27.3.13

Pequenos grandes homens


A propósito do aniversário de Stockton e do post que fiquei a dever ao Sonny, ao Kyrie e ao Jason (vejam nos comentários do post anterior se não souberem do que estou a falar), em jeito de homenagem aos pequenos jogadores que triunfam nesta liga de gigantes (o Kidd não é assim tão pequeno, mas joga como base e ao lado de power forwards e postes é certamente pequeno), aqui fica um pequeno documentário da altura que descobri quando procurava vídeos dos Lakers de 72, sobre os jogadores pequenos no jogo de basquetebol:



(como já dissemos aqui antes, o tamanho importa. O tamanho do coração e do cérebro de um jogador: um episódio inspirador retirado do documentário More Than a Game que nunca nos cansamos de ver)

16 comentários:

  1. e acabou...o recorde dos Lakers mantem-se. Parabéns aos Bulls e aos Heat pelo jogo emocionante de hoje.

    ResponderEliminar
  2. Mas que grande vitória.... Nunca pensei que com 4 lesionados, incluindo 3 titulares, fossem ganhar.... acho que até mesmo os Heat nunca pensaram em tal coisa!!

    ResponderEliminar
  3. Stoudemire28/03/13, 03:24

    Finalmente, digo eu. Bulls mais uma vez a demonstrarem que são um grande equipa.

    ResponderEliminar
  4. com uma mãozinha dos árbitros lá ganharam, mas provavelmente ganhariam (com mais dificuldades) sem ajudas. bom jogo do boozer e do deng e o público de chicago teve espectacular.

    ontem minnesota, se não estivesse a fazer tanking vencia facilmente, analisando os calendários das 3 em luta pelo 8º lugar, talvez seja dallas quem tenha o calendário (teoricamente) mais fácil, vai ser emoção até ao fim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Stoudemire28/03/13, 13:32

      Gostam tanto de arbitragem mas não vejo ninguém a falar na falta sobre o Rubio. Eu bem disse há uns tempos que quando apertasse, não haveria problema.

      Eliminar
  5. Luís Borges28/03/13, 14:35

    Peço desculpa pelo off-topic...

    Aos fãs dos Heat e a todos os admiradores isentos da modalidade só resta mesmo agradecer por este fabuloso período de grande de basquetebol que já escreveu história na Liga. Já que não estava cá para ver o grande Michael Jordan e os seus Bulls na década de 90, pelo menos agora estou contente por poder presenciar estes feitos incríveis dos Miami, e em especial da sua estrela maior a quem ninguém fica indiferente. Agora resta-nos continuar a lutar por arrecadar o melhor record da liga e claro, alcançar mais um título! Let's go Heat

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao melhor record da liga também já não chegam, Luis Borges. Esse, é dos Bulls de 1996 com um impressionante 70-12. Talvez para o ano se Lebron mantiver o nível, e a directoria faça uns ajustes na equipa - a meu ver falta-lhe um pouco de altura e isso é notório quando enfrentam equipas mais altas (Bosh deveria ser usado a PF e não a Pivot) e com um jogo mais físico.

      Eliminar
    2. Luís Borges28/03/13, 22:25

      Referia-me ao melhor recorde da liga da presente época, de maneira a assegurarem o fator casa a seu favor! De resto concordo com o que disseste. O Chris Andersen teve um excelente impacto na equipa, mas ele toda a carreira foi alguém que rendia mais saindo do banco para oferecer alguma energia perto das tabelas, portanto, não será uma opção para o 5 inicial. O Haslem é um suplente razoável, nunca um jogador para jogar de início. A equipa ficava perto da perfeição, digamos assim, com um center que oferecesse garantias. Lembro-me de há uns tempos o Samuel Dalembert ter sido falado.. E até que era uma adição muito boa. Depois uma rotação com Andersen, Battier, Allen e Cole (não sobra muito espaço para o Rashard Lewis e para o Haslem, é certo).

      Eliminar
    3. Seis Anéis28/03/13, 23:02

      72 - 10, Luís!

      Curiosa a forma como LBJ ontem reagiu durante todo o jogo e que culminou numa falta técnica de que reclamou no final.

      O homem tem de voltar a falar com o Jordan, para que este lhe explique o que eram as «Jordan Rules». LOL

      Eliminar
    4. Tens razão, Seis Anéis. Foi 72-10 e não 70-12.
      Também tens razão no quedizes sobre a reacção do James, e eu até acho que na falta que é assinalada ao Kirk no 1º quarto, é o próprio Lebron que investe contra o Hinrich (e é preciso coragem da parte deste para não se afastar, o que dá bem a ideia do espírito daquela tão azarada equipa). De qualquer forma, são muito jogos a ser "coberto" de forma apertada, mas também é certo que ele já deveria saber que querer ser o melhor paga o seu preço. E ele até é bem maior do que o Jordan era.
      Realmente, se calhar uma conversa com MJ não fosse descabida.

      Eliminar
    5. O Kobe aos 34 leva esse tipo de pancada em todos os jogos e tem muitas faltas não assinaladas contra e não o vejo a chorar. De resto, parar o Lebron ao nível da marcação de pontos é muito mais fácil que parar o Mj, o Kobe ou o Durant, é só não lhe dares a direita. Cortaste-lhe os pontos para metade pelo menos só aí, depois tens é de ter cuidado com as skills de playmaker dele, mas é um começo.

      Quem quiser derrotar os Heat tem de o fazer assim, desafiar o Wade e o Lebron a fazer jumpshots, rodar bem no perímetro para defender os 3 pontos e evitar as penetrações. Os Bulls deram os jumpshots o tempo todo e safaram-se com isso. Eu prevejo que contra os Pacers, Knicks ou Celtics os Heat vão ser apertados no Este, antes de lá saírem.

      Eliminar
    6. Não ves o kobe a chorar???? quase todos os jogos que perde chora. podias ir buscar tantos exemplos nos lakers e vais logo buscar o kobe.

      se fosse assim tão fácil parar o lebron, porque é que nenhuma equipa o pára? ao contrário do durant que basta o lebron e o battier para minimizar (anular é impossivel) nao falo do kobe porque está num nível muito inferior em relação a estes dois.

      Miami vai chegar às finais no máximo com 2 derrotas.

      Eliminar
    7. o Lebron faz um triplo duplo contra os todos poderosos Wizard e os Heat perdem. Agora pensa. Miami se chegar às finais vai chegar com mais de duras derrotas, muito em parte graças a esta streak.

      Eliminar
  6. Os recordes foram feitos para ser batidos? Sim... mas nem todos.

    100 pontos de Wilt Chamberlain num jogo (totalmente impossível)

    33 vítórias consecutivas dos Lakers de 71/72 (extremamente difícil de alcançar)

    Registo de 70-12 numa época regular (Bulls de 96) (extremamente difícil de alcançar)

    Desclassificação mais rápida - Bubba Wells com 6 faltas em 3 minutos, contra os Bulls em 97 (muito difícil), mas esta não depende de grande inspiração :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 72-10 de facto o registo dos Bulls de 96

      Eliminar