4.12.13

Aprender a ser treinador


"Brian Shaw tinha a certeza que estava pronto para dar imediatamente o salto de jogador para treinador, até o melhor treinador da história da NBA lhe dizer o contrário."

Começa assim o texto de Howard Beck sobre o percurso de Brian Shaw até treinador principal. No dia em que os Nuggets de Shaw visitaram (e derrotaram forte e feio) os Nets de Jason Kidd, o ex-treinador adjunto de Phil Jackson e Frank Vogel falou com o colunista do Bleacher Report sobre esse seu longo percurso até treinador principal (e sobre as comparações com o percurso de Kidd, que, 10 dias depois de se retirar como jogador, tornou-se treinador dos Nets, uma posição para a qual Brian Shaw também foi entrevistado).


Quando Shaw se retirou em 2003, Phil Jackson recusou dar-lhe um cargo na sua equipa técnica e disse-lhe que precisava "de tirar pelo menos um ano longe dos colegas antes de voltar e treiná-los", para eles o respeitarem. "Porque estes são os tipos com quem jogaste e contra quem jogaste e eles ainda te veem como jogador.", disse-lhe o Zen Master na altura. 
Shaw diz que agora está agradecido por ter seguido o conselho, por ter feito essa aprendizagem e ter-se preparado bem antes de dar o salto para responsável máximo por uma equipa. 

Em 2004, Shaw juntou-se à equipa técnica de Phil Jackson, onde ficou até à retirada de Phil Jackson em 2011 (e onde conquistou dois campeonatos). Na época seguinte foi contratado como adjunto de Frank Vogel nos Indiana Pacers (e promovido a treinador principal associado na época seguinte). 
Shaw diz que aprendeu bastante com ambos e que tentou incorporar o melhor de cada um. Jackson era o mestre do Zen que fazia sessões de meditação com os jogadores e era o paciente líder espiritual da equipa. Vogel punha (e põe) o ênfase na organização, na análise dos vídeos e da estatística.

E o actual timoneiro dos Nuggets admite que não estava preparado para ser logo treinador. "Havia tanta coisa para a qual não estava preparado, coisas como planificar um treino ou gerir a necessidade de ganhar com a necessidade de desenvolver jovens jogadores, como lidar com os meios de comunicação, como ganhar a confiança dos jogadores, incluindo os do fundo do banco. Há uma série de coisas que fui aprendendo nos anos como adjunto e que fui percebendo melhor."

Parece que Brian Shaw aprendeu bem e não se está a sair nada mal na sua primeira época à frente duma equipa. Depois de um começo menos bom, os Nuggets estão a jogar bem melhor do que se esperava e estão já em posição de playoffs (6º lugar no Oeste, com 11-6).

Brian Shaw aprendeu, foi paciente e esperou pela sua oportunidade. E está a colher os frutos disso. Será esse um caminho que Jason Kidd devia ter feito antes de saltar para o primeiro lugar do banco? (E será que os Nets já se arrependeram de não terem contratado Shaw?)

Podem ler o texto completo de Howard Beck aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário