertada e desenvolvimento dos seus jogadores. A equipa não precisava de muitas mexidas, apenas esperar que os seus melhores jogadores continuem a crescer e ganhar experiência e complementá-los com mais algumas peças. Até agora o plano não podia estar a correr melhor.

Nota: 16


(próximo: Northwest Division - Portland Trail Blazers)

Sem comentários:

Enviar um comentário